Correio de Carajás

HMM tem duas alas para suspeitos de coronavírus

HMM Covid – Uma das alas do Hospital Municipal de Marabá preparadas para receber pacientes com covid-19
HMM Covid – Uma das alas do Hospital Municipal de Marabá preparadas para receber pacientes com covid-19
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O Hospital Municipal de Marabá (HMM) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) estão trabalhando em regime especial devido à pandemia do novo coronavírus. O HMM possui hoje duas áreas isoladas para atender os pacientes suspeitos de covid-19.

Uma dessas áreas abriga, atualmente, cinco leitos de UTI para atender pacientes com sintomas graves da doença. Além de mais 15 vagas para pacientes moderados. Segundo o gestor médico do HMM, Edinaldo Pereira Araújo, outras cinco UTIs passarão a funcionar em breve. “Foram comprados mais cinco leitos de UTI que chegam na quinta-feira (23)”, conta.

Edinaldo destaca que a referência para casos de coronavírus no município é o Hospital Regional e não o HMM. “Estamos atendendo todos, mas não somos a referência para o atendimento de covid-19. Nos preparamos bem e acredito que Marabá seja hoje a cidade do interior melhor preparada para enfrentar a covid, tanto de estrutura física, de EPIs, quanto número de profissionais”, sublinha.

Leia mais:

Como funciona?

O principal objetivo do plano de contenção montado pelo HMM é para que não haja pacientes com covid-19 ou suspeitos dentro do hospital. Por isso, a primeira área é apenas para a triagem. Qualquer paciente que chega com alguma sintomatologia respiratória, como falta de ar, tosse, febre, ou que tenha tido contato com infectados, não entra no hospital.

“Esse paciente pode ter vários destinos, de acordo com a análise do médico, pode voltar para casa, já com atestado médico, medicação, tudo certinho. Ou ir para a segunda área”, esclarece Edinaldo, explicando que esse outro espaço é onde estão os leitos de UTI, montados atrás do prédio do HMM. Nesse setor são recebidos os pacientes com sintomas mais graves.

“Recebe pacientes que já estão com dispneia, que precisam de soro, de terapia intensiva. Ele sai da primeira direto para a segunda área, a de covid-19. Com isso, o atendimento no resto do hospital segue normal para pacientes que não apresentam sintomas do coronavírus”, reitera.

Ambas as áreas dispõem de médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos.

Comentários

Mais

Presidente do Incra exalta reforma agrária

Presidente do Incra exalta reforma agrária

Presidente do Incra exalta reforma agrária Em seu discurso no evento em Marabá, o presidente do Incra, Geraldo Melo Filho,…
Começa hoje a vacinação da  população sem prioridade

Começa hoje a vacinação da população sem prioridade

Um mutirão de dois dias vai marcar o momento tão esperado pelos marabaenses: o início da vacinação contra a covid-19…
Dose extra de vacina é insuficiente para imunizar a população

Dose extra de vacina é insuficiente para imunizar a população

A Secretaria Municipal de Saúde de Canaã dos Carajás recebeu do Governo do Estado 3.140 doses de vacina contra o…
Venezuelanos acampados em praça recebem ‘ultimato’

Venezuelanos acampados em praça recebem ‘ultimato’

A administração pública de Parauapebas trabalha para resolver a situação dos indígenas venezuelanos da etnia Warao, que estão acampados há…
Tião Miranda pede que Bolsonaro ajude a duplicar 3 rodovias em Marabá

Tião Miranda pede que Bolsonaro ajude a duplicar 3 rodovias em Marabá

Logo após a execução do Hino Nacional, no Parque de Exposições, nesta sexta-feira, dia 18, o prefeito de Marabá, Tião…
Brasil aplica mais de 2,56 milhões de doses de vacina em 24 horas

Brasil aplica mais de 2,56 milhões de doses de vacina em 24 horas

O Brasil estabeleceu um novo recorde nesta quinta-feira (17) ao aplicar 2.561.553 doses de vacinas contra a covid-19 em 24…