Correio de Carajás

Camponeses que vivem em área pública denunciam ameaças

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
1 Visualizações

Seis pessoas procuraram a redação do Correio de Carajás nesta manhã, segunda-feira (2), denunciando estarem sendo ameaçadas pelo mesmo homem na região onde vivem, conhecida como Colônia Pinheirinho, a 12 quilômetros do centro urbano de Eldorado do Carajás. Segundo Odair Antônio Valentino, que teve a casa destruída pelo denunciado, ele, Valdeir Ribeiro da Silva, Manoel Costa de França, Valdemir da Silva, Marcelino Fernando Araújo e José Machado Araújo não estão em paz há quatro anos.

Ele relata que a área é da União e famílias foram assentadas no local, mas em determinado momento essa pessoa – que seria empresária e fazendeira – chegou reivindicando a propriedade. “Esta área passou uns 12 anos sem ninguém. Em 2008 nós entramos na área e até agora estávamos lá. De quatro anos para cá começou esta confusão. Começou a incomodar a gente dizendo que a área é dele”.

Desde então, acrescenta, as famílias já procuraram Polícia Civil, Polícia Federal e Instituto Nacional Colonização Reforma Agrária (Incra). “O Incra nos informou que a área é pública e não é do fazendeiro. Hoje fomos novamente lá e reafirmaram que é área pública. Estamos lá e ele continua nos ameaçando. Ele derrubou a minha casa com o trator e quebrou tudo, fez um monte com o que sobrou”, relata.

Leia mais:

Recentemente o homem também teria passado o arado nas terras de José Machado e de Manoel, o qual explica que essa área era anteriormente ocupada por uma associação que deixou de existir há aproximadamente 15 anos. O denunciado fez parte desta associação e, por este motivo, acreditar ter poder sobre as terras.

“A terra era de uma associação, a associação fechou e ele era sócio dessa associação. Agora ele acha que isso dá o direito de ficar na área. Os outros sócios todos se colocaram ao nosso lado, só ele ficou lá.  Acabou com a nossa paz lá”, diz Manoel, que também foi impedido de construir uma cerca recentemente, ouvindo do fazendeiro que se a fizesse a veria ser quebrada logo em seguida. Marcelino, por sua vez, conta que a esposa foi ameaçada em uma discussão com o homem.

Odair Antônio afirma que foi movida ação judicial relativa à questão, mas as famílias estão com medo de sofrerem atentados enquanto o processo está em andamento. “Já recorremos a todos os órgãos que podíamos, onde mandam a gente ir a gente vai e em cima da lei para não fazer coisa errada. Já falamos que ele tinha que esperar um pouco para a Justiça decidir e ele disse que a Justiça é ele e o que ele quiser fazer vai fazer. Estamos pedindo misericórdia porque pode acontecer derramamento de sangue lá”.

Em contato com o Incra, o órgão confirmou que a área é da União e informou que está ajuizando ação de reintegração de posse, acrescentando que o ocupante está no local indevidamente. A Reportagem não conseguiu falar, por enquanto, com a Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (Deca). (Luciana Marschall)

Seis pessoas procuraram a redação do Correio de Carajás nesta manhã, segunda-feira (2), denunciando estarem sendo ameaçadas pelo mesmo homem na região onde vivem, conhecida como Colônia Pinheirinho, a 12 quilômetros do centro urbano de Eldorado do Carajás. Segundo Odair Antônio Valentino, que teve a casa destruída pelo denunciado, ele, Valdeir Ribeiro da Silva, Manoel Costa de França, Valdemir da Silva, Marcelino Fernando Araújo e José Machado Araújo não estão em paz há quatro anos.

Ele relata que a área é da União e famílias foram assentadas no local, mas em determinado momento essa pessoa – que seria empresária e fazendeira – chegou reivindicando a propriedade. “Esta área passou uns 12 anos sem ninguém. Em 2008 nós entramos na área e até agora estávamos lá. De quatro anos para cá começou esta confusão. Começou a incomodar a gente dizendo que a área é dele”.

Desde então, acrescenta, as famílias já procuraram Polícia Civil, Polícia Federal e Instituto Nacional Colonização Reforma Agrária (Incra). “O Incra nos informou que a área é pública e não é do fazendeiro. Hoje fomos novamente lá e reafirmaram que é área pública. Estamos lá e ele continua nos ameaçando. Ele derrubou a minha casa com o trator e quebrou tudo, fez um monte com o que sobrou”, relata.

Recentemente o homem também teria passado o arado nas terras de José Machado e de Manoel, o qual explica que essa área era anteriormente ocupada por uma associação que deixou de existir há aproximadamente 15 anos. O denunciado fez parte desta associação e, por este motivo, acreditar ter poder sobre as terras.

“A terra era de uma associação, a associação fechou e ele era sócio dessa associação. Agora ele acha que isso dá o direito de ficar na área. Os outros sócios todos se colocaram ao nosso lado, só ele ficou lá.  Acabou com a nossa paz lá”, diz Manoel, que também foi impedido de construir uma cerca recentemente, ouvindo do fazendeiro que se a fizesse a veria ser quebrada logo em seguida. Marcelino, por sua vez, conta que a esposa foi ameaçada em uma discussão com o homem.

Odair Antônio afirma que foi movida ação judicial relativa à questão, mas as famílias estão com medo de sofrerem atentados enquanto o processo está em andamento. “Já recorremos a todos os órgãos que podíamos, onde mandam a gente ir a gente vai e em cima da lei para não fazer coisa errada. Já falamos que ele tinha que esperar um pouco para a Justiça decidir e ele disse que a Justiça é ele e o que ele quiser fazer vai fazer. Estamos pedindo misericórdia porque pode acontecer derramamento de sangue lá”.

Em contato com o Incra, o órgão confirmou que a área é da União e informou que está ajuizando ação de reintegração de posse, acrescentando que o ocupante está no local indevidamente. A Reportagem não conseguiu falar, por enquanto, com a Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (Deca). (Luciana Marschall)

Comentários

Mais

Brasil deve receber mais de 842 mil doses da vacina da Pfizer em junho

Brasil deve receber mais de 842 mil doses da vacina da Pfizer em junho

O Brasil vai receber 842.400 doses da vacina da farmacêutica Pfizer/BioNTech contra a covid-19. A informação foi dada pelos coordenadores…
Fórum discute desafios à garantia de direitos da pessoa idosa

Fórum discute desafios à garantia de direitos da pessoa idosa

Teve início hoje (13) o 1º Fórum Nacional da Pessoa Idosa. O evento, organizado pelo Ministério da Mulher, Família e…
Psicóloga orienta pais a ouvirem e validarem queixas dos filhos

Psicóloga orienta pais a ouvirem e validarem queixas dos filhos

Depois de todo o país se chocar com a morte do menino Henry, de 4 anos, no Rio de Janeiro,…
Sexta edição do FIA Cinefront estreia em plataforma de streaming nesta quinta

Sexta edição do FIA Cinefront estreia em plataforma de streaming nesta quinta

Com exibição em plataforma de streaming própria, a abertura oficial do 6º Festival Internacional Amazônida de Cinema de Fronteira, o…
Filhote de onça preta é resgatado em Novo Progresso

Filhote de onça preta é resgatado em Novo Progresso

Moradores de Novo Progresso, sudoeste do Pará, resgataram um filhote de onça preta. De acordo com testemunhas, o animal estava…
Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea

Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea

Pelo segundo mês consecutivo, o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda registrou, em março, alta da taxa para…