Virlan Silva devia traficantes e por isso teve a vida ceifada/Fotos: Divulgação
Ads

Ao meio-dia de quinta-feira, 1º de agosto, foi assassinado em Jacundá, Virlan Silva de Oliveira, de 28 anos, foi perseguido e executado com vários tiros na cabeça, no Residencial Buriti. O autor do homicídio identificado por “Abaeté” fugiu ao cerco policial, mas na casa dele foram presos mais três acusados e um quilo de maconha.

Ads

Segundo a Polícia Civil de Jacundá, o autor do crime foi identificado horas depois de cometer o assassinato. Segundo a investigação, dívida com o tráfico foi a motivação do crime. “Abaeté” teria fornecido uma certa quantidade de drogas para Virlan. E este não pagou pelo fornecimento do produto ilícito e pagou a dívida com a própria vida.

Vítima ainda tentou fugir da dupla da moto, mas foi perseguido e executado

A esposa da vítima, que não quis se identificar, disse que por volta de 11h40, dois homens chegaram em sua casa, localizada no Bairro José Rasteiro, à procura de Virlan. A dupla da moto saiu, porém, e encontrou a vítima que também estava numa motocicleta.

Ao avistar os assassinos, Virlan seguiu em direção ao Residencial Buriti na tentativa de escapar da morte. Lá, ele se desequilibrou do veículo e caiu na Rua 3. Em seguida os algozes se aproximaram e efetuaram os disparos que ceifaram a vida do jovem traficante, que já tinha passagem pela polícia por roubo de motos.

Acionados por moradores, a Polícia Civil de Jacundá com apoio operação do Tático da 6ª Companhia Independente de Polícia Militar, sediada na cidade de Tailândia, identificaram a vítima e o autor dos disparos.

PRISÕES

Em diligência operacional, na tentativa de capturar o suspeito, os policiais se depararam com outra situação. Na casa onde “Abaeté” estava escondido, no Bairro Santa Rita, conseguiram prender três pessoas por tráfico de drogas.

Na moradia havia mais de um quilo de maconha. José Mateus dos Reis Ribeiro, Sandy Andressa Santos Vogado e Maria das Graças Farias Paz foram presos em flagrante e conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Jacundá. Na abordagem, o suspeito pela morte fugiu por uma área de difícil acesso. (Antônio Barroso/Freelancer)

SAIBA MAIS

Participaram da ação os policiais civis Nelson e Israel, os militares sargento R. Marques, soldados Casseb e Orlando, e a guarnição de Jacundá composta pela sargento Vânia, sargento Serrão e soldado Hélio, e apreenderam 1 balança digital de precisão, 2 petecas de substâncias semelhantes a pedra de crack, 17 papelotes de substâncias semelhantes à maconha e 4 tabletes com cerca de 1,2 quilo de substância semelhante a maconha prensada.

Ads