Correio de Carajás

Comerciantes apontam aumento de até 60% na procura por decoração natalina

Prateleiras brilhando vermelho, dourado, verde e prata já começam a tomar conta do comercio marabaense / Fotos: Evangelista Rocha
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Desde a chegada do mês de novembro, o marabaense já pôde notar algo muito clássico nas vitrines das lojas e demais segmentos comerciais: a decoração natalina. Apesar da pandemia do novo coronavírus ter causado grandes mudanças em datas comemorativas como festa junina, Dia dos Pais, Dia das Crianças, etc, os empresários e empreendedores acreditam que isso não afetará a venda dos itens que embelezam as residências trazendo o clima da época.

A Reportagem do Portal Correio deu um rápido giro pelos principais pontos comerciais de Marabá e notou as vitrines com tons vermelhos, verdes e até mesmo dourado e prata. Em uma das lojas da Avenida Antônio Maia, no Núcleo Marabá Pioneira, um dos principais centros comerciais da cidade, estava Eliene Moreira, que é de Abel Figueiredo, porém, sempre vem a Marabá para resolver alguma coisa.

Eliene vem de Abel Figueiredo fazer compras e uma data especial para isso é o Natal

“Eu costumo vir muito ao município e, nessas, dou uma encostada nas lojas para fazer algumas compras, seja de roupas ou sapatos, ou até mesmo artigos de decoração. Como estamos nos aproximando do Natal, eu reparei que há diversos itens nas lojas, então, resolvi dar uma olhada”, conta Eliene, enquanto analisa alguns enfeites.

Leia mais:

O Natal costuma ser uma data para reunir familiares e amigos para confraternizar, trocar presentes e saborear a farta ceia. E na família de Eliene essa tradição será mantida com restrições. “Apesar de termos passado por momentos difíceis no começo da pandemia, não deixo a tradição da data passar. Vou decorar minha casa, montar a árvore de natal e ligar as luzes, apostando no dourado e prata, para dar uma inovada. É algo interno, que o coronavírus não irá nos roubar”, finaliza Eliene.

O sentimento da consumidora é percebido pelos empresários e empreendedores que investem nesse mercado, pois com a retomada do comércio no final do primeiro semestre de 2020, a rotina do marabaense se adaptou, levando muitas pessoas a irem às compras.

Gilberlan Coelho de Melo é proprietário da Didiu Importados, loja onde Eliene escolhia enfeites de Natal, e ele avalia que a procura pelos produtos está boa.

Gilderlan antecipa que em cinco meses a loja terá uma ampliação de 900 metros

“Começamos a ofertar os artigos natalinos logo após o Dia das Crianças, pois sabemos que a maioria gosta de adquirir antes para já entrar em novembro com a casa decorada. Nossa loja já é muito procurada nessas datas, inclusive, a Black Friday está chegando e vamos dar descontos de até 50% nos produtos de Natal. O cliente procura por isso, pelo acessível, e é o que precisamos oferecer”, explica Gilderlan.

Uma prova de que a pandemia não causa receios no empresário é justamente a procura do cliente antecipadamente. “Acompanhando o mês de outubro e a primeira semana de novembro, já notamos um aumento de 5% nas buscas pelos enfeites, então, creio que neste Natal as pessoas não deixarão o vírus desanimá-las”, estima Gilderlan.

Das caixas para as prateleiras, os artigos natalinos estarão aguardando os clientes na Borboleta Casa Tudo

VEM AÍ!

E no principal ponto comercial da Marabá Pioneira, há lojas que estão prestes a abrir suas portas já contando com essa grande procura para ofertar mais variedade aos clientes. É o caso da Borboleta Casa Tudo, que inaugurará na próxima quinta-feira (12), sendo mais uma opção para os marabaenses que buscam adornos para deixar sua residência com ar natalino.

O empresário Francisco Borges explica que sua loja começou no setor de confecções, porém, durante a pandemia, estendeu seus serviços para utilidades, sendo que das 32 lojas que possui pelas regiões Norte e Nordeste, cinco delas, incluindo a de Marabá que será inaugurada, já atendem esse segmento. “Tivemos um crescimento de 45% quando trouxemos esse setor e com o Natal chegando, acredito que cresceremos mais ainda, pois,m muitas pessoas ainda enfeitam suas casas para a data”, constata.

Francisco viu no setor de utilidades uma forma de inovar em meio à pandemia

Mas não é só nos artefatos natalinos que o empresário mira, pois com o Natal, outros produtos vêm junto, como os presentes. “Muitas vezes o cliente entra na loja a procura de bolinhas para sua árvore de Natal e acaba gostando de alguma outra coisa, como um brinquedo, um utensílio de casa, e assim ele compra. Apesar da pandemia, o cliente está na rua com a intenção de comprar”, afirma Francisco.

HIGH CHRISTIMAS

Claro que clássicos como o vermelho não podem faltar

A simplicidade é uma opção para economizar. Porém, a possibilidade de deixar a casa com uma ornamentação completa, com cenários, e enfeites ricos em detalhes minuciosos também é válida. É o que a Meg Decoração tem para oferecer, com itens contemporâneas como quadros, lustres, louças e até presépios com estilo barroco.

Presépio com porcelanas ricas em detalhes e expressões lembra obras barrocas
Uma opção de ornamentação natalina contemporânea é novidade

No mercado de decorações há oito anos, Magnólia Costa, proprietária da Meg, considera o período do Natal uma ótima oportunidade comercial para trazer novidades e tendências para as residências marabaenses. “Por incrível que pareça, esse ano tivemos uma procura 60% maior se comparada ao ano passado. No começo fiquei em dúvida se iria investir ou não, pois devido a pandemia, imaginei que muita gente iria desanimar, o que não ocorreu, pois em outubro surgiram os primeiros clientes em busca de produtos natalinos”, revela.

Magnólia aponta os animais de pelúcia e as cores em tons escuros como as tendências para o Natal

Na última semana de outubro, a empresária começa a preparar os cenários em sua loja para apresentar aos clientes, logo após o feriado de finados, e quanto mais originais, melhor são as vendas. “Itens coloridos como vermelho e verde em tons escuros são procurados, o dourado em composição ao prata também é pretendido também, além de uma tendência que são os animais de pelúcia, como renas, esquilos, ursos polares, entre outros”, exemplifica Magnólia. (Zeus Bandeira)

Mais

Filhote de jacaré surge em bueiro aberto na Folha 6

Filhote de jacaré surge em bueiro aberto na Folha 6

Um morador nada comum deu o “ar da graça” e surpreendeu a população da Folha 6. Um filhote de jacaré…
Tião Miranda publica Nota de Repúdio por pichação em sua residência

Tião Miranda publica Nota de Repúdio por pichação em sua residência

O prefeito Tião Miranda publicou, no final da tarde desta quinta-feira, 13, uma Nota de Repúdio contra manifestações de sindicalistas…
Pará recebe a maior remessa de vacinas contra Covid-19, com mais de 350 mil doses

Pará recebe a maior remessa de vacinas contra Covid-19, com mais de 350 mil doses

O Pará recebeu, na tarde desta quinta-feira (13), a maior remessa de doses de vacinas contra Covid-19,  com um total…
Descontos de IPVA para finais de placa 76 a 96 vão até 17 de maio

Descontos de IPVA para finais de placa 76 a 96 vão até 17 de maio

Os proprietários de veículos com final de placas 76 a 96 poderão pagar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores…
Exposição homoerótica é cancelada em Belém e ecoa censura a 'Queermuseu'

Exposição homoerótica é cancelada em Belém e ecoa censura a 'Queermuseu'

Selecionada por um edital do Banco da Amazônia, a exposição “Suaves Brutalidades”, de Henrique Montagne Figueira, tinha um vernissage virtual…
Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu na terça-feira (11) solicitar a órgãos públicos a tomada de medidas para evitar que…