Correio de Carajás

Governo declara linhão de Tucuruí interesse nacional

Foto: reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O governo Jair Bolsonaro decidiu declarar o linhão de Tucuruí um empreendimento de infraestrutura de interesse da política de defesa nacional. O projeto visa criar uma linha de transmissão para ligar Roraima ao sistema interligado de abastecimento de energia elétrica. O tema foi discutido nesta quarta-feira (27) na reunião do Conselho de Defesa Nacional, órgão que reúne o presidente da República, os presidentes da Câmara, do Senado e do STF (Supremo Tribunal Federal), além de ministros e dos chefes das Forças Armadas.

A ideia é justificar o enquadramento utilizando a crise política e social que assola a Venezuela. Como Roraima é o único estado que não está conectado ao SIN (Sistema Interligado Nacional), o estado compra mais de 50% da sua energia elétrica de uma empresa venezuelana. A energia vem da hidrelétrica de Guri, no país vizinho. Ao declarar o linhão de Tucuruí como obra de interesse nacional, o presidente pretende acelerar o projeto.

Segundo o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, com a decisão, o governo “promove a defesa e a soberania nacional”. A obra –cuja previsão inicial era de início em 2011 e conclusão em 2015– ainda não começou em razão de conflitos judiciais e problemas na obtenção de licenças ambientais, especialmente por cruzar uma área indígena. A expectativa é que, com isso, a construção da obra possa efetivamente ser iniciada com uma tramitação mais simplificada.

Leia mais:

Rêgo Barros afirmou que, com a decisão, o governo estima dar início à construção do linhão em julho e espera concluí-la em três anos. O porta-voz não soube detalhar que tipo de simplificações serão feitas no projeto e negou que o governo queira cortar etapas do licenciamento ambiental. Segundo ele, as questões indígenas e ambientais serão consideradas, mas dentro do interesse de soberania nacional.

“As questões ambientais serão consideradas, mas estarão num bojo maior, que é da soberania nacional e de levar principalmente estado de Roraima a energia que produzimos no coração do país e evitar que aquele estado venha a sofrer uma crise”, disse. O estado fronteiriço depende de energia do país vizinho. O governo monitora para evitar uma crise de desabastecimento, mas avalia que a Venezuela não deve suspender o fornecimento de energia porque ela é fonte de recursos que recebe diante da escassez de recursos.

Fonte: FolhaPress

Comentários

Mais

Pfizer lança testes para vacina contra a gripe com RNA mensageiro

Pfizer lança testes para vacina contra a gripe com RNA mensageiro

A farmacêutica Pfizer anunciou que aplicou as primeiras injeções para avaliar em humanos uma vacina contra a gripe utilizando RNA mensageiro,…
Embrapa lança o primeiro curso on-line sobre o cultivo do açaí em terra firme

Embrapa lança o primeiro curso on-line sobre o cultivo do açaí em terra firme

A Embrapa Amazônia Oriental disponibiliza a partir de quarta-feira (29) na  vitrine virtual e-Campo, o primeiro curso sobre o cultivo do…
Movimento ocupa escola à espera de auxílio da Prefeitura de Parauapebas

Movimento ocupa escola à espera de auxílio da Prefeitura de Parauapebas

Após uma reintegração de posse, realizada na última quinta-feira (23) em área próxima a nona fase de implantação do projeto…
Equatorial Pará realiza a troca de 100 geladeiras em Marabá

Equatorial Pará realiza a troca de 100 geladeiras em Marabá

A partir desta terça-feira (28), os moradores de Marabá, vão poder se cadastrar para concorrer a geladeiras novas e mais…
Pará recebe mais 190.710 mil doses de Pfizer nesta terça-feira (28)

Pará recebe mais 190.710 mil doses de Pfizer nesta terça-feira (28)

O Pará recebeu na madrugada desta terça (28) a 91ª remessa de vacinas contra a Covid-19 enviada pelo Ministério da…
Assembleia: Encerrada com sucesso a 3ª edição do Forma Alepa

Assembleia: Encerrada com sucesso a 3ª edição do Forma Alepa

Com o compromisso de promover o conhecimento e a capacitação de prefeitos, vereadores e servidores públicos, a Escola do Legislativo,…