Correio de Carajás

Assalto espalha terror às grávidas no HMI

Um assalto anunciado por volta de 20h10 desta quarta-feira, 2, levou terror às grávidas que aguardavam para o parto e seus acompanhantes no Hospital Materno Infantil (HMI). Na fuga, um homem que acompanhava uma parturiente teria sido levado como refém, colocado em seu carro, mas o veículo teria atropelado uma criança e o grupo abandonou o local a pé.

Uma médica que está no plantão nesta noite, contou à Reportagem do Correio de Carajás que um homem chegou sozinho às dependências do HMI, foi direto para a recepção e colocou uma arma na cabeça do atendente.

De lá, ele entrou na sala de acolhimento, onde havia algumas grávidas e seus acompanhantes. Fez um arrastão, levando 30 aparelhos celulares, bolsas e fugiu, levando um homem como refém. Ele teria empreendido fuga no veículo do refém, e ainda atropelou uma criança que passava pela rua 5 de abril, ainda perto do HMI.

Leia mais:

Servidores do hospital gravaram áudio e espalharam em redes sociais. Em um deles, uma servidora confirma o assalto e diz que foi apenas um elemento que espalhou terror, colocando a arma na cabeça do colega que trabalha na portaria. Ela cobrou policiamento para o hospital, onde as câmeras de segurança não funcionam há um bom tempo. “A gente aqui trabalha sem segurança. O bandido levou dinheiro e documentos de servidores”, lamentou ela.

A Reportagem do Correio conversou também, por telefone, com o inspetor Gilmar Carvalho, da Guarda Municipal, por volta de 22 horas. Ele informou que a GM e a Polícia Militar fazem rondas na Marabá Pioneira na tentativa de capturar o homem, descrito como magro, moreno, o qual usava camisa escura e boné branco. “As histórias estão meio confusas aqui. Algumas pessoas dizem que ele estava sentado do lado de fora do hospital passando-se por acompanhante há um tempo. Depois, anunciou o assalto e fugiu no veículo. Outra versão diz que a fuga foi a pé”, conta.

Quatro viaturas da Guarda Municipal estão na Marabá Pioneira para tentar prender uma pessoa com as características descritas pelas vítimas. “Dizem que usava um revólver calibre 38”, disse Gilmar Carvalo.

O inspetor da Guarda Municipal disse ainda que apesar de as câmeras de segurança do HMI não estarem funcionando, é possível que as de uma loja bem em frente tenham filmado o assaltante entrando ou saindo do hospital. “Vamos solicitar as imagens na manhã desta quinta-feira”, antecipou. (Ulisses Pompeu)

Um assalto anunciado por volta de 20h10 desta quarta-feira, 2, levou terror às grávidas que aguardavam para o parto e seus acompanhantes no Hospital Materno Infantil (HMI). Na fuga, um homem que acompanhava uma parturiente teria sido levado como refém, colocado em seu carro, mas o veículo teria atropelado uma criança e o grupo abandonou o local a pé.

Uma médica que está no plantão nesta noite, contou à Reportagem do Correio de Carajás que um homem chegou sozinho às dependências do HMI, foi direto para a recepção e colocou uma arma na cabeça do atendente.

De lá, ele entrou na sala de acolhimento, onde havia algumas grávidas e seus acompanhantes. Fez um arrastão, levando 30 aparelhos celulares, bolsas e fugiu, levando um homem como refém. Ele teria empreendido fuga no veículo do refém, e ainda atropelou uma criança que passava pela rua 5 de abril, ainda perto do HMI.

Servidores do hospital gravaram áudio e espalharam em redes sociais. Em um deles, uma servidora confirma o assalto e diz que foi apenas um elemento que espalhou terror, colocando a arma na cabeça do colega que trabalha na portaria. Ela cobrou policiamento para o hospital, onde as câmeras de segurança não funcionam há um bom tempo. “A gente aqui trabalha sem segurança. O bandido levou dinheiro e documentos de servidores”, lamentou ela.

A Reportagem do Correio conversou também, por telefone, com o inspetor Gilmar Carvalho, da Guarda Municipal, por volta de 22 horas. Ele informou que a GM e a Polícia Militar fazem rondas na Marabá Pioneira na tentativa de capturar o homem, descrito como magro, moreno, o qual usava camisa escura e boné branco. “As histórias estão meio confusas aqui. Algumas pessoas dizem que ele estava sentado do lado de fora do hospital passando-se por acompanhante há um tempo. Depois, anunciou o assalto e fugiu no veículo. Outra versão diz que a fuga foi a pé”, conta.

Quatro viaturas da Guarda Municipal estão na Marabá Pioneira para tentar prender uma pessoa com as características descritas pelas vítimas. “Dizem que usava um revólver calibre 38”, disse Gilmar Carvalo.

O inspetor da Guarda Municipal disse ainda que apesar de as câmeras de segurança do HMI não estarem funcionando, é possível que as de uma loja bem em frente tenham filmado o assaltante entrando ou saindo do hospital. “Vamos solicitar as imagens na manhã desta quinta-feira”, antecipou. (Ulisses Pompeu)

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.