Correio de Carajás

Embrapa realiza curso de meliponicultura em Marabá

Foto: reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O manejo de abelhas nativas sem ferrão é tema de curso que a Embrapa Amazônia Oriental realiza nos dias 5 e 6 de dezembro, em Marabá. É a primeira capacitação do projeto Agrobio na região, que visa gerar renda e aumentar a produtividade dos agricultores familiares na Amazônia Legal.

A capacitação ocorre na sede do Instituto Federal Rural de Marabá, parceiro do projeto e tem como público prioritário, alunos de cursos técnicos da instituição, em grande parte, filhos de agricultores de assentamentos da região, além de agentes de assistência técnica.

O Agrobio  (Abelhas, variedades crioulas e bioativos agroecológicos: conservação e prospecção da biodiversidade para gerar renda aos agricultores familiares na Amazônia Legal) é um dos 11 projetos com recursos do Fundo Amazônia que a Embrapa está implemento no sudeste paraense, região eleita para receber todas as ações no Pará. Nesta primeira etapa, leva à Marabá as tecnologias geradas ou melhoradas pela Embrapa, aplicadas à cadeia produtiva de abelhas  sem ferrão, com o objetivo de gerar e melhorar a renda dos produtores, com aumento de produtividade das culturas agrícolas nos assentamentos e novas opções de negócios a partir dos produtos e subprodutos da meliponicultura, como o mel e a própolis, conforme explicou o gestor do projeto, o pesquisador  Daniel Santiago.

Leia mais:

Ainda de acordo com o pesquisador, o Agrobio teve início no segundo semestre de 2018 e atua em três frentes convergentes que reúne a meliponicultura (criação de abelhas nativas sem ferrão), o levantamento e cultivo de variedades crioulas, nesse caso, as plantas alimentícias não convencionais (Pancs) e a identificação de potenciais bioativos oriundos dessas duas atividades.

Além das capacitações, o projeto irá instalar Unidades Demonstrativas na área de assentamento, que servirão como vitrines tecnológicas das tecnologias da Embrapa para a região, como por exemplo a criação de abelhas para a potencialização do desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do açaí e da meliponicultura. “A meliponicultura não visa apenas a produção de mel e derivados, mas a presença de colmeias junto as lavouras  e pomares potencializam a produção de frutos, hortaliças e até grãos”, enfatizou o pesquisador.

O Agrobio é um dos 19 projetos em fase de execução que compõem o Projeto Integrado para a Produção e Manejo Sustentável do Bioma Amazônia, financiado pelo Fundo Amazônia, operacionalizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Um dos princípios do Fundo é a convergência de ações do Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal – PPCDAM e dos Planos Estaduais de Prevenção e Combate ao Desmatamento em áreas prioritárias de ação governamental.

A Embrapa e parceiros atuam em todos os estados da Amazônia Legal com o objetivo de reduzir o desmatamento e promover a preservação e o uso sustentável dos recursos naturais, a partir do fortalecimento da agricultura familiar da região. No Pará, a Embrapa elegeu o sudeste paraense e a região irá receber ações de dez projetos diferentes com dezenas de atividades em diversas cadeias agropecuárias.

Programação

Curso Básico de meliponicultura em Marabá-PA

Objetivo: Nivelamento do conhecimento no manejo de Abelhas Nativas Sem Ferrão (ASF) para técnicos, extensionistas e multiplicadores.

Ministrantes: Anderson Schwamke – Técnico Agrícola / Engº Agrônomo e Daniel Santiago Pereira – Técnico Agrícola / Engenheiro Agrônomo

Carga horária: 16 horas

Data: 05 e 06/12/2018

Local: IFPA Marabá-Rural  Endereço: Km 25, BR-155, S/N – Complemento: “Assentamento 26 de março”, sentido “Marabá-Eldorado dos Carajás”, Zona Rural.

PROGRAMAÇÃO

05/12 (Quarta) – Morfologia das abelhas sem ferrão, organização social, desenvolvimento; arquitetura do ninho e diversidade; Produtos das abelhas: Mel, Pólen, Própolis; Serviços  ambientais: Polinização;  Modelos de caixas e meliponário.

06/12 (Quinta) – Captura de enxames; Divisão de colméias: divisão simples, formação de mini-colônias; Escolha de local e instalação de meliponários; Inimigos naturais: prevenção e controle; Manejo: revisão, alimentação artificial, limpeza; Coleta de mel e outros produtos das abelhas sem ferrão.

(Divulgação Embrapa)

Comentários

Mais

DIREITO DE RESPOSTA

DIREITO DE RESPOSTA

A empresa Carreta Furacão, situada na cidade de São Paulo, entrou em contato com o Portal CORREIO DE CARAJÁS e…
Anvisa pede inclusão de eventos adversos na bula da vacina da Janssen

Anvisa pede inclusão de eventos adversos na bula da vacina da Janssen

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) requereu à farmacêutica estadunidense Janssen e a sua representante no Brasil Cilag a…
Vídeo omite ações de governos anteriores para exaltar obras de Bolsonaro na Transamazônica

Vídeo omite ações de governos anteriores para exaltar obras de Bolsonaro na Transamazônica

Enganoso UOL Poder360 Correio do Estado A Gazeta (ES) Folha GZH CORREIO (BA) BandNews FM EstadãoVídeo engana ao indicar que…
Luiza Trajano entra na lista de 100 pessoas mais influentes da Time

Luiza Trajano entra na lista de 100 pessoas mais influentes da Time

A presidente do conselho de administração da rede varejista Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, entrou para a lista das 100…
Produtores celebram safra e doam melancias à merenda escolar

Produtores celebram safra e doam melancias à merenda escolar

A Associação de Hortifrutigranjeiros, Pescadores e Ribeirinhos de Marabá, localizada na comunidade Boa Esperança, distante 15 quilômetros, próximo à região…
MEC autoriza escolas a usarem verbas do PDDE para aulas presenciais

MEC autoriza escolas a usarem verbas do PDDE para aulas presenciais

Uma resolução do Ministério da Educação publicada no Diário Oficial da União de hoje (17) autoriza os gestores das escolas públicas de educação básica…