Correio de Carajás

Giro pela cultura de Parauapebas

1 – Movimento Ocupa CDC em Parauapebas

Aconteceu no último dia 22 de junho, às 18 horas, no Centro Cultural CDC em Parauapebas mais uma reunião do movimento cultural #OcupaCDC. O movimento foi criado a partir da notícia que circulou na cidade de que o CDC seria demolido para dar lugar a um estacionamento, que visa atender às demandas dos comerciantes da cidade. Localizado na região central de Parauapebas o espaço é um lugar de referência quando o assunto é cultura na cidade. Já foi palco de inúmeras atividades culturais, além de simbolizar a resistência e a multiculturalidade da região de Carajás.

Assim, surgiu um movimento que em um primeiro momento teve sua articulação pelas redes sociais. Após esta efervescência, um coletivo de pessoas se organizou para o encaminhamento de reuniões que estão acontecendo pré realização de uma virada cultural, agendada para o início de agosto. Na última reunião, Djair Oliveira, que representa o movimento musical, liderou o debate com a participação de alguns segmentos culturais tais como cinema, dança, literatura e teatro. A ideia é criar uma programação / virada cultural com a ocupação total do espaço. Uma proposta de três dias foi a mais votada entre os participantes. Apresentações de dança, teatro, música, palestras, oficinas e intervenções artísticas estão programadas.

Leia mais:

De acordo com Djair Oliveira a proposta é ir além de um movimento de ocupação, é criar uma articulação entre os atores culturais da cidade, fortalecendo o movimento e ganhando cada vez mais espaços e força dentro do contexto regional. Num futuro mais adiante está no radar a ampliação da comunicação e laços com as cidades vizinhas como Marabá, Eldorado, Canaã e Xinguara. 

“O movimento #OcupaCDC vem neste momento trazer a importância do CDC para Parauapebas, apresentar o estado em que ele se encontra e como é fundamental ter um espaço público para utilização da população com políticas públicas culturais de qualidade. Um espaço não invalida outro, foi unanimidade entre todos. Por mais que possa surgir outros lugares na cidade. A importância histórica e social e o legado do CDC são a grande questão. O local não pode ficar restrito aos moldes de eventos particulares que tem predominado nos últimos anos para o seu fim. Precisamos de muito mais”, conclui o músico.   

 

2 – Céus de Abril no Eixo Norte da Música Brasileira

Você aí já conhece o som da turma da Céus de Abril?

Fique ligado que eles são da região e tem um som super maneiro de rock. A banda desembarcou no último final de semana nas principais capitais da região Norte –  Belém e Manaus – para duas apresentações. Na sexta, dia 23/06, subiram ao palco do Ziggy Hostel Club em Belém em mais uma edição das noites insanas do hostel.

Já no sábado, dia 24/06, desembarcaram em Manaus para uma apresentação no Les Artistes Café Teatro. Programação esta referente ao Dia da Música no Palco Noites do Norte. A banda aos poucos vem construindo sua trajetória na cena musical. Sempre primando pela música autoral e com trabalhos já disponíveis nas principais plataformas de música na internet. Já se apresentaram na décima primeira edição do Festival Se Rasgum (PA) e com propostas de circulação em outros espaços além do regional.

A banda é composta por Wilson Alencar (voz / guitarra), Renato Araújo (Baixo), Homer Serejo (Voz e Sintetizadores) e Aluízio Netto (Bateria). Com o EP – Último Adeus e o single – Regando Lírio já lançados. O gênero é o shoegaze, noize and dreampop.  

 

3 – Dona Onete emociona fãs em Parauapebas

Festival Jeca Tatu em Parauapebas encerrou no último domingo, dia 25/06, com show de Dona Onete e levou o público ao delírio. Nos bastidores era uma emoção só. Vários membros de grupos de Carimbó local e fãs de Dona Onete se apertavam para uma foto ou ganhar um carinho da diva do Carimbó Chamegado.

Com muito carinho ela atendeu a todos e em entrevista no camarim ressaltava a importância da valorização da nossa cultura local, como exemplo, o Carimbó. No meio do show declarou que a emoção do público dará força para ela atravessar o Atlântico e ir cantar do outro lado do mundo.   

A apresentação fez parte da turnê do último álbum, #Bazeiro, que tá arrebatando tudo, com música na novela, clipe de “No meio do Pitiú” explodindo de views no YouTube, shows marcados para a Europa e indicação dessa preta ao Prêmio da Música Popular Brasileira Edição 2017, na categoria  Melhor Cantora Regional. O show foi uma sequência de sucessos e ritmos. Teve muito Boi, Carimbó, Chamegado, Guitarrada, Boleros e sons Paraenses. Entre os grandes sucessos, Dona Onete levantou o público com as músicas Jamburana, Feitiço Caboclo, Moreno Morenado, Banzeiro, No Meio do Pitiú, Proposta Indecente, No Sabor do Beijo e Tipiti.

 

1 – Movimento Ocupa CDC em Parauapebas

Aconteceu no último dia 22 de junho, às 18 horas, no Centro Cultural CDC em Parauapebas mais uma reunião do movimento cultural #OcupaCDC. O movimento foi criado a partir da notícia que circulou na cidade de que o CDC seria demolido para dar lugar a um estacionamento, que visa atender às demandas dos comerciantes da cidade. Localizado na região central de Parauapebas o espaço é um lugar de referência quando o assunto é cultura na cidade. Já foi palco de inúmeras atividades culturais, além de simbolizar a resistência e a multiculturalidade da região de Carajás.

Assim, surgiu um movimento que em um primeiro momento teve sua articulação pelas redes sociais. Após esta efervescência, um coletivo de pessoas se organizou para o encaminhamento de reuniões que estão acontecendo pré realização de uma virada cultural, agendada para o início de agosto. Na última reunião, Djair Oliveira, que representa o movimento musical, liderou o debate com a participação de alguns segmentos culturais tais como cinema, dança, literatura e teatro. A ideia é criar uma programação / virada cultural com a ocupação total do espaço. Uma proposta de três dias foi a mais votada entre os participantes. Apresentações de dança, teatro, música, palestras, oficinas e intervenções artísticas estão programadas.

De acordo com Djair Oliveira a proposta é ir além de um movimento de ocupação, é criar uma articulação entre os atores culturais da cidade, fortalecendo o movimento e ganhando cada vez mais espaços e força dentro do contexto regional. Num futuro mais adiante está no radar a ampliação da comunicação e laços com as cidades vizinhas como Marabá, Eldorado, Canaã e Xinguara. 

“O movimento #OcupaCDC vem neste momento trazer a importância do CDC para Parauapebas, apresentar o estado em que ele se encontra e como é fundamental ter um espaço público para utilização da população com políticas públicas culturais de qualidade. Um espaço não invalida outro, foi unanimidade entre todos. Por mais que possa surgir outros lugares na cidade. A importância histórica e social e o legado do CDC são a grande questão. O local não pode ficar restrito aos moldes de eventos particulares que tem predominado nos últimos anos para o seu fim. Precisamos de muito mais”, conclui o músico.   

 

2 – Céus de Abril no Eixo Norte da Música Brasileira

Você aí já conhece o som da turma da Céus de Abril?

Fique ligado que eles são da região e tem um som super maneiro de rock. A banda desembarcou no último final de semana nas principais capitais da região Norte –  Belém e Manaus – para duas apresentações. Na sexta, dia 23/06, subiram ao palco do Ziggy Hostel Club em Belém em mais uma edição das noites insanas do hostel.

Já no sábado, dia 24/06, desembarcaram em Manaus para uma apresentação no Les Artistes Café Teatro. Programação esta referente ao Dia da Música no Palco Noites do Norte. A banda aos poucos vem construindo sua trajetória na cena musical. Sempre primando pela música autoral e com trabalhos já disponíveis nas principais plataformas de música na internet. Já se apresentaram na décima primeira edição do Festival Se Rasgum (PA) e com propostas de circulação em outros espaços além do regional.

A banda é composta por Wilson Alencar (voz / guitarra), Renato Araújo (Baixo), Homer Serejo (Voz e Sintetizadores) e Aluízio Netto (Bateria). Com o EP – Último Adeus e o single – Regando Lírio já lançados. O gênero é o shoegaze, noize and dreampop.  

 

3 – Dona Onete emociona fãs em Parauapebas

Festival Jeca Tatu em Parauapebas encerrou no último domingo, dia 25/06, com show de Dona Onete e levou o público ao delírio. Nos bastidores era uma emoção só. Vários membros de grupos de Carimbó local e fãs de Dona Onete se apertavam para uma foto ou ganhar um carinho da diva do Carimbó Chamegado.

Com muito carinho ela atendeu a todos e em entrevista no camarim ressaltava a importância da valorização da nossa cultura local, como exemplo, o Carimbó. No meio do show declarou que a emoção do público dará força para ela atravessar o Atlântico e ir cantar do outro lado do mundo.   

A apresentação fez parte da turnê do último álbum, #Bazeiro, que tá arrebatando tudo, com música na novela, clipe de “No meio do Pitiú” explodindo de views no YouTube, shows marcados para a Europa e indicação dessa preta ao Prêmio da Música Popular Brasileira Edição 2017, na categoria  Melhor Cantora Regional. O show foi uma sequência de sucessos e ritmos. Teve muito Boi, Carimbó, Chamegado, Guitarrada, Boleros e sons Paraenses. Entre os grandes sucessos, Dona Onete levantou o público com as músicas Jamburana, Feitiço Caboclo, Moreno Morenado, Banzeiro, No Meio do Pitiú, Proposta Indecente, No Sabor do Beijo e Tipiti.

 

Comentários

Mais

Sobre a “fraqueza” e as dores

Sobre a “fraqueza” e as dores

Vivemos num tempo de eventos estranhos. Aprendemos que o fracasso é proibido. Só a vitória é permitida; perder é para…
Paciente Cirúrgico IV

Paciente Cirúrgico IV

Finalmente concluindo a coluna com o tema Paciente Cirúrgico. O exame completo do paciente cirúrgico inclui o exame físico, determinados…
Os EUA vão taxar os lucros bilionários das empresas em 15%. E se fosse no Brasil?

Os EUA vão taxar os lucros bilionários das empresas em 15%. E se fosse no Brasil?

No dia 7 de agosto (domingo), o senado estadunidense aprovou o maior pacote econômico, até agora, da administração Biden. O…
Do Melhoral infantil ao terror da Benzetacil

Do Melhoral infantil ao terror da Benzetacil

Quando o peito da menina piava, era certeza de crise asmática. Só faltava morrer sem fôlego. ”Forgo”. Encostava o umbigo…
Paciente Cirúrgico III

Paciente Cirúrgico III

Dando continuidade ao tema paciente cirúrgico, existe uma clara consciência mundial que o paciente desfavorecido por desnutrição responde de forma…
Três vicissitudes para entender Ademir Braz

Três vicissitudes para entender Ademir Braz

Ninguém veio para ser eterno, mas algumas pessoas poderiam ficar por mais tempo na vida. Pelo menos enquanto ainda tivessem…