Correio de Carajás

Covid-19: Em agosto, Marabá registra o menor número de óbitos

Foto: Jordão Nunes

PANDEMIA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No último mês de agosto, Marabá registrou oito óbitos por Covid-19. O número foi o menor registrado em um período de 30 dias desde o início da pandemia. Recentemente, o município alcançou a marca de 125 mil vacinados, denotando que a imunização já alcança bons resultados na queda no número de óbitos e internações.

Em relação aos óbitos, o número de agosto é 50% menor que os 16 óbitos registrados em julho e quase 64% menor que os 22 óbitos de agosto do ano passado. Além disso, a taxa de letalidade do município (2,3%) está abaixo da média nacional (2,8%).

De acordo com Mônica Borchat, diretora da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS), já é perceptível os efeitos da imunização da população. “Na verdade, quando a gente compara já consegue ver o impacto. Quanto mais avançamos na vacinação, menos casos graves da doença nós temos. Então é por isso que precisamos avançar na vacinação”, pontua.

Leia mais:

Os números confirmam: nos leitos de Unidade de Cuidados Especiais (UCE), Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Enfermaria, exclusivos para o tratamento de pacientes com Covid-19, atualmente, são 29 pessoas internadas. No final de julho eram 48 pessoas internadas. Em relação a agosto do ano passado, a diminuição foi de quase 60% quando o número de internados ao final do mês era 72.

De acordo com o médico infectologista Harbi Othman, apesar da melhora dos índices ainda é necessário manter os cuidados básicos com a pandemia. “É fundamental porque a maior parte dos 120 mil vacinados receberam apenas a primeira dose, ou seja, não completaram o ciclo de imunização. Além disso, as vacinas apesar de serem comprovadamente eficazes não protegem 100% contra o vírus, mas fazem com que as pessoas desenvolvam a forma menos grave da doença”, ressalta.

Segundo o médico, é importante que todas as pessoas sejam vacinadas pois assim garantem não apenas a sua proteção como também ajudam a proteger as pessoas ao redor. “Quando alguém não quer se vacinar prejudica outras pessoas. As vacinas são respaldadas por estudos e testadas, assim como várias vacinas que tomamos ao longo da vida”, finaliza.

(Fonte:Ascom PMM)

 

Comentários

Mais

Mais de 300 processos agrários envolvem a Serra das Andorinhas

Mais de 300 processos agrários envolvem a Serra das Andorinhas

As indenizações de cerca de 400 pessoas que alegam não ter sido contempladas com a criação do Parque Estadual da…
Vara Agrária de Marabá agenda desocupação de duas fazendas

Vara Agrária de Marabá agenda desocupação de duas fazendas

No último dia 6 de junho uma decisão publicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a suspensão de ordens ou…
Reflexões sobre depressão e suicídio

Reflexões sobre depressão e suicídio

Um jovem de 28 anos tirou a própria vida se atirando na direção de uma carreta em movimento. O caso…
Marabá tem 2 entre os 10 piores trechos de rodovias do País

Marabá tem 2 entre os 10 piores trechos de rodovias do País

No ranking das dez piores ligações rodoviárias do País, boa parte das estradas está situada em regiões agrícolas, dificultando o…
Inflação em Marabá sobe 1,07% em apenas um mês

Inflação em Marabá sobe 1,07% em apenas um mês

O Laboratório de Inflação e Custo de Vida de Marabá (Lainc), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará…
Desemprego cai para 13,7%, revela pesquisa do Ipea

Desemprego cai para 13,7%, revela pesquisa do Ipea

O desemprego recuou para 13,7% em junho, último mês do trimestre móvel iniciado em abril. O percentual foi atingido depois…