Correio de Carajás

Justiça suspende flexibilização de medidas contra coronavírus em Parauapebas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Atendendo Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público, o juiz Lauro Fontes Junior, titular da Fazenda Pública de Execução Fiscal da Comarca de Parauapebas, suspendeu na manhã desta quarta-feira (17) quatro artigos do Decreto Municipal assinado pelo prefeito Darci Lermen que flexibilizava regras impostas pelo Governo do Pará para contenção da disseminação do coronavírus.

Dentre os artigos suspensos estão os que reduzia o tempo de toque de recolher, que ampliava horário de municionamento de restaurantes e lanchonetes e de supermercados e que permitia a abertura de academias. A autorização para o funcionamento do comércio de rua entre 8 e 18 horas foi mantida.

A Ação Civil Pública, protocolada na terça (17), alega que o prefeito municipal flexibilizou as regras de proteção sanitária mesmo diante da classificação vermelha da região conferida por Decreto Estadual. “(…) o município de Parauapebas publicou o decreto 1.076/2021 colocando o aludido município com medidas muito brandas, notadamente, considerando a situação de descontrole em que se encontra a doença na cidade, sem apresentação técnica de estudo de saúde pública por Comitê interdisciplinar”, argumenta o promotor Fabiano Oliveira Gomes Fernandes, respondendo pela 4ª PJ de Parauapebas.

Leia mais:

Na decisão, o juiz destaca que a organização do sistema de regulação e oferta de leitos no Estado do Pará tem como gestor central e operacional órgãos da Administração Pública estadual. Na noite desta terça (16) a Prefeitura de Parauapebas divulgou a ocupação de 100% dos leitos de enfermaria e de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS). Na rede particular a situação não é muito melhor e 90% das vagas de UTI estão ocupadas, assim como 77% das de enfermaria.

O magistrado diz vislumbrar, ainda, que existem indícios razoáveis de que o decreto municipal teria sido publicado para satisfazer grupos de interesses, já que há curso ascendente dos casos de contaminação, não havendo justificação técnica que pudesse legitimar o afrouxamento das medidas sanitárias. (Luciana Marschall)

Leia a decisão, na íntegra

Comentários

Mais

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro está em passeata pela cidade de São Paulo, em manifestação organizada por integrantes de clubes de…
Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Morreu neste sábado (12), aos 80 anos, o ex-vice-presidente da República Marco Maciel. Segundo o genro do político, Joel Braga,…
Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

No lugar da boneca e do carrinho, a enxada e a vassoura. No lugar do tempo para estudo e descanso,…
Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

  A história de Juliana Milhomem e Victoria Kaline é semelhante à de Polyana e Amanda. Ambas se conheceram em…
Mulheres que são felizes com outras mulheres

Mulheres que são felizes com outras mulheres

“Consideramos justa toda forma de amor”. Parafraseando Lulu Santos, começamos essa história com o trecho da emblemática música “Toda forma…
Namoro que floresce no meio na pandemia

Namoro que floresce no meio na pandemia

Sílvia e Moisés e se tornaram amigos inseparáveis, contavam tudo um para o outro, até se ajudaram a ficar com…