Correio de Carajás

Júri condena a 25 anos de prisão acusado de dupla tentativa de homicídio

Uma jovem de 22 anos está em estado vegetativo e o tio apresenta graves sequelas pelo corpo como resultado de uma tentativa de homicídio ocorrida no início da noite de 18 de abril de 2023. Um dos envolvidos no crime, Denis Douglas Godo de Araújo, conhecido como “Mimi”, foi julgado e condenado a 25 anos de prisão nesta sexta-feira (23) em Jacundá, no sudeste do Pará.

O conselho de sentença, presidido pelo juiz Jun Kubota, teve a participação de Erick Fernandes, do Ministério Público Estadual do Pará, atuando como promotor, e Cezar Thiago Barreto Correia, como defensor público. Denis Araújo, acusado conforme testemunho de Gedeon Pereira Barros, vítima do crime, ocupava o banco dos réus.
Segundo o depoimento de Gedeon Pereira Barros, no dia do atentado, o acusado chegou à residência de familiares onde as vítimas estavam e o convidou para sair.

Leia mais:

O convite foi recusado e, cerca de meia hora depois, Denis e um comparsa, identificado apenas como “DG”, retornaram ao local, na Rua Henrique Dias, no Bairro Santa Rita. Gedeon relatou que Denis invadiu a casa e disparou vários tiros, acertando-lhe dois disparos e cinco em sua sobrinha, Gabrielle Cristiana Rocha de Barros, que acabou em estado vegetativo. Gedeon perdeu movimentos corporais e ficou impossibilitado de exercer atividades físicas.

No julgamento desta sexta-feira (23), Denis Araújo negou a autoria do crime, afirmando que apenas conduziu a motocicleta e levou o suposto autor à residência da vítima. Apesar da defesa enfática de Cezar Thiago, a tese de acusação de Erick Fernandes convenceu o conselho de sentença, que condenou o réu a cumprir 25 anos em regime fechado. A defesa declarou que irá recorrer da decisão. (Antonio Barroso – Freelancer)