Correio de Carajás

Em Marabá, prêmio de Literatura contempla escritores de todo o Brasil

Airton: “Neste ano recebemos mais de 430 inscrições” / Foto: Arquivo-Correio
Airton: “Neste ano recebemos mais de 430 inscrições” / Foto: Arquivo-Correio
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Idealizado pelo poeta Airton Souza, o “Prêmio Amazônia de Literatura” chega na sua segunda edição, premiando escritores locais e nacionais. A premiação contou com três categorias nacionais, entre elas original de literatura infantil, conto e poesia. Além destas, o concurso também contempla duas categorias específicas para os estudantes da rede pública municipal de marabá: conto e poesia.

Segundo Airton Souza, o Prêmio Amazônia de Literatura surgiu como uma forma de contribuir e promover a leitura e a produção literária. “O projeto foi idealizado por mim em 2017.  A ideia era a de contribuir no processo de reconhecimento da produção Literária no país, e também da rede de ensino da educação de Marabá, já que o prêmio é dividido entre a categoria nacional, a categoria exclusivamente para estudantes matriculados e frequentes da rede de ensino de Marabá, e uma categoria para livro inédito”, explica o poeta.

Ainda de acordo com Airton Souza, este ano a premiação alcançou um número recorde, com inscrições vindas de diversas localidades do país. “Neste ano recebemos mais de 430 inscrições, vindas de todos os Estados do país e do Distrito Federal. Todas elas foram feitas gratuitamente por meio do site do prêmio. Ao todo, 25 escritores/as, foram premiados, incluindo os estudantes”, conta.

Leia mais:

A comissão avaliadora do prêmio foi composta por Eliane Machado, poeta e professora universitária; Rosa Peres, professora e escritora; Wendel Berg, poeta e professor; Abílio Pacheco, poeta, editor e professor universitário; e Auridéa Moraes, poeta. Todos os textos submetidos ao concurso foram identificados com pseudônimos para garantir a lisura do processo de avaliação. 

Em sua segunda edição, o Prêmio Amazônia de Literatura contou com o apoio da agência Vaca não Voa e da Editora Twee, ambas de Belém. “Os apoiadores vão viabilizar a publicação de uma Antologia com os poemas e contos vencedores do prêmio, além da publicação de um livro infantil inédito. Todos os escritores e escritoras vencedores vão receber exemplares da Antologia, medalhas e certificados”, adianta Airton Souza.

O evento em homenagem aos ganhadores do Prêmio Amazônia de Literatura será em Marabá, no início de 2020, em data a ser definida pela organização. (Bianca Levy)

Confira a lista de contemplados no Prêmio Amazônia de Literatura:

• Categoria Estudantes de Marabá: 

• Poesia:

1° Lugar: Floresta, de Elder Leandro Soares de Souza

2° Lugar: Tormentos, de Isabella Maria Saraiva Ferreira

3° Lugar: A grande Sumaúma, de Isaias Alves Pereira

• Conto:

1° Lugar: A pequena Denise, de Ana Beatriz Almeida Pinho

2° Lugar: A casa mal assombrada, de Naysson Claudino Benício dos Santos

3° Lugar: O lado diferente, esquerdo e direito, mas que não se conhece, de Raissa B. Silva.

Categoria Nacional:

• POESIA

1° Lugar: Não carrego o tempo, de Guilherme Ferreira Aniceto (MG)

2° Lugar: Depois do abismo, de Jefferson Silva do Rego (GO)

3° Lugar: Outro excerto de um corpo culpado, de Jeferson Douglas Bicudo (PR)

Menções Honrosas

Clara Saudade, de Arthur Christoff Koucher (RS);

Entre becos e telhados, de Lilian Souza de Araújo (GO);

Escamas, de Alan George Félix Mendonça (CE);

Ilhado, de Tiago de Oliveira Quingosta de Sousa (AP);

Tradução, de Francisco Carlos Rocha Fernandes (SP).

• Conto:

1° Lugar:  As únicas lágrimas sinceras, de Vicente Geraldo de Melo Neto (DF)

2° Lugar: As palavras que não te disse estavam nos meus olhos, de Ricardo Francisco de Camargo Chagas (PR)

3° Lugar: As mãos da professora de Literatura Portuguesa, de Ronaldo Dória dos Santos Júnior (RJ)

Menções Honrosas

A embaixadora, de Ana May Vieira Santos Brasil (CE);

O duplo morto, de Josiclei de Souza Santos (PA);

Tortura, de Ademir Moreno Aguilar (SP);

Uma tarde no cais do porto, de Odon Bastos Dias (RS);

Um jeito delicado de morrer, de Nathalia Duprat Barros (PE).

• Livro Infantil

1° Lugar:  Eu não sou a Rapunzel, de Ana Margarida Wallerstein Mignone (RJ)

2° Lugar: A música do Tutu Marambaia, de Cris Dakinis (RJ)

3° Lugar:  A história do arco-íris, de Aline Carvalho da Cruz (MG)

Comentários

Mais

Covid-19: Profissionais da indústria serão vacinados em Marabá

Covid-19: Profissionais da indústria serão vacinados em Marabá

A Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, vai aplicar a primeira dose da vacina contra a…
CNPq identifica problema e vai retomar funcionamento de plataformas

CNPq identifica problema e vai retomar funcionamento de plataformas

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) informou hoje (27) que identificou o problema que está causando indisponibilidade…
Pará recebe mais 180 mil doses de vacinas contra covid-19, nesta terça-feira (27)

Pará recebe mais 180 mil doses de vacinas contra covid-19, nesta terça-feira (27)

O Pará recebeu, na tarde desta terça-feira (27), mais uma remessa de vacinas contra a Covid-19. São 180.100 mil doses…
Magalu compra Sode, plataforma que faz entregas em até uma hora

Magalu compra Sode, plataforma que faz entregas em até uma hora

O Magazine Luiza (MGLU3) anunciou na noite de segunda-feira (26) que concluiu a aquisição da Sode Intermediação de Negócios, uma…
MP promove curso para atuação da Rede de Proteção à Criança e Adolescente

MP promove curso para atuação da Rede de Proteção à Criança e Adolescente

Durante a manhã de sábado, (24) no salão do júri do Fórum da Comarca de São Geraldo do Araguaia ocorreu…
É falso que trilha sonora da ginasta Rebeca Andrade na Olimpíada seja homenagem a Bolsonaro

É falso que trilha sonora da ginasta Rebeca Andrade na Olimpíada seja homenagem a Bolsonaro

Falso São falsas postagens afirmando que a música utilizada pela ginasta Rebeca Andrade na classificatória da ginástica artística da Olimpíada…