Correio de Carajás

Dragas: Moradores querem maior fiscalização da atividade

No dia em que o Jornal esteve na orla, as dragas estavam na área permitida, no leito do rio, abaixo da praia/ Fotos: Josseli Carvalho
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A ação de dragas no leito dos rios Tocantins e Itacaiúnas vem preocupando os moradores da orla de Marabá e pescadores. É que eles temem que as empresas estejam desrespeitando limites e retirando areia e seixo muitas vezes às margens dos rios, o que é proibido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma). Somente é autorizada pelo órgão a exploração na calha dos rios.

Na última quinta-feira (15), a Reportagem do CORREIO esteve na orla de Marabá chamada por populares, que estão com suas casas em risco de desabamento.

O aposentado Tertuliano Dias Aragão, morador do Bairro Francisco Coelho, popularmente conhecido como Cabelo Seco, é uma das pessoas que conhecem de perto e há muitos anos a situação de exploração das dragas na orla.

Leia mais:

“As dragas retiram esse material aqui perto das casas, quando se trata do seixo. Já a areia, eles dragam em qualquer lugar. Logo de manhã cedo eles exploram bem próximo à praia. Quando fica mais tarde, eles vão se recolhendo. Isso já dura mais de 30 anos”, denuncia.

De acordo com seu Tertuliano, diversas casas estão praticamente penduradas e prestes cair como efeito dessa exploração. Segundo ele, já houve várias reuniões com a prefeitura e diversos órgãos, mas nada foi feito para um acompanhamento mais próximo da atividade.

“Nós moradores já nos reunimos com a Prefeitura, Corpo de Bombeiros, Ibama e Semma. Eles prometem mudar essa situação, mas nunca fizeram nada. Sempre estão por aqui pela orla, mas não abordam ninguém”, explicou.

Fatalidades

De acordo com o aposentado, diversas pessoas já se afogaram no rio, inclusive vindo a óbito após mergulharem em uma área de dragagem. “Encontrei o corpo de um rapaz que morreu afogado dentro de um buraco feito por uma draga. Ele veio passar o final de semana aqui. Ele estava numa área rasa do rio e de repente não foi mais visto”, afirmou.

Além dos incidentes, seu Tertuliano informou ao CORREIO que alguns moradores foram retirados das residências que correm risco de desabamento. Segundo ele, a prefeitura de Marabá alugou casas para que essas pessoas fiquem até que a situação seja resolvida.

Tertuliano Dias Aragão: “As dragas fazem a exploração aqui perto das casas”

“Há muitos anos a prefeitura paga aluguel para essas pessoas. A gente pede para que haja uma fiscalização que pare com essa exploração na orla, nas proximidades da margem do rio”, completou.

Intensificar fiscalização

Procurado pela Reportagem do CORREIO, o secretário Municipal de Meio Ambiente, Rubens Sampaio, confirmou que a exploração somente é autorizada no leito dos rios e não nas margens. Também informou que o órgão não recebeu nenhuma denúncia em 2018 e nem neste ano sobre a exploração irregular das dragas.

“Nesse período de piracema, temos uma equipe nos rios fazendo a fiscalização todos os dias. Quando é detectado alguma irregularidade com relação a esse tipo de atividade de exploração de areia e de seixo, a fiscalização deve fazer a abordagem e todos os procedimentos cabíveis”, declarou.

Questionado pela equipe sobre as denúncias feitas por moradores da orla de Marabá, o secretário se comprometeu a intensificar a fiscalização nos próximos dias. “Quanto a essa possibilidade irregular das dragas, vou solicitar que a fiscalização intensifique o monitoramento para sabermos se realmente existe alguém fazendo essa exploração sem autorização”, garantiu.

“Todo empreendedor tem que apresentar a licença do porto ou do local do depósito à margem do rio, porque ele terá que descarregar da embarcação esse material. Então ele tem que apresentar a licença que é expedida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente”, finalizou. (Karine Sued, com informações de Josseli Carvalho)

Mais

Recém-nascido com doença rara é transferido de Marabá para Porto Alegre

Recém-nascido com doença rara é transferido de Marabá para Porto Alegre

O pequeno Enrico Ferro, de 22 dias, foi transferido de Marabá, sudeste do Pará, para Porto Alegre, no Rio Grande…
Correio FM e TV Correio têm programação especial no Dia das Mães

Correio FM e TV Correio têm programação especial no Dia das Mães

A manhã de sábado (8) foi comemorando um Dia das Mães antecipado, com gostinho de quero mais. “Foi só um…
Legado de Melquíades à educação de Marabá

Legado de Melquíades à educação de Marabá

A educação marabaense, nas últimas quatro décadas, recebe, de alguma forma, as digitais de Melquíades Justiniano da Silva. Esse baiano,…
Postagem que associa Doria e Lulinha na compra da Coronavac é falsa

Postagem que associa Doria e Lulinha na compra da Coronavac é falsa

  Falso No site oficial da Nasdaq, bolsa de valores dos Estados Unidos onde está listada a Sinovac, fabricante da…
DMTU faz o lançamento do Movimento Maio Amarelo

DMTU faz o lançamento do Movimento Maio Amarelo

Com o objetivo de colocar em pauta o tema da segurança viária, o Movimento Maio Amarelo nasce com a proposta…
Dia 10 de maio marca a emancipação de oito municípios da região

Dia 10 de maio marca a emancipação de oito municípios da região

Esta segunda-feira, 10 de maio, será um feriado especial para muitas cidades do Pará. Mais precisamente para 15 municípios, que…