Correio de Carajás

EJA de Marabá diminui evasão escolar em 2019

Kátia e Cristina falam sobre a modalidade de ensino como grande aliada no desenvolvimento pessoal e social / Foto: Evangelista Rocha
Rosimeire e Kátia falam sobre a modalidade de ensino como grande aliada no desenvolvimento pessoal e social
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Educar jovens e adultos que não tiveram a chance de cursar os ensinos fundamental e médio na infância e adolescência. Esta é a missão da modalidade EJA (Educação para Jovens e Adultos). Em Marabá, este modelo de ensino vive o seu melhor momento, diminuição do índice de evasão escolar na formação de alunos de diversas idades e núcleos do município. Um dos recursos que proporcionou este feito, foi a incorporação do Ensino Personalizado, em 2017, como explica a Gestora do Centro de Educação de Jovens e adultos do ensino fundamental, professora Kátia Pereira.

Além dela, esteve na Redação do CORREIO, falando sobre o tema, a gestora do Ensino Médio no Centro de Educação de Jovens e Adultos Prof. Tereza Donato de Araújo, Rosimeire Nascimento. “Ensino personalizado remete à persona, à pessoa, então ele tem como diferencial o atendimento presencial e individual do aluno, privilegiando sobretudo o trabalhador, que trabalha por turno e eventualmente não tem como estar na sala de aula. Quando isso acontece, o aluno pode vir para a unidade do EJA, que a aula perdida será reposta imediatamente por nossos professores. Nossos professores são plantonistas e estão presentes para atender os alunos a qualquer momento”, explicam as gestoras.

Ainda de acordo com Kátia Pereira e Rosimeire Nascimento, a transição de metodologia para o Ensino Personalizado se deu frente às dificuldades observadas pela gestão em relação ao modelo tradicional de ensino de jovens e adultos por etapas. “ Se percebia que dentre as quatro etapas que o aluno tinha que passar para concluir a formação, muitos ficavam para trás e acabavam desistindo. Com a oportunidades que eles têm agora de poder repor os conteúdos com disponibilidade de tempo, eles se sentem muito mais motivados a continuar”. Entre os principais desafios está a alfabetização de alunos na idade adulta, como explica Kátia Oliveira. “Acontece muito de chegarem alunos para cursar o ensino fundamental, munidos de um histórico escolar, mas no diagnóstico vemos que eles não sabem ler nada. Mas a gente não dispensa esse aluno. Alfabetizamos ele em cerca de 90 dias e o inserimos nas aulas do ensino fundamental e depois médio a gestora do Médio afirma está mesma metodologia no Ensino Médio. Essa é uma iniciativa nossa, dos professores para com estes alunos, uma forma de poder oportunizar o acesso ao ensino”.       

Leia mais:

A professora de biologia Cristiana Pereira, leciona no EJA desde 2013. Ela destaca a bagagem de mundo trazida por cada um desses alunos como peça fundamental para metodologia de ensino. “Cada um tem sua individualidade, suas demandas, precisando sistematizar essas referências pessoais enquanto escola. A escola trabalha na modalidade individual e grupo, então temos um público diverso, onde a cada atendimento individual, podemos acionar particularidades do próprio aluno. Esse é o bom de trabalhar no EJA, pois visualizando as particularidades, a gente pode trabalhar para um crescimento em grupo”, afirma a professora.    

Assim como Cristina Pereira, a diretora do EJA no ensino médio Rosimeire Nascimento, aponta a modalidade de ensino como uma grande aliada no desenvolvimento pessoal e social. “O trabalho da rede pública através dessa modalidade de ensino é um trabalho que vem para valorizar o ensino público de qualidade, para que o aluno saia como o maior conhecimento para vida como cidadão”, resume.

Para quem tiver interesse em se matricular no EJA, Rosimeire explica que as matrículas seguem abertas o ano inteiro: “A matrícula é feita manhã /tarde e noite.

Para realizar a matrícula, o aluno deve apresentar os seguintes documentos:  

a) Certidão de Nascimento/Casamento ou Carteira de Identidade e CPF (cópias legíveis conferidas com o original);

b) Histórico Escolar, Ressalva ou Declaração da última unidade de ensino em que estudou, constando a ano/ciclo para a/o qual o/a aluno/a está habilitado a cursar, ficando o documento original na escola, exceto para alunos ingressantes na Educação Infantil (creche e pré-escola) e/ou alunos ingressantes no 1º ano do Ensino Fundamental que não tenham cursado a Educação Infantil;

c) Cópia legível conferida com o original do Registro Geral (RG) e CPF do responsável legal, para alunos/as menores de 18(dezoito) anos;

d) Cópia conferida com o original do comprovante de residência atualizado;

e) Cópia da Carteira de Vacinação, conferida com o original, para alunos de Educação Infantil ao 2º Ano do 2º Ciclo/5º Ano;

f) 02 (duas) fotografias 3×4;

g) Cópia do Cartão do Programa Bolsa Família (quando beneficiário);

h) Cópia do Cartão SUS (Sistema Único de Saúde).

(Bianca Levy)

Comentários

Mais

Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19

Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19

A notícia mais esperada e sonhada pela população de Marabá finalmente foi confirmada na tarde desta quarta-feira (16) pela Prefeitura…
É falso que jogador dinamarquês tenha se vacinado antes de sofrer mal súbito

É falso que jogador dinamarquês tenha se vacinado antes de sofrer mal súbito

INVESTIGADO POR: VERIFICADO POR:    Tuíte informa como fonte uma entrevista feita para uma rádio italiana, cuja existência a própria…
Estudo com hidroxicloroquina não comprova eficácia no ‘tratamento precoce’

Estudo com hidroxicloroquina não comprova eficácia no ‘tratamento precoce’

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR:  É enganosa postagem no Twitter que associa um estudo pré-publicado, portanto sem revisão dos pares, com…
Produtores de citrus, na região, precisam se cadastrar na Adepará

Produtores de citrus, na região, precisam se cadastrar na Adepará

Com o objetivo de realizar um trabalho preventivo e obter dados dos produtores de citrus – laranja, limão e tangerina…
Ao contrário do que afirma post, ivermectina em altas doses pode causar até convulsão

Ao contrário do que afirma post, ivermectina em altas doses pode causar até convulsão

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR: É enganosa postagem de médico no Twitter e no Instagram afirmando que a ivermectina é um…
Saiba quem não deve tomar a Sputnik V; Anvisa autorizou Pará a comprar vacina

Saiba quem não deve tomar a Sputnik V; Anvisa autorizou Pará a comprar vacina

A importação da vacina Sputnik V ao Pará, aprovada nessa terça-feira, 15, deverá ser realizada sob condições controladas. Por isso de acordo…