Correio de Carajás

Almodóvar anuncia para este ano ‘Madres paralelas’, o filme sobre “mães imperfeitas” gravado na pandemia

Milena Smit e Penélope Cruz, em ‘Madres paralelas’.
Milena Smit e Penélope Cruz, em ‘Madres paralelas’.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Cineasta lançará seu novo longa-metragem nas salas da Espanha em 10 de setembro. Na sétima produção com Penélope Cruz, volta a abordar o universo feminino, a maternidade e a família

Em uma decisão surpreendente, Pedro Almodóvar acelerou a pós-produção de mais novo longa-metragem, Madres paralelas, e estreará o filme no dia 10 de setembro na Espanha. Com a decisão, espera estimular a volta do público às salas de cinema após o verão europeu. O anúncio da data de estreia deixa claro que a produtora El Deseo, dos irmãos Almodóvar, não guardará seu trabalho até o festival de Cannes 2022, certame habitual de lançamento de seus filmes. A data também antecede o início do festival de San Sebastián.

Madres paralelas também será a pós-produção mais rápida das últimas décadas na carreira de Pedro Almodóvar, já que a rodagem terminou, depois de 10 semanas de trabalho, nos últimos dias de maio. O diretor costuma ter a montagem muito avançada durante as filmagens —Teresa Font esteve a cargo desta tarefa, em sua terceira colaboração com Almodóvar—, portanto o principal esforço agora recai sobre a equipe de pós-produção e Alberto Iglesias, compositor da trilha sonora.

No comunicado distribuído à imprensa, o produtor Agustín Almodóvar afirma: “Estou feliz em poder anunciar a chegada aos cinemas espanhóis do novo filme de Pedro Almodóvar, Madres paralelas. Dados os tempos complexos e imprevisíveis que temos de viver, nos dá muita segurança trabalhar com uma empresa como a Sony Pictures, em cuja equipe confiamos depois de compartilharmos uma maravilhosa experiência om o lançamento de nosso filme anterior, Dor e glória”.

Leia mais:
As atrizes em cena do filme./ Foto: EL DESEO
As atrizes em cena do filme./ Foto: EL DESEO

Quando o projeto foi anunciado, o diretor explicou: “Com Madres paralelas volto ao universo feminino, à maternidade, à família. Falo da importância dos ancestrais e dos descendentes. A presença inevitável da memória. Há muitas mães na minha filmografia, as que fazem parte dessa história são muito diferentes. Como narrador, neste momento me inspiram mais as mães imperfeitasPenélope Cruz, Aitana Sánchez Gijón e a jovem Milena Smit interpretarão as três mães do filme, acompanhadas por Israel Elejalde no principal personagem masculino. Também conto com a colaboração das minhas queridas Julieta Serrano e Rossy de Palma. Madres paralelas será um drama intenso. Ou assim espero”.

A produtora El Deseo também divulgou uma sinopse oficial de Madres paralelas: “Duas mulheres, Janis e Ana, se encontram em um quarto de hospital onde vão dar à luz. Ambas são solteiras e engravidaram acidentalmente. Janis, de meia-idade, não se arrepende e nas horas anteriores ao parto está exuberante; a outra, Ana, é adolescente e está assustada, arrependida e traumatizada. Janis tenta animá-la enquanto passeiam como sonâmbulas pelo corredor do hospital. As poucas palavras que trocam nessas horas criarão um vínculo muito estreito entre as duas, que o acaso se encarregará de desenvolver e complicar de uma forma tão retumbante que mudará a vida de ambas”. Pelo que foi anunciado durante as filmagens, a trama se passa durante o primeiro ano de vida dos respectivos filhos. São mães, segundo Almodóvar, “igualmente abnegadas”, embora “imperfeitas e complexas”.

Imagem de ‘Madres Paralelas’, o novo filme de Pedro Almodóvar./ Foto: EL DESEO
Imagem de ‘Madres Paralelas’, o novo filme de Pedro Almodóvar./ Foto: EL DESEO

O roteiro de seu 22º longa-metragem —que é também sua sétima colaboração com Penélope Cruz— foi escrito por Almodóvar durante o confinamento, quando devido à pandemia teve de abandonar temporariamente a adaptação de Manual da faxineira, de Lucia Berlin. Durante esse tempo, Almodóvar também rodou e estreou o média-metragem A voz humana, sua adaptação do monólogo de Jean Cocteau, estrelado por Tilda Swinton. (El País)

Comentários
Ação global em defesa do clima reúne mais de 20 países

Ação global em defesa do clima reúne mais de 20 países

Com shows simultâneos ao redor do mundo, o Climate Live é realizado neste sábado (16), como um alerta para a…
Zé do Caixão vai ganhar filme em versão americana produzida por Elijah Wood

Zé do Caixão vai ganhar filme em versão americana produzida por Elijah Wood

Zé do Caixão, personagem do ator, diretor e roteirista José Mojica Marins, voltará aos cinemas em dois projetos. Segundo o…
Rock in Rio 2022 anuncia Coldplay no Palco Mundo no dia 10 de setembro

Rock in Rio 2022 anuncia Coldplay no Palco Mundo no dia 10 de setembro

A organização do Rock in Rio 2022 anunciou nesta quinta-feira (14) o show do Coldplay. O grupo inglês será a atração principal…
'Round 6' bate recorde e se torna série mais vista da história da Netflix

'Round 6' bate recorde e se torna série mais vista da história da Netflix

“Round 6” se tornou a série mais assistida da Netflix e já foi assistida “por 111 milhões de lares”, anunciou…
'Capitão Kirk' treina para voo com empresa de Jeff Bezos nesta quarta

'Capitão Kirk' treina para voo com empresa de Jeff Bezos nesta quarta

Os quatro passageiros da 2ª missão tripulada da Blue Origin, empresa de turismo espacial de Jeff Bezos, realizaram um treinamento no último…
Projeto oferece atividades culturais gratuitas em Marabá

Projeto oferece atividades culturais gratuitas em Marabá

Ampliar o acesso à diversidade cultural aos moradores de Marabá, incentivando o interesse por diferentes formas de expressão artística. Esse…