Círio 2019: Transporte e hospedagem aumentam significativamente
Foto: reprodução
Ads

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos divulgou hoje, terça-feira (10), informações referentes a transporte e hospedagem para os turistas e romeiros que pretendem participar da edição deste ano do Círio de Nazaré, em Belém, capital paraense.

Ads

De acordo com a entidade, com reajustes acima da inflação estimada em 3,50% para os últimos 12 meses, os dois serviços pesarão mais nos custos de quem pretende acompanhar a festa, que acontece no segundo final de semana de outubro.

As análises mostram que, a exemplo do ano passado, o Círio vai novamente acontecer em um cenário de dificuldades, com baixo crescimento econômico, juros em percentuais ainda elevados, desemprego e queda na renda, o que deve refletir da mobilização dos interessados.

Meio aéreo apresenta variações expressivas

Os meios mais utilizados por turistas e romeiros, segundo o levantamento, são os transportes aéreos, rodoviários e marítimo/fluvial, sendo que todos estão bem mais caros em relação ao Círio do ano passado. O transporte aéreo, por exemplo, continua apresentando variações expressivas e altas bem acima da inflação nos últimos 12 meses, principalmente no que diz respeito às varias formas de tarifas praticadas hoje pelas companhias aéreas (tarifa promocional, tarifa flexível, tarifa programada e as tarifas Top).

As diferenças de preços, aponta o Dieese, entre a mais barata e a mais cara chegam em alguns casos a até 100,00% dependendo da companhia aérea, do local de origem e do horário e data do voo.

O Correio de Carajás cotou valores saindo de Parauapebas e Marabá, no sudeste paraense, com chegada em Belém no dia 09/10, quarta-feira. Comprando hoje e saindo do aeroporto de Carajás, em Parauapebas, a ida varia entre R$ 126 a R$ 2.079. De Marabá, o bilhete aéreo oscila entre R$ 279 e R$ 1.684

O Dieese cotou valores junto às duas maiores empresas que voam para o Belém, Tam e Gol, chegando na mesma data e saindo de diversos locais do Brasil, o que demonstrou preços absurdamente elevados. É importante atentar que as companhias aéreas variam bastante os valores dependendo do prazo de compra, marcação do bilhete, tempo de permanência no local do destino e data do voo.

Segundo a pesquisa, uma passagem só de ida do Rio de Janeiro a Belém pode alcançar – com a taxa de embarque – valores em torno de R$ 2.230,00. Entretanto se o passageiro conseguir o desconto máximo para este trecho vai pagar entre R$ 928,00 a R$ 1.563,00.

Partindo de São Paulo a passagem também pode chegar a R$ 2.231,00, caso o passageiro consiga o desconto máximo a passagem pode custar entre R$ 838,00 e R$ 1.832,00.

Partindo de Belo Horizonte e sem desconto a passagem pode alcançar R$ 2.230,00. Com o desconto máximo pode custar entre R$ 815,00 e R$ 823,00. De Brasília a Belém o valor pode chegar a R$ 2.229,00 e com o desconto entre R$ 992,00 e R$ 1.773,00. De São Luiz a Belém, sem desconto, a passagem pode chegar a R$ 2.231,00, já com o desconto máximo pode variar entre R$ 642,00 a R$ 1.289,00. De Porto Alegre, sem descontos, o valor alcança até R$ 1.878,00 e com desconto máximo pode ser adquirida com valores que variam entre R$ 793,00 a R$ 1.046,00.

Saindo de dentro do Pará, partindo de Santarém, o romeiro pode pagar até R$ 896,00; de Manaus a Belém o valor alcança R$ 2.231,00; e de Macapá chega a R$ 1.205,00; por fim, de Fortaleza a Belém, o voo custa até R$ 2.231,00. Os valores contemplam apenas a passagem de ida, ou seja, pode dobrar de preço com a volta.

Gastos em terra

O Transporte Rodoviário de Passageiros também está mais caro neste Círio, sendo que o intermunicipal, por exemplo, sofreu aumento de 12,16%. Em relação à Linha Urbana para Mosqueiro, que é gerenciada pela Prefeitura de Belém, as passagens aumentaram 9,43%, custando R$ 5,80. A passagem de ônibus em Belém também aumentou 9,09%, custando R$ 3,60.  Os táxis não sofreram reajustes e a bandeirada custa hoje R$ 5,61.

Mesmo com alta, hotéis já estão lotando

O Dieese também realizou levantamento demonstrando que cerca de metade dos turistas se hospedam em casas de amigos e parentes, sendo que a outra parte fica em hotéis, que começaram a fazer pacotes exclusivos para esta data, com o mínimo de três diárias. Em relação ao ano passado, o custo de hospedagem em hotéis e pousadas estão mais caros, sendo que os reajustes podem chegar em percentuais que variam entre 5,00% e 10,00%, ultrapassando R$ 4 mil o pacote em alguns estabelecimentos.

Mesmo com os preços em alta e o fator crise, a maioria dos Hotéis já está com acomodações quase lotadas, principalmente naqueles situados no trajeto do Círio. As diárias variam muito de estabelecimento para estabelecimento e dependem do padrão e da localização do Hotel. Em vários, as diárias são acrescidas da taxa de serviço de 10,00% e outros cobram taxas de 5,00% de ISS.

Conforme a pesquisa, a diária em um hotel três estrelas custa entre R$ 145,00 a quase R$ 270,00 (simples). Já os pacotes de três diárias para casal variam entre R$ 950,00 a quase R$ 1.800,00. Os preços podem ser menores em locais sem classificação da Embratur, com a diária custando entre R$ 100,00 e R$ 200,00.  (Luciana Marschall)

Ads