Correio de Carajás

Funk, bebedeira e mais uma mulher espancada

Luciana mostra as marcas da violência provocadas pela agressão que sofreu do companheiro/ Fotos: Josseli Carvalho
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Entre os casos de violência doméstica registrados em Marabá nas últimas 48 horas está o episódio em que Antônio Pereira Sobral é acusado de agredir fisicamente a companheira dele, Luciana do Socorro Cajueiro do Nascimento. Duas coisas chamam atenção nesse caso: o primeiro é que o acusado já é reincidente e o segundo é que o casal costuma se embriagar com muita frequência mesmo tendo cinco crianças para cuidar.

O crime se registrou por volta das 22 horas da última terça-feira (21), quando a Polícia Militar foi acionada para atender a uma ocorrência de violência doméstica no núcleo Cidade Nova. Chegando ao local encontraram a vítima em frente à casa e o acusado dentro da residência. Os dois – visivelmente embriagados – foram levados para a 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil para os procedimentos cabíveis.

Luciana contou aos policiais que estava bebendo junto com Antônio e os vizinhos e, em determinado momento, quando ela dançava funk com amigos e amigas, ele pediu para que ela parasse, como a mulher não atendeu ao “comando” do marido, ele a puxou pelos cabelos por duas vezes e depois jogou-a no chão e passou a lhe aplicar chutes, sendo contido pelos vizinhos que presenciaram a cena lamentável e impediram que a sessão de espancamento continuasse.

Leia mais:
Antônio Sobral não conseguia nem falar direito de tão bêbado que estava

Na delegacia, a reportagem do CORREIO não conseguiu falar com o acusado porque ele não apresentava a mínima condição de manter um diálogo. Já a vítima, mesmo estando bastante bêbada, confirmou toda a agressão.

Embora ela tratasse a situação como uma brincadeira – pelo jeito que se expressava – confirmou que já tinha sido agredida outras vezes e disse que gostaria de ser tratada com mais carinho pelo companheiro. “Eu não sou tratada assim”, reclamou.

Perguntada se ela iria realmente fazer todos os procedimentos contra o companheiro e que ele seria preso, Luciana foi enfática: “Vou, porque ele acostumado demais, moço!”.

Ouvido pela reportagem do CORREIO, o sargento A. Matos, do Grupamento Tático Operacional (GTO), disse que foi acionado por telefone para atender a uma denúncia de violência policial e se deparou com a situação do casal completamente embriagado e com cinco crianças para cuidar. “São dois irresponsáveis”, resumiu o policial, acrescentando que as crianças ficaram com um vizinho do casal. (Chagas Filho cm informações der Josseli Carvalho)

 

 

Comentários

Mais

Defensores de empresários e advogado falam sobre prisões em Parauapebas

Defensores de empresários e advogado falam sobre prisões em Parauapebas

Os advogados Geovane Oliveira Junior e Abraunienes Faustino de Sousa concederam entrevistas na tarde desta quarta-feira (23) se posicionando sobre…
Empresários e advogado são presos por prostituição de adolescentes em Parauapebas

Empresários e advogado são presos por prostituição de adolescentes em Parauapebas

A Polícia Civil cumpriu mandados de prisão contra os empresários Mauro de Souza Davi, o Marola, que atua na promoção…
Homem é preso por porte ilegal de arma e tráfico de drogas

Homem é preso por porte ilegal de arma e tráfico de drogas

Um homem foi preso por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de entorpecentes em Redenção, sul do Estado.…
PM é recebida a tiros após desarticular ponto de drogas em Marabá

PM é recebida a tiros após desarticular ponto de drogas em Marabá

A Polícia Militar de Marabá foi recebida a tiros por suspeitos de tráfico de drogas no início da noite de…
Moedas do Brasil Império são apreendidas pela PF no Pará

Moedas do Brasil Império são apreendidas pela PF no Pará

A Polícia Federal apreendeu na manhã desta quarta-feira (23) moedas datadas da época do Brasil Império que foram encontradas por…
MP Eleitoral pede ao TSE cassação do senador Zequinha Marinho

MP Eleitoral pede ao TSE cassação do senador Zequinha Marinho

O Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) recorreu nesta segunda-feira (21) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília (DF), contra decisão…