Correio de Carajás

‘Freteiro’ é executado a tiros após mudança no Cidade Jardim

Policiais civis e peritos do Instituto Médico Legal buscam pistas no local do crime/ Foto: Josseli Carvalho
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nilvan Joaquim dos Santos, de 41 anos, que trabalhava como mototaxista e também fazia fretes com uma caminhonete F-4.000, foi assassinado no início da noite de ontem (18), logo após fazer um frete no Cidade Jardim. Nilvan, que tinha o apelido pejorativo de “Fede a merda”, foi executado com vários tiros por um criminoso que estava de moto e possivelmente tinha um comparsa.

A primeira autoridade policial a chegar ao local do crime foi a guarnição do sargento C. Araújo, da Polícia Militar. Ele disse ter recebido uma chamada pelo Núcleo Integrado de Operações Policiais (NIOP-190) com a informação de que moradores da Cidade Jardim teriam ouvido disparos de arma de fogo. Ao chegar ao local, na Rua D-10, os militares encontraram o corpo no chão perto da caminhonete.

Ainda de acordo com o militar, o proprietário da casa disse que a vítima fez uma mudança para ele e, após tirar os objetos que estavam no baú da caminhonete, Nilvan foi fechar o veículo, momento em que foi alvejado por vários tiros. Obviamente assustado, o dono da residência diz que, quando ouviu os disparos, correu para dentro de casa e só saiu quando a polícia chegou.

Leia mais:

Muito possivelmente o criminoso já estava à espreita, observando a vítima, e esperou o momento oportuno para tirar-lhe a vida. Os vizinhos ouviram vários tiros, depois houve uma pequena pausa e logo em seguida mais dois tiros foram efetuados.

Investigadores do Departamento de Homicídios estiveram no local do crime colhendo as primeiras informações. Um filho da vítima compareceu ao local logo depois do crime e prestou algumas informações informalmente, mas certamente será ouvido no decorrer dos próximos dias.

A vítima

Nilvan costumava fazer ponto de mototaxista no Km 6, onde também mantinha sua caminhonete de fretes. Ele já tinha se metido em pelo menos duas confusões – que foram noticiadas pelo CORREIO – com outros mototaxistas.

Nilvan foi parar na delegacia, em 2017, por causa de uma briga com outro mototaxi

Além disso, a reportagem apurou que algum tempo atrás ele foi alvo de uma tentativa de assalto, mas conseguiu, com ajuda de outra pessoa, dominar os ladrões que queriam roubar sua caminhonete e entrega-lo à Polícia.

Outra informação que a reportagem colheu, pesquisando a página do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), é que Nilvan era réu em um processo de violência doméstica e também estava indicado por crimes de trânsito. (Chagas Filho e Josseli Carvalho)

Comentários

Mais

Equatorial Pará acompanha operação da Polícia Civil no combate ao furto de energia

Equatorial Pará acompanha operação da Polícia Civil no combate ao furto de energia

A Equatorial Energia Pará, distribuidora de energia do Estado, ofereceu apoio às equipes da Polícia Civil, que estão atuando durante…
Populares capturam ladrão de moto no Betânia

Populares capturam ladrão de moto no Betânia

Um furto na Rua Matusalém, no bairro Betânia, em Parauapebas, deu errado para o autor, Eldione da Silva Farias, que…
Traficante da bike é preso no Bairro da Paz

Traficante da bike é preso no Bairro da Paz

A Polícia Militar realizou a prisão de Leonardo de Jesus Carvalho, de 22 anos, que estava traficando maconha em uma…
Valentão agride mulher, mas se esconde nos fundos da casa quando a polícia chega

Valentão agride mulher, mas se esconde nos fundos da casa quando a polícia chega

No dia de ontem, quarta-feira (24), a Polícia Militar atendeu a uma ocorrência de violência doméstica, que ocorreu na Rua…
Dupla de assaltantes é presa no Bairro Liberdade, em Marabá

Dupla de assaltantes é presa no Bairro Liberdade, em Marabá

Na noite desta quarta-feira (24), a Polícia Militar fazia rondas nas proximidades da Rua Orlando Solino, no Bairro Liberdade, Núcleo…
João de Deus é condenado a mais 44 anos de prisão por estupro

João de Deus é condenado a mais 44 anos de prisão por estupro

João de Deus foi condenado a 44 anos de prisão por estupro contra duas mulheres e estupro de vulnerável contra outras…