Correio de Carajás

Justiça garante direito de acompanhante a gestantes

Por decisão judicial, gestantes e parturientes voltam a ter direito a acompanhante no HMI/Foto: Evangelista Rocha

NO HMI

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Por decisão judicial, o município de Marabá está obrigado a garantir o direito ao parto humanizado nas dependências de seus estabelecimentos hospitalares, assegurando-se à gestante e à parturiente o direito a um acompanhante de sua preferência durante o período do pré-natal, do trabalho de parto e também do pós-parto imediato. A decisão foi proferida pelo juiz substituto da 3ª Vara Cível Empresarial de Marabá, Tadeu Trancoso de Souza, e deve ser cumprida imediatamente.

A decisão atende a uma ação civil pública movida pela Defensoria Pública. Na ação, os defensores denunciam que a prefeitura tem violado as garantias legais do direito ao parto humanizado, especialmente no que diz respeito à garantia de acompanhante de escolha da gestante/parturiente para assistência durante o parto.

A Defensoria também expôs que o município tem ido contra recomendação do Ministério da Saúde, o qual emitiu Nota Técnica específica sobre o procedimento. Na nota está explicado que devem ser garantidas medidas sanitárias no parto humanizado ocorrido dentro dos estabelecimentos de saúde, no entanto, observadas essas precauções, mantém-se garantido o direito ao acompanhante de escolha da gestante.

Leia mais:

Acontece, porém, que por meio de dois decretos municipais publicados no ano passado (nº 25/2020 e nº 118/2020), a prefeitura suspendeu esse direito, por conta do período da pandemia, segundo consta na ação judicial movida pela Defensoria Pública. “Mostra-se desproporcional a medida de suspensão do direito ao acompanhante de escolha da gestante/parturiente”, diz a Defensoria.

Da decisão

Sobre a disciplina legal do parto humanizado, o juiz observa que a presença de um acompanhante de escolha da parturiente, segundo a literatura médica, permite inúmeros benefícios à parturiente, à criança e à família. “Trata-se de um procedimento que, dentre os diversos ganhos que proporciona aos envolvidos, funciona até mesmo como uma forma de controle da gestante e dos seus familiares contra eventual violência obstétrica partida da equipe de saúde atendente”, explica o magistrado.

Sobre o Pedido de Tutela Antecipada (para que o juiz conceda logo o pedido antes de julgar o mérito da questão), o magistrado explica que o nascimento de um ser humano, ato que deflagra o princípio da vida, jamais poderá ser repetido ou substituído por qualquer medida. Por outro lado, “o dano causado à parturiente pela solidão do parto, bem como ao acompanhante (notadamente ao pai) em decorrência do abandono coercitivo da sua gestante, é irreversível”.

HMI explica

Contactada por este Correio de Carajás, Alciléia Tartaglia, diretora administrativa do Hospital Materno Infantil (HMI) explicou que antes da pandemia do coronavírus, as gestantes/parturientes sempre tiveram direito a um acompanhante, mas com o agravamento dos casos de covid-19, a prefeitura baixou decretos suspendendo esse direito porque não era possível testar todos os acompanhantes em tempo hábil.

De acordo com Alciléia, já houve caso confirmado de um acompanhante com covid-19 dentro do quarto, onde estavam outras gestantes/parturientes, colocando em risco a saúde de todos. “O acompanhante traz risco nesse período”, explica.

Por meio de nota, a Prefeitura informa que foi devidamente intimida dos termos da decisão pela sua Procuradoria Geral e que estará analisando e adotando as medidas judiciais cabíveis. (Chagas Filho)

Comentários

Mais

Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19

Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19

A notícia mais esperada e sonhada pela população de Marabá finalmente foi confirmada na tarde desta quarta-feira (16) pela Prefeitura…
É falso que jogador dinamarquês tenha se vacinado antes de sofrer mal súbito

É falso que jogador dinamarquês tenha se vacinado antes de sofrer mal súbito

INVESTIGADO POR: VERIFICADO POR:   Leia mais: + Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19 + Estudo…
Estudo com hidroxicloroquina não comprova eficácia no ‘tratamento precoce’

Estudo com hidroxicloroquina não comprova eficácia no ‘tratamento precoce’

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR:  É enganosa postagem no Twitter que associa um estudo pré-publicado, portanto sem revisão dos pares, com…
Produtores de citrus, na região, precisam se cadastrar na Adepará

Produtores de citrus, na região, precisam se cadastrar na Adepará

Com o objetivo de realizar um trabalho preventivo e obter dados dos produtores de citrus – laranja, limão e tangerina…
Ao contrário do que afirma post, ivermectina em altas doses pode causar até convulsão

Ao contrário do que afirma post, ivermectina em altas doses pode causar até convulsão

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR: É enganosa postagem de médico no Twitter e no Instagram afirmando que a ivermectina é um…
Saiba quem não deve tomar a Sputnik V; Anvisa autorizou Pará a comprar vacina

Saiba quem não deve tomar a Sputnik V; Anvisa autorizou Pará a comprar vacina

A importação da vacina Sputnik V ao Pará, aprovada nessa terça-feira, 15, deverá ser realizada sob condições controladas. Por isso de acordo…