Correio de Carajás

Justiça mantém prisões de empresários e advogado de Parauapebas

Audiência de custódia foi realizada na manhã de quinta (24)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em audiência de custódia realizada na manhã desta quinta-feira (24), na 2ª Vara Criminal, no Fórum da Comarca de Parauapebas, foram mantidas as prisões dos empresários Mauro de Souza Davi, o Marola, e Eduardo Liebert Araújo dos Santos, e do advogado Antônio Araújo Oliveira, o Toni. Os três foram presos na manhã de quarta (23).

Eles são investigados pela equipe da delegada Ana Carolina Carneiro, titular das delegacias especializadas no Atendimento à Mulher (Deam) e no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca), que deflagrou a operação “Book Rosa” após detectar uma rede acusada de praticar crimes de estupro de vulnerável, prostituição de adolescentes, tirar proveito da prostituição alheia e impedimento de adolescente sair da prostituição.

Advogado Antônio Araújo e empresário Mauro Davi, o Marola, estão entre os presos
Mauro de Souza Davi, o Marola, e Antônio Araújo Oliveira, o Toni

Além deles, há mandado de prisão preventiva contra uma pessoa identificada como Fabrício Luan, apontada como intermediadora entre as vítimas e os acusados. Ela não foi localizada e é considerada foragida pela Polícia Civil.

Leia mais:
Eduardo Liebert Araújo dos Santos

Os detalhes da audiência de custódia não foram revelados porque o processo tramita em segredo de justiça, por envolver menores de 18 anos. Ao final da sessão, o Correio de Carajás conversou com os advogados Geovane Gomes e Paulo Henrique Ribeiro da Silva, que representam o colega de profissão, Antônio Araújo Oliveira.

Os dois informaram que pretendem recorrer da decisão junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Pará, em Belém, e seguem alegando inocência do cliente. “A investigação ainda está em andamento e no momento certo vamos nos posicionar, mas ele (Antônio) tem plena convicção da inocência dele e acreditamos nisso, baseados nas condutas pregressas deles, é um excelente profissional e bastante conhecido na cidade”, afirmou Paulo Henrique.

Abraunienes Faustino, que representa os dois empresários, afirmou na quarta-feira à reportagem considerar as prisões preventivas exageradas, uma vez que os acusados possuem residência fixa, empresas constituídas e nunca atrapalharam as investigações. Sobre as acusações, por sua vez, disse que os esclarecimentos serão feitos em momento oportuno. (Luciana Marschall – com informações de Ronaldo Modesto)

Comentários

Mais

Redes de pesca, arma e equipamentos são apreendidos no Lago de Tucuruí

Redes de pesca, arma e equipamentos são apreendidos no Lago de Tucuruí

Durante fiscalização ambiental na região do Lago de Tucuruí para o combate à pesca predatória, a Secretaria de Meio Ambiente…
Mãe acusa Samu por óbito e serviço diz que bebê já estava morta

Mãe acusa Samu por óbito e serviço diz que bebê já estava morta

Na manhã desta sexta-feira (23), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado ao Residencial Alto Bonito, em…
Se beber, não vandalize a viatura

Se beber, não vandalize a viatura

Um fato atípico foi registrado em Marabá no início da semana e divulgado nesta sexta-feira (23). Na madrugada da última…
Ex padrasto é condenado a mais de 13 anos por estuprar enteada

Ex padrasto é condenado a mais de 13 anos por estuprar enteada

A Polícia Civil de Marabá cumpriu na noite desta quinta-feira (22) mandado de prisão contra Fernando Dias Xavier, de 33…
Câmeras flagram baleamento de Bruce Lee

Câmeras flagram baleamento de Bruce Lee

Na noite desta quarta-feira (21), Bruce Lee Henrique Coelho dos Santos foi baleado duas vezes, na perna e na cabeça,…
Moto roubada é recuperada em menos de 24 horas

Moto roubada é recuperada em menos de 24 horas

Motocicleta que havia sido roubada há menos de um dia foi encontrada na noite desta quarta-feira (21), em Marabá. Ana…