Correio de Carajás

Em Marabá, prêmio de Literatura contempla escritores de todo o Brasil

Airton: “Neste ano recebemos mais de 430 inscrições” / Foto: Arquivo-Correio
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Idealizado pelo poeta Airton Souza, o “Prêmio Amazônia de Literatura” chega na sua segunda edição, premiando escritores locais e nacionais. A premiação contou com três categorias nacionais, entre elas original de literatura infantil, conto e poesia. Além destas, o concurso também contempla duas categorias específicas para os estudantes da rede pública municipal de marabá: conto e poesia.

Segundo Airton Souza, o Prêmio Amazônia de Literatura surgiu como uma forma de contribuir e promover a leitura e a produção literária. “O projeto foi idealizado por mim em 2017.  A ideia era a de contribuir no processo de reconhecimento da produção Literária no país, e também da rede de ensino da educação de Marabá, já que o prêmio é dividido entre a categoria nacional, a categoria exclusivamente para estudantes matriculados e frequentes da rede de ensino de Marabá, e uma categoria para livro inédito”, explica o poeta.

Ainda de acordo com Airton Souza, este ano a premiação alcançou um número recorde, com inscrições vindas de diversas localidades do país. “Neste ano recebemos mais de 430 inscrições, vindas de todos os Estados do país e do Distrito Federal. Todas elas foram feitas gratuitamente por meio do site do prêmio. Ao todo, 25 escritores/as, foram premiados, incluindo os estudantes”, conta.

Leia mais:

A comissão avaliadora do prêmio foi composta por Eliane Machado, poeta e professora universitária; Rosa Peres, professora e escritora; Wendel Berg, poeta e professor; Abílio Pacheco, poeta, editor e professor universitário; e Auridéa Moraes, poeta. Todos os textos submetidos ao concurso foram identificados com pseudônimos para garantir a lisura do processo de avaliação. 

Em sua segunda edição, o Prêmio Amazônia de Literatura contou com o apoio da agência Vaca não Voa e da Editora Twee, ambas de Belém. “Os apoiadores vão viabilizar a publicação de uma Antologia com os poemas e contos vencedores do prêmio, além da publicação de um livro infantil inédito. Todos os escritores e escritoras vencedores vão receber exemplares da Antologia, medalhas e certificados”, adianta Airton Souza.

O evento em homenagem aos ganhadores do Prêmio Amazônia de Literatura será em Marabá, no início de 2020, em data a ser definida pela organização. (Bianca Levy)

Confira a lista de contemplados no Prêmio Amazônia de Literatura:

• Categoria Estudantes de Marabá: 

• Poesia:

1° Lugar: Floresta, de Elder Leandro Soares de Souza

2° Lugar: Tormentos, de Isabella Maria Saraiva Ferreira

3° Lugar: A grande Sumaúma, de Isaias Alves Pereira

• Conto:

1° Lugar: A pequena Denise, de Ana Beatriz Almeida Pinho

2° Lugar: A casa mal assombrada, de Naysson Claudino Benício dos Santos

3° Lugar: O lado diferente, esquerdo e direito, mas que não se conhece, de Raissa B. Silva.

Categoria Nacional:

• POESIA

1° Lugar: Não carrego o tempo, de Guilherme Ferreira Aniceto (MG)

2° Lugar: Depois do abismo, de Jefferson Silva do Rego (GO)

3° Lugar: Outro excerto de um corpo culpado, de Jeferson Douglas Bicudo (PR)

Menções Honrosas

Clara Saudade, de Arthur Christoff Koucher (RS);

Entre becos e telhados, de Lilian Souza de Araújo (GO);

Escamas, de Alan George Félix Mendonça (CE);

Ilhado, de Tiago de Oliveira Quingosta de Sousa (AP);

Tradução, de Francisco Carlos Rocha Fernandes (SP).

• Conto:

1° Lugar:  As únicas lágrimas sinceras, de Vicente Geraldo de Melo Neto (DF)

2° Lugar: As palavras que não te disse estavam nos meus olhos, de Ricardo Francisco de Camargo Chagas (PR)

3° Lugar: As mãos da professora de Literatura Portuguesa, de Ronaldo Dória dos Santos Júnior (RJ)

Menções Honrosas

A embaixadora, de Ana May Vieira Santos Brasil (CE);

O duplo morto, de Josiclei de Souza Santos (PA);

Tortura, de Ademir Moreno Aguilar (SP);

Uma tarde no cais do porto, de Odon Bastos Dias (RS);

Um jeito delicado de morrer, de Nathalia Duprat Barros (PE).

• Livro Infantil

1° Lugar:  Eu não sou a Rapunzel, de Ana Margarida Wallerstein Mignone (RJ)

2° Lugar: A música do Tutu Marambaia, de Cris Dakinis (RJ)

3° Lugar:  A história do arco-íris, de Aline Carvalho da Cruz (MG)

Comentários

Mais

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Um convênio assinado hoje (14) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a agência internacional Central Internacional para a Compra de…
Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Em 2020, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas, segundo levantamento da Serasa Experian. O número representa um crescimento de…
Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início…
Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

A segunda bebida mais consumida no mundo é também aquela que hoje serve como instrumento para aproximar ainda mais as…
Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Termina hoje (14), às 23h59, o prazo de inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre…
Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), no final do mês passado, ratifica o poder de…