Correio de Carajás

Câmara pode derrubar decreto de Tião Miranda sobre insalubridade

Vereador Ilker Moraes espera que decreto seja derrubado e os trabalhadores beneficiados/ Foto: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na sessão da Câmara de Vereadores desta terça-feira, dia 21, um dos assuntos em pauta foi o “sumiço” de valores nos contracheques referentes à insalubridade a que centenas de trabalhadores do município de Marabá têm direito, o que vem reduzindo a renda familiar e causando transtornos a esses funcionários. O decreto foi aprovado pelo prefeito Sebastião Miranda em 2017 e desde então causa polêmica.

De acordo com o vereador Ilker Moraes (PHS), há mais de dois anos também essa determinação vem sendo discutida e, depois de muitos debates, na próxima terça-feira (28), o decreto será pautado na Câmara com o objetivo de sustar a decisão da prefeitura.

“Entendemos que a Câmara Municipal precisa se posicionar e dar uma resposta à sociedade, principalmente aos servidores do município, que perderam um significativo percentual de seus salários”, explica.

Leia mais:

Questionado pela Reportagem do Correio sobre a quantidade de servidores impactados com o decreto, Ilker afirma que são mais de 500 e, em sua grande maioria, se trata de profissionais da saúde, mas que a decisão também afetou os agentes de conservação da cidade (garis) e outros profissionais.

“A gente espera que a classe trabalhadora do município de Marabá venha para a sessão, principalmente, claro, os servidores que perderam parte de seus salários”, afirmou o parlamentar.

Ao Portal, Ilker afirmou que essa movimentação na Câmara não se trata de uma “guerra” do Parlamento contra o Executivo, mas sim de uma reunião para o entendimento sobre uma questão que já poderia ter sido resolvida, mas que atrasou muito. “De fato, quem está sendo prejudicado são os servidores”, sustentou.

Moraes reconhece que a Prefeitura de Marabá começou o movimento para realizar licitação para contratação de uma empresa para avaliar o grau de insalubridade dos servidores, mas acredita que o processo será longo e até que seja resolvido, os trabalhadores já terão perdido muito dinheiro. (Karine Sued)

Comentários

Mais

Ferrogrão é imprescindível para o Brasil, diz ministro

Ferrogrão é imprescindível para o Brasil, diz ministro

O projeto da Ferrogrão, ferrovia de Sinop (MT) a Miritituba (PA), é imprescindível para o Brasil por permitir o escoamento…
MP Eleitoral pede cassação do prefeito de Abel por compra de voto

MP Eleitoral pede cassação do prefeito de Abel por compra de voto

O Ministério Público Eleitoral de Rondon do Pará está convencido de que houve captação ilícita de votos e abuso do…
Cabo Verde que ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Cabo Verde que ampliar relacionamento econômico com o Brasil

O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as…
Ciro Nogueira aceita convite de Bolsonaro e será o novo ministro da Casa Civil

Ciro Nogueira aceita convite de Bolsonaro e será o novo ministro da Casa Civil

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) aceitou oficialmente o convite do presidente Jair Bolsonaro e será o novo ministro da Casa Civil.…
Governo publica decreto que regulamenta a Lei Rouanet

Governo publica decreto que regulamenta a Lei Rouanet

O presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que regulamenta o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), conhecido como Lei…
Governo amplia lista de produtos médicos cuja exportação é proibida

Governo amplia lista de produtos médicos cuja exportação é proibida

Decreto presidencial publicado no Diário Oficial da União de hoje (26) amplia a lista de produtos médicos, hospitalares e de higiene cuja…