Correio de Carajás

ANEEL autoriza Celpa a reajustar energia em 11,75% a partir de hoje

Foto: reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O que já é motivo para reclamação dos usuários de energia do Estado do Pará deve trazer ainda mais insatisfação em breve. Nesta manhã, terça-feira (7), a diretoria colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou reajuste anual nas tarifas da distribuidora de energia Celpa.

Com isso, a tarifa sofrerá aumento, em média, de 11,75% para os consumidores. Segundo o escritório regional do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Pará, o reajuste irá afetar 2,6 milhões de consumidores de unidades consumidoras em 144 municípios em todo o estado já a partir de hoje.

Conforme a distribuição, acrescenta a entidade, os consumidores residenciais/baixa tensão terão reajuste médio de 11,78 % e os de alta tensão (Setor Empresarial/Indústria e Comércio de 11,40%. A inflação estimada para os últimos 12 meses gira em torno de 4,00%.

Leia mais:

O Dieese destaca que, na prática, desde a privatização da concessionária em 1988 até hoje as altas no preço da energia foi bastante superior à inflação calculada para o mesmo período, alcançando mais de 600% contra inflação estimada em aproximadamente 250,00%.

Ainda conforme o escritório regional, em termos globais, este é o 20º reajuste na tarifa de Energia Elétrica autorizado pela ANEEL desde a privatização da Celpa.

NOTA

O Correio de Carajás entrou em contato com a assessoria de comunicação da fornecedora de energia, a qual informou ter sido uma determinação da ANEEL, em relação ao valor do reajuste e período

A ANEEL, por sua vez, emitiu nota confirmando o reajuste e afirmando que ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. “O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais”.

Ainda segundo a agência, “o efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública)”.

(Luciana Marschall)

Comentários

Mais

No Dia Mundial de Combate à Aids, papa pede solidariedade a vítimas

No Dia Mundial de Combate à Aids, papa pede solidariedade a vítimas

 O papa Francisco pediu nesta quarta-feira (1º) mais solidariedade com aqueles que sofrem com o vírus HIV, para garantir os…
Confira quem tem direito à tarifa social de energia elétrica com as novas regras

Confira quem tem direito à tarifa social de energia elétrica com as novas regras

O brasileiro poderá ter um desconto na conta de luz de 100% graças a um projeto de lei que prevê…
Nascidos em dezembro têm até o dia 31 para aderir ao saque-aniversário

Nascidos em dezembro têm até o dia 31 para aderir ao saque-aniversário

Trabalhadores nascidos em dezembro têm, de hoje (1º) até 31 de dezembro, para aderir ao saque-aniversário do Fundo de Garantia…
São Paulo confirma terceiro caso da variante ômicron no Brasil

São Paulo confirma terceiro caso da variante ômicron no Brasil

A Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo confirmou nesta quarta-feira (1°) o terceiro caso da variante Ômicron no…
Vacinas devem proteger infectados por variante Ômicron, diz secretário

Vacinas devem proteger infectados por variante Ômicron, diz secretário

O secretário de Saúde do Reino Unido, Sajid Javid, disse, nesta quarta-feira (1º),que é possível que as vacinas sejam menos…
Foto de menino que encontrou árvore de Natal em lixão no Maranhão comove e viraliza

Foto de menino que encontrou árvore de Natal em lixão no Maranhão comove e viraliza

Um registro feito pelo fotógrafo João Paulo Guimarães no município de Pinheiro, a 333 km de São Luís, tem chamado…