Correio de Carajás

Dia do Trabalhador terá comemoração discreta

Programação virtual abordará temas de interesse dos trabalhadores

PELO SEGUNDO ANO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Diante da pandemia, a data especial, não contará com programação festiva da parte de sindicatos e demais entidades, mas deve render folga

Ao contrário do que muito se imagina, o dia primeiro de maio não é uma data somente para o descanso do trabalhador, como feriado. Neste dia é comemorado o Dia do Trabalhador, uma data importante não só no Brasil, mas em outros países ao redor do mundo. Historicamente, a data é marcada por manifestações, passeatas, festas e comemorações, realizadas em várias localidades.

Em Marabá, muitas empresas aproveitam a data para reunir funcionários e colaboradores em clubes e associações da cidade. Os trabalhadores se reúnem, brincam, em clima de confraternização, música ao vivo e muita diversão, afinal de contas, o dia é todo deles.

Contudo, pelo segundo ano consecutivo, as festas não estão acontecendo. A pandemia do coronavírus, que se iniciou em março de 2020, segue no Brasil, infelizmente, com o número de vítimas aumentando a cada dia.

Leia mais:

SINDICOM

Para o vice-presidente do Sindicato do Comércio (Sindicom), Raimundo Alves, o Dia do Trabalhador é uma data muito importante tanto para os funcionários como para as empresas.

“Tivemos um ano de 2020 atípico e esse ano não está sendo diferente. Estamos passando por uma pandemia, e o Sindicato reconhece todas as pessoas que não deixaram de trabalhar nenhum minuto nesse período”.

Raimundo Alves solicita aos trabalhadores que aproveitem o dia para descansar, já que as comemorações não vão acontecer este ano.

Sabemos que muitos vão trabalhar no dia primeiro de maio, então, quem puder, aproveite o dia com a família e descanse. Quem for trabalhar, reconhecemos todo o esforço. Essa é a roda da economia. Estamos em um momento de recuperação, mesmo com a pandemia, caminhamos no processo de retomada dos negócios e crescimento da economia”, finaliza.

SindUnifesspa

Em alusão ao Dia do Trabalhador, o Sindicato dos Docentes da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (SindUnifesspa) realiza, em formato de live, o ato político-cultural “Viva o 1º de Maio: Resistência e Luta dos Trabalhadores”, pela defesa da classe trabalhadora. O evento está programado para acontecer neste sábado, 1º, a partir das 15 horas, com transmissão ao vivo pelo canal do SindUnifesspa, no Youtube.

A proposta do evento é debater a precarização do trabalho, apresentando para debate os impactos do projeto de Lei nº 5595/2020 que tem por objetivo pressionar os professores da educação básica e do ensino superior a retornarem para as atividades presenciais.

Segundo eles, o retorno às salas de aula os coloca em maior risco de morte, por conta da contaminação da covid-19. Na ocasião, serão discutidos assuntos em relação aos impactos da reforma administrativa que visa precarizar ainda mais os serviços públicos para a população.

Justiça do Trabalho

Desde a promulgação da reforma trabalhista, que entrou em vigor em 2017, as ações trabalhistas vêm caindo. Para Marlise Maia, Juíza Titular da 4ª Vara do Trabalho de Marabá, a partir daí os trabalhadores passaram a responder por honorários de sucumbência e custas, e isso acabou causando uma retração do ajuizamento de ações.

De acordo com o Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (PA/AP), em Marabá, as 4 Varas do Trabalho ajuizaram nos quatro primeiros meses de 2021, 686 ações.

Fazendo um comparativo, em 2019 o município ajuizou 3.394 ações, e 2020 – ano que iniciou a pandemia – foram ajuizadas 2.434.

A juíza salienta sobre a importância da data para os trabalhadores, enfatizando que é preciso união.

“Unidos os trabalhadores dispõem de mais força. Eles não podem se conformar. Difícil no meio de uma pandemia falar em união, mas é preciso tentar novas formas de se conectar. Tudo o que podemos fazer é ter esperança que mudanças podem ocorrer, tendo a ciência de que qualquer mudança a favor da classe trabalhadora, apenas vem com muita luta”, finaliza.

A reportagem também tentou ouvir o Sindicato dos Empregados no Comércio de Marabá (Sindecomar), sobre a importante data, mas não teve resposta do diretor procurado. (Ana Mangas)

Mais

Companhia de Trânsito de Tucuruí destrói mais de 100 kadrons

Companhia de Trânsito de Tucuruí destrói mais de 100 kadrons

Como parte da programação do Maio Amarelo, mês dedicado à segurança no trânsito, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano…
É falso tuíte afirmando que Pazuello viajou para os EUA com passaporte diplomático

É falso tuíte afirmando que Pazuello viajou para os EUA com passaporte diplomático

Falso É falso o tuíte que afirma que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, tenha recebido um passaporte diplomático…
EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos autorizou a vacina contra covid-19 da Pfizer e da parceira…
Quase 9% das mulheres sofreram alguma violência sexual, diz IBGE

Quase 9% das mulheres sofreram alguma violência sexual, diz IBGE

Pelo menos 8,9% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de violência sexual na vida, segundo dados da Pesquisa Nacional da Saúde…
Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre

Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre

As transações por cartões (crédito e débito) registraram um aumento de 17,3% nos valores movimentados no primeiro trimestre deste ano…
Cadáveres não foram violados no Cemitério da Saudade, em Marabá

Cadáveres não foram violados no Cemitério da Saudade, em Marabá

Circulou nas redes sociais na manhã desta terça-feira (11) a foto de um caixão aberto, que possivelmente seria no Cemitério…