Correio de Carajás

Guedes prevê manutenção do auxílio emergencial até setembro

"Estamos estudando um programa diferente, um fundo para erradicar a pobreza com a venda de empresas estatais. Vamos mandar os recursos para os pobres" Paulo Guedes, ministro da Economia/Foto: Edu Andrade/Ascom/ME - 5/3/21
"Estamos estudando um programa diferente, um fundo para erradicar a pobreza com a venda de empresas estatais. Vamos mandar os recursos para os pobres" Paulo Guedes, ministro da Economia/Foto: Edu Andrade/Ascom/ME - 5/3/21
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Pagamento do benefício, que terminaria em julho, poderá ser estendido por mais dois ou três meses. Ministro reafirma a intenção de criar um programa social para substituir o Bolsa Família e anuncia fundo de combate à pobreza com recurso das privatizações

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo pretende prorrogar o auxílio emergencial por mais dois ou três meses para garantir o benefício, pelo menos, até setembro, quando a expectativa do governo é de que a maioria da população adulta esteja vacinada. Cada mês adicional do benefício custará R$ 9 bilhões do Tesouro Nacional, segundo ele.

“O presidente Jair Bolsonaro é quem vai decidir o prazo. Primeiro, nesses dois ou três meses devemos aterrissar em um novo programa social que vai substituir o Bolsa Família”, afirmou Guedes, durante conferência virtual promovida pelo Bradesco BBI para investidores internacionais. “Renovando, agora, para os próximos dois meses, há uma clara noção de que, até o fim de setembro, toda a população adulta estará imunizada”, acrescentou Guedes, demonstrando otimismo com o avanço da vacinação em massa e das reformas estruturais no Poder Legislativo.

O ministro informou que o governo precisará de uma nova autorização do Congresso para emitir créditos extraordinários com o objetivo de financiar o programa, mas não em sua totalidade, porque existem R$ 7 bilhões do programa anterior que não foram utilizados. Com isso, se forem mais dois meses, o crédito adicional para despesas com a saúde que não estão sujeitos ao teto de gastos — emenda constitucional que limita o aumento de despesas à inflação do ano anterior — será de R$ 11 bilhões, em vez de R$ 18 bilhões, por exemplo.

Leia mais:

A nova rodada do auxílio emergencial começou a ser paga em abril por quatro meses, e a previsão do governo é desembolsar R$ 44 bilhões com o benefício, que tem um valor médio de R$ 250 nessa segunda etapa.

Guedes não deu detalhes do novo programa social, mas assegurou que ele será “conservador” e ficará “dentro do teto de gastos”. “Esse programa vai ser um Bolsa Família com mais pessoas e com um benefício maior”, afirmou o ministro, referindo-se ao valor médio de R$ 191 pago pelo programa atual, que tem mais de 14 milhões de famílias cadastradas.

Fundo

O ministro adiantou, ainda, que o governo estuda a criação de um fundo para erradicação da pobreza custeado com recursos arrecadados de privatizações. “Estamos estudando um programa diferente, um fundo para erradicar a pobreza com a venda de empresas estatais. Vamos mandar os recursos para os pobres”, disse.

Segundo ele, essa proposta vai derrubar as críticas da oposição de que o governo está vendendo as riquezas do país com as privatizações. “Vamos responder que não estávamos roubando, mas dando para a população com o fundo para erradicar a pobreza. Ainda estamos estudando a criação desse fundo”, acrescentou ele, criticando o fato de o governo gastar R$ 20 bilhões por ano com estatais dependentes, que não dão lucro e que, a cada sete anos, “custam praticamente uma Petrobras” para os cofres públicos.

Eletrobras
O ministro disse que a expectativa dele é de que, até a semana que vem, o Senado Federal aprove a Medida Provisória nº 1.031/2021, que trata da privatização da Eletrobras. Contudo, a matéria, aprovada pela Câmara no mês passado, vem encontrando resistência entre os senadores, porque tem jabutis (emendas não relacionadas ao tema principal da proposta) que devem aumentar o custo da energia para empresas e para o consumidor. Um deles, por exemplo, cria subsídios para termelétricas a gás e obriga a contratação de usinas em regiões onde não há gasodutos.

“Estamos bastante otimistas de que o Senado deverá aprovar a medida até a próxima semana. E isso será um importante sinal de que o Brasil está no trilho correto”, acrescentou Guedes, referindo-se à privatização da Eletrobras como a mais importante da agenda de desestatização deste ano, que inclui, também, os Correios.

Paulo Guedes afirmou, ainda, que as perspectivas para a economia brasileira são favoráveis e disse acreditar que as reformas tributária e administrativa devem avançar “nos próximos três a quatro meses”. No caso da administrativa, deu uma nova previsão de economia de gastos para o governo: R$ 200 bilhões em 10 anos. Ele considerou que, devido à digitalização dos serviços, a cada 100 servidores que se aposentam, a contratação de novos funcionários será 25% menor a cada ano.

O ministro comemorou, ainda, as novas estimativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. “A percepção inicial, de alta de 3%, no começo do ano, está subindo e está, atualmente, entre 4% e 5%. Estamos certamente mais felizes com as previsões que estão vindo”, afirmou. (Correio Braziliense)

Comentários

Mais

Foragido de Santa Catarina é preso em Marabá

Foragido de Santa Catarina é preso em Marabá

Acusado de homicídio culposo (morte no trânsito), na região sul do País, o indivíduo Rodrigo Pereira da Taveira foi pra…
Carro em alta velocidade e cheio de cocaína é apreendido em Marabá

Carro em alta velocidade e cheio de cocaína é apreendido em Marabá

Mais uma vez, os cães farejadores da Guarda Municipal de Marabá entraram em ação e conseguiram localizar drogas em Marabá.…
Procurada por tráfico no Maranhão é presa em Marabá

Procurada por tráfico no Maranhão é presa em Marabá

Procurada pelo Poder Judiciário do vizinho Estado do Maranhão, Hilda Queiroz dos Santos foi parar atrás das grades em Marabá.…
Acidente deixa mulher gravemente ferida na Faruk Salmen

Acidente deixa mulher gravemente ferida na Faruk Salmen

No fim da tarde desta quinta-feira (20), um acidente grave colocou a vida de Ana Clara Morais Brabo em risco,…
Homem é morto com três tiros na frente da esposa e do filho

Homem é morto com três tiros na frente da esposa e do filho

Um homem foi executado com três tiros na frente da esposa e do filho. Fernando de Oliveira, de 30 anos,…
PC prende, em Marabá, quadrilha que torturava homem há 4 dias

PC prende, em Marabá, quadrilha que torturava homem há 4 dias

Na tarde desta quinta-feira (20), a Polícia Civil conseguiu impedir a execução de uma pessoa pelo “tribunal do crime” de…