Correio de Carajás

Caso Professor do IFPA: advogado defende que soltura não irá prejudicar as investigações

Foto: Evangelista Rocha
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O advogado Leonardo Queiroz, que atua na defesa de Thaís Santos Rodrigues, acusada junto com o namorado, Felipe Freire Sampaio Gouveia, do assassinato do professor Ederson Costa dos Santos, no início do mês, falou hoje às equipes do Grupo Correio de Comunicação sobre a soltura da cliente, ocorrida na última sexta-feira (24).

“É importante analisar que o fato ainda está sob investigação. Significa dizer que neste momento não cabe analisar por parte do Judiciário eventual responsabilidade da investigada no acontecido, na realidade neste momento se vislumbra apenas analisar a necessidade ou não da custódia cautelar”, afirmou.

De acordo com ele, no Estado Democrático de Direito, a regra é a liberdade, sendo a prisão uma medida excepcional que só pode ser aplicada em casos de extrema necessidade, o que diz não se vislumbrar neste caso. “Podemos concluir que a soltura da investigada em nada prejudicará o andamento das investigações bem como de uma eventual futura ação penal”.

Leia mais:

Questionado sobre o que a defesa já argumentou em relação ao caso, Queiroz declarou que até o momento se discutiu somente a desnecessidade da prisão. “Ela tem o direito de responder ao processo em liberdade e o Poder Judiciário concedeu esse benefício. Foram impostas para ela algumas medidas cautelares diversas da prisão que o magistrado entendeu convenientes para o acautelamento do processo”.

Também ouvi nesta segunda-feira, o professor Marcelo Maia, diretor geral do Campus I Industrial do IFPA, onde Ederson Costa dos Santos trabalhava, declarou que colegas e alunos ficaram “muito tristes” com a soltura. “Como servidores e amigos do Ederson queremos justiça e que seja feita para quem foi culpado pelo crime, quem de alguma forma influenciou. Se for provado isso, então queremos que a Justiça seja feita. Era uma pessoa muito querida por todos nós”, declarou.

Por fim, afirmou que os colegas continuam acompanhando o caso. “Vamos estar cobrando para que no final a Justiça seja feita”.

CASO

Thaís permaneceu apenas 10 dias no Centro de Recuperação Feminino de Marabá (CRFM) e recebeu o direito de responder em liberdade por decisão interlocutória assinada pelo juiz Alexandre Hiroshi Arakaki. Ela acompanhava o namorado, o policial militar do Maranhão Felipe Gouveia, que foi filmado atirando duas vezes na cabeça do professor.

Ele segue preso no Centro de Recuperação Anastácio das Neves (Crecan), em Santa Izabel, zona metropolitana de Belém. O homicídio aconteceu após discussão por causa de uma batida de trânsito envolvendo o carro da vítima e o automóvel de Thaís. O caso ocorreu no último dia 4, na Avenida Tocantins, em frente ao SESI, no Núcleo Cidade Nova. (Luciana Marschall – com informações de Elson Gomes)

 

 

Mais

Moto roubada duas vezes é recuperada em Parauapebas

Moto roubada duas vezes é recuperada em Parauapebas

Ladrão que rouba ladrão… não escapa da prisão: Uma moto roubada duas vezes foi recuperada nesta sexta-feira (7) na Vila…
Justiça aceita denúncia e Monique e Dr. Jairinho se tornam réus

Justiça aceita denúncia e Monique e Dr. Jairinho se tornam réus

A juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, decretou…
Polícia confirma três mortes em acidente com monomotor

Polícia confirma três mortes em acidente com monomotor

Três pessoas morreram no acidente aéreo envolvendo um monomotor, ocorrido na tarde de quinta-feira (6), em uma área de garimpo na divisa…
Polícia Federal apreende 100 toneladas de minério manganês

Polícia Federal apreende 100 toneladas de minério manganês

A Polícia Federal apreendeu em Redenção, no sudeste do Pará nesta quinta-feira (7) duas carretas carregadas com cerca de 100…
Traficante armado luta com policial militar e acaba morto

Traficante armado luta com policial militar e acaba morto

Iago Almeida dos Santos, de 20 anos, morreu em uma intervenção policial registrada na noite desta quinta-feira (6), em Parauapebas.…
Vítima de triplo baleamento morre e irmã nega envolvimento com facção

Vítima de triplo baleamento morre e irmã nega envolvimento com facção

Thalison Henrique da Silva Rodrigues, de 20 anos, morreu nesta quinta-feira (6) no Hospital Geral de Parauapebas, para onde foi…