Correio de Carajás

Câmara afasta prefeito, mas comete o mesmo pecado

 

Depois de escrever no chão, Jesus virou-se aos escribas e fariseus que acusavam uma mulher apanhada em adultério e tascou uma frase que ficou marcada na história: “Quem dentre vós não tiver pecado, atire a primeira pedra”.

Em tempos modernos, a frase passou por uma releitura e ganhou a seguinte versão: “o sujo está falando do mal lavado”. E é nesse contexto que se insere o caso emblemático que sacode a política do município de Jacundá, a 100 km de Marabá.

Leia mais:

O prefeito havia sido afastado pela Câmara há quase um mês, depois recorreu à Justiça e retornou ao cargo. Agora, uma denúncia apresentada pelo ex-vereador Kleber Galvão na sessão realizada na noite desta segunda-feira, dia 4, contra o prefeito José Martins, foi acatada por 12 dos 13 vereadores. Edson Ferreira foi o único a votar contra o afastamento, mas foi a favor de as denúncias serem apuradas.

A nova denúncia apresentada aponta que o gestor municipal não estava alimentando de forma eficiente o Portal da Transparência, como manda a lei e não prestou contas dos dois primeiros quadrimestres de 2017 à Câmara Municipal. O período do novo afastamento é de 90 dias.

O fato irônico aqui é que a Câmara, embora seja obrigada a publicar suas contas – receita e despesa – no Portal de Transparência próprio, não o faz desde abril deste ano, conforme consulta e prints feitos na noite desta segunda-feira, dia 4, no endereço eletrônico camaradejacunda.pa.gov.br. A publicação mais recente é de diárias recebidas pelos vereadores e servidores no mês de abril de 2017. De lá para cá, nada de atualização.

Para quem atira tanta pedra, é bom olhar primeiro para a própria vidraça.

A denúncia chegou à Câmara Municipal no dia 1º de agosto e o assunto foi apresentado na sessão desta segunda-feira e votado e aprovado imediatamente, afastando o prefeito novamente.

Com isso, a posse do vice-prefeito Ismael Barbosa será nesta terça-feira amanhã, oito dias depois que o titular havia retornado ao cargo. Isso mostra que a decisão tem o mesmo viés de desafiar a decisão tomada pela Justiça recentemente.

A assessoria de Zé Martins informou que ele recorrerá da decisão. (Antônio Barroso e Ulisses Pompeu)

 

Depois de escrever no chão, Jesus virou-se aos escribas e fariseus que acusavam uma mulher apanhada em adultério e tascou uma frase que ficou marcada na história: “Quem dentre vós não tiver pecado, atire a primeira pedra”.

Em tempos modernos, a frase passou por uma releitura e ganhou a seguinte versão: “o sujo está falando do mal lavado”. E é nesse contexto que se insere o caso emblemático que sacode a política do município de Jacundá, a 100 km de Marabá.

O prefeito havia sido afastado pela Câmara há quase um mês, depois recorreu à Justiça e retornou ao cargo. Agora, uma denúncia apresentada pelo ex-vereador Kleber Galvão na sessão realizada na noite desta segunda-feira, dia 4, contra o prefeito José Martins, foi acatada por 12 dos 13 vereadores. Edson Ferreira foi o único a votar contra o afastamento, mas foi a favor de as denúncias serem apuradas.

A nova denúncia apresentada aponta que o gestor municipal não estava alimentando de forma eficiente o Portal da Transparência, como manda a lei e não prestou contas dos dois primeiros quadrimestres de 2017 à Câmara Municipal. O período do novo afastamento é de 90 dias.

O fato irônico aqui é que a Câmara, embora seja obrigada a publicar suas contas – receita e despesa – no Portal de Transparência próprio, não o faz desde abril deste ano, conforme consulta e prints feitos na noite desta segunda-feira, dia 4, no endereço eletrônico camaradejacunda.pa.gov.br. A publicação mais recente é de diárias recebidas pelos vereadores e servidores no mês de abril de 2017. De lá para cá, nada de atualização.

Para quem atira tanta pedra, é bom olhar primeiro para a própria vidraça.

A denúncia chegou à Câmara Municipal no dia 1º de agosto e o assunto foi apresentado na sessão desta segunda-feira e votado e aprovado imediatamente, afastando o prefeito novamente.

Com isso, a posse do vice-prefeito Ismael Barbosa será nesta terça-feira amanhã, oito dias depois que o titular havia retornado ao cargo. Isso mostra que a decisão tem o mesmo viés de desafiar a decisão tomada pela Justiça recentemente.

A assessoria de Zé Martins informou que ele recorrerá da decisão. (Antônio Barroso e Ulisses Pompeu)

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.