Correio de Carajás

Feiras de artesanato crescem e geram emprego e renda

Ulisses Pompeu

 

Os produtores de artesanatos de Marabá podem comemorar. Eles estão conseguindo alcançar um público diversificado na cidade e têm lugar cativo pelo menos dois dias na semana.

Leia mais:

A Prefeitura de Marabá tem contribuído, através da Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp), oferecendo logística para que duas feiras aconteçam semanalmente. Na Marabá Pioneira, há dois anos, foi criada uma feira na Praça Duque de Caxias, onde produtores de artesanatos e comidas regionais oferecem uma diversidade de produtos para os visitantes.

Com as mesmas características, há um ano, a Prefeitura incentivou a criação de uma outra feira, no estacionamento de veículos entre as duas vias da VP-8, entre as folhas 28 e 31, Nova Marabá. Ela funciona toda quinta-feira, a partir de 18 horas, e o número de expositores vem crescendo, segundo informa o coordenador, Hildo Tavares, que é servidor público da Seasp.

Ele explica que o projeto iniciou com a antiga SEMAC (Secretaria de Ações Comunitárias) e foi absorvido pela Seasp, que oferece a estrutura logística para que os feirantes possam expor seus trabalhos. Segundo ele, há, atualmente, cerca de 100 produtores cadastrados, e a cada evento pelo menos 50 estão com barracas armadas e com produtos em exposição. “É mais que uma exposição. É também a valorização do trabalho deles, gerando emprego e renda. A Seasp dá apoio logístico e a comunidade passa a valorizar produtos feitos na própria comunidade”, observa.

Hildo Tavares diz ainda que a Seasp firmou uma parceria com o Pátio Shopping Marabá, que recebe a feira dos artesãos todos os sábados, o que tem contribuído para alavancar as vendas e ainda a difundir o trabalho de cada um. “Além de artesanato, eles levam alimentos regionais caseiros, plantas ornamentais e plantas medicinais. Agora, outras entidades estão nos procurando para que a feira seja levada a seus eventos. Já temos agenda para a Expoama, faculdades e até veículos de comunicação”, comemora Tavares.

Na última quinta-feira, 15, por exemplo, a feira recebeu a atração de duas quadrilhas juninas. Jovens da “Fuá da Conceição” se apresentaram, além dos idosos do Projeto Conviver, mantido pela própria Seasp.

 

Ulisses Pompeu

 

Os produtores de artesanatos de Marabá podem comemorar. Eles estão conseguindo alcançar um público diversificado na cidade e têm lugar cativo pelo menos dois dias na semana.

A Prefeitura de Marabá tem contribuído, através da Secretaria Municipal de Assistência Social (Seasp), oferecendo logística para que duas feiras aconteçam semanalmente. Na Marabá Pioneira, há dois anos, foi criada uma feira na Praça Duque de Caxias, onde produtores de artesanatos e comidas regionais oferecem uma diversidade de produtos para os visitantes.

Com as mesmas características, há um ano, a Prefeitura incentivou a criação de uma outra feira, no estacionamento de veículos entre as duas vias da VP-8, entre as folhas 28 e 31, Nova Marabá. Ela funciona toda quinta-feira, a partir de 18 horas, e o número de expositores vem crescendo, segundo informa o coordenador, Hildo Tavares, que é servidor público da Seasp.

Ele explica que o projeto iniciou com a antiga SEMAC (Secretaria de Ações Comunitárias) e foi absorvido pela Seasp, que oferece a estrutura logística para que os feirantes possam expor seus trabalhos. Segundo ele, há, atualmente, cerca de 100 produtores cadastrados, e a cada evento pelo menos 50 estão com barracas armadas e com produtos em exposição. “É mais que uma exposição. É também a valorização do trabalho deles, gerando emprego e renda. A Seasp dá apoio logístico e a comunidade passa a valorizar produtos feitos na própria comunidade”, observa.

Hildo Tavares diz ainda que a Seasp firmou uma parceria com o Pátio Shopping Marabá, que recebe a feira dos artesãos todos os sábados, o que tem contribuído para alavancar as vendas e ainda a difundir o trabalho de cada um. “Além de artesanato, eles levam alimentos regionais caseiros, plantas ornamentais e plantas medicinais. Agora, outras entidades estão nos procurando para que a feira seja levada a seus eventos. Já temos agenda para a Expoama, faculdades e até veículos de comunicação”, comemora Tavares.

Na última quinta-feira, 15, por exemplo, a feira recebeu a atração de duas quadrilhas juninas. Jovens da “Fuá da Conceição” se apresentaram, além dos idosos do Projeto Conviver, mantido pela própria Seasp.

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.