Agenda da Guarda Municipal conduz a acusada para autuação na 21ª Seccional/ Foto: Evangelista Rocha
Ads

Um mototaxista passou por maus bocados na manhã de ontem (24) em Marabá. O profissional estava no ponto de mototaxi em frente à Rodovia Pedro Marinho de Oliveira, na Folha 32, quando apanhou uma passageira que pediu para ser levada até um posto de combustíveis no Núcleo Cidade Nova. Começava ali uma corrida que ele jamais gostaria de ter feito.

Ads

Ao chegar ao local indicado, a passageira pediu o número do celular do mototaxista e repassou o número para uma pessoa, que em seguida telefonou para o motoqueiro e disse que ele deveria levar a mulher até outro posto mais à frente, levando uma encomenda, onde alguém iria pagar pela corrida.

Chegando no local indicado, apareceu outro homem em uma moto Fazer perguntando por um cordão de ouro. Como o mototaxista não sabia d que se tratava e, vendo que havia lago errado, ele voltou para a rodoviária com a passageira e a denunciou para agentes da Guarda Municipal que estavam de serviço nas imediações. Os guardas levaram a mulher para a delegacia. Ela foi identificada como Erika Alencar da Silva, de 19 anos, que estava com vários objetos possivelmente roubados para repassar a compradores.

Descobriu-se que Erika recebia ordens de um criminoso, que pode estar dentro da cadeia e de lá a orienta sobre como fazer as entregas dos produtos de roubo. Para isso, ela acabou envolvendo o mototaxista que nada tinha a ver com a história.

Aliás, o motoqueiro (que terá sua identidade preservada) estava visivelmente amedrontado, pois o criminoso estava ligando para o celular dele a todo momento, enquanto ele estava na delegacia ontem denunciando o caso. O tal criminoso também telefonava para Erika, mas o celular dela já estava em poder das autoridades.

Com Erika foram apreendidos um Iphone, dois celulares, um cordão dourado com pingente, um relógio e ainda R$ 543 em dinheiro. Chama atenção também o fato de que Erika possui uma carteira da Central de Cadastro de Visitante da Susipe, que lhe dá direito de visitar um detento no Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA), identificado como Josiel (ou Joel) Oliveira Araújo, de quem ela é companheira, segundo consta no documento. (Chagas Filho)

Ads