Correio de Carajás

Corretores de imóveis somam quase 280 em Marabá

Delegada do Creci em Marabá, Mércia Spíndola fala sobre a profissão / Foto: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Os profissionais responsáveis por fazer a mediação mobiliária, aos interessados em comprar ou alugar um imóvel, celebram sua data nesta quinta-feira, 27 de agosto. Os corretores de imóveis têm crescido cada vez mais, chegando a cerca de 280 trabalhadores da área e 32 imobiliárias em Marabá, conforme o Portal Correio levantou junto ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) da 12ª Região.

A delegada do Creci em Marabá, Mércia Spindola, explica que a profissão tem crescido no município, conforme os números, e as áreas de atuações são diversas.

Uma delas é o de avaliador, na qual o corretor pode chancelar suas avaliações com o selo do Cadastro Nacional de Avaliadores de Imóveis (CNAI). Ele é emitido pelo Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI) como Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica (PTAM).

Leia mais:

Os corretores de imóveis que possuem formação superior em Gestão de Negócios Imobiliários ou similar não necessitam de qualquer curso de avaliações, já que estes tratam de avaliações de imóveis com profundidade.

“Com esse selo, podemos credenciar nossa avaliação e emitir o PTAM, com base em critérios técnicos, análise de mercado com vistas à determinação do valor de comercialização de um imóvel, judicial ou extrajudicialmente”, explica Mércia.

A segunda opção é ser perito judicial, quando o corretor é acionado por um juiz para fazer a avaliação técnica de um imóvel. “O juiz não tem os conhecimentos para fazer uma avaliação, então ele convoca o corretor de imóveis para agir. Vamos supor que há um inventário, e ambas as partes estão relatando valores divergentes sobre um imóvel, e o juiz precisa saber o valor de fato. Ele convoca o perito judicial para essa avaliação”, exemplifica Mércia.

Outras opções muito procuradas são as de regularização, onde o corretor irá orientar o cliente sobre a documentação necessária para normalização do imóvel.

“Sempre falamos: dono é quem tem o registro cartorário, ou seja, os documentos. O corretor também pode atuar tanto em imóveis novos, quanto de terceiros. Nesse caso, ele pode atender na demanda de locação ou venda”, completa Mércia.

ALERTA

A delegada do Creci pontua, ainda, que é importante que o cliente fique atento ao cadastro dos profissionais que irão contratar. “É importante que as pessoas procurem o profissional habilitado, e para provar isso, o cliente pode exigir a carteira do Creci desse corretor. E, ainda, deve-se observar também se ela está em dia”, acrescenta Mércia.

Caso o cliente se depare com um corretor que não possui habilitação junto ao Creci, Mércia aconselha que denuncie tanto no Conselho, quanto na Delegacia de Polícia Civil. “Só no mês de julho tivemos 18 denúncias, e isso é preocupante para o Conselho, pois quem não possui o conhecimento e a habilitação não tem responsabilidade com seu trabalho e o cliente fica sem respaldo para denunciar depois”, alerta Mércia. (Zeus Bandeira)

Comentários

Mais

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

José Divino Naves, mais conhecido como Dr. Naves, desembarcou às 16h30 deste sábado (18) em Marabá, após passar 5 meses…
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Passados 11 anos desde a realização do último censo nacional, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, uma associação sem…
Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na noite desta sexta-feira que aprovou a indicação do medicamento baricitinibe para…
Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

O Pará contabilizou mais 51 casos de Covid-19 e 4 mortes causadas pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“O Forma Pará, antes de qualquer coisa, é um programa que cuida de pessoas. E vocês também serão profissionais que…
Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

A família do adolescente Marcos Henrique dos Santos, de 14 anos, que foi morto na noite desta quinta-feira (16), no…