Correio de Carajás

Adonei sabota transição para o governo de Mariana Chamon

Adonei Aguiar já avisou que não pagará 1/6 de férias
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mariana Chamon estará de olhos vendados quando assumir o cargo de prefeita de Curionópolis a partir desta sexta-feira (1º), isso porque Adonei Aguiar negou-se a fazer a transição do governo, deixando de entregar os bens do município e de fornecer mais de 40 documentos essenciais para que ela conhecesse a atual situação da gestão.

Junto à Equipe de Transição, a prefeita eleita gravou um vídeo no início da noite desta quinta-feira (31), em frente à Prefeitura Municipal, informando a situação para a população.

O descaso do governo com o importante momento para a administração também motivou a coordenadora da Equipe de Transição, Claudia Cristina Antunes Macêdo Pinotti, a encaminhar dois ofícios denunciando a situação ao presidente do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA), Sérgio Belich de Souza Leão, e à promotora de Justiça do Ministério Público do Estado do Pará, Cristine Magella Correa Lima, que atua em Curionópolis.

Leia mais:

Conforme o relatado, as solicitações para que a transição fluísse foram apresentadas em cinco reuniões presenciais com representantes de Adonei Aguiar e também por e-mail. Nessas ocasiões, foram requeridos principalmente dados relacionados à situação fiscal, ao quadro de pessoal, aos saldos bancários e aos compromissos referentes a contratos vigentes.

Diante da negativa de colaboração, Mariana Chamon sequer sabe com clareza quantos servidores a Prefeitura Municipal possui, se há algum centavo nos caixas ou quais fornecedores devem receber pagamentos no mês de janeiro.

“(…) a Prefeita Eleita não teve acesso a nenhum documento relevante acerca da gestão contábil, financeira e administrativa da Prefeitura. Foram permanentemente sonegadas informações fundamentais para o planejamento do início da gestão, até mesmo sobre os serviços essenciais como saúde e limpeza urbana, de forma que pudesse ser evitada solução de continuidade na prestação de serviços para o cidadão”, ressalta o ofício.

A coordenação comunicou também o leilão de patrimônio público realizado por Adonei Aguiar no último mês de governo dele, que feriu a lei de transparência e pode ser considerado imoral, vez que foi entregue, entre máquinas pesadas e veículos, uma ambulância praticamente nova, apenas avariada em decorrência de um acidente de trânsito, por valor a partir de R$ 10 mil. O equipamento não custa menos de R$ 200 mil aos cofres públicos. O caso foi divulgado com exclusividade, nesta semana, pelo Correio de Carajás.

“Vale ressaltar que a equipe da Prefeitura em nenhum momento deu conhecimento à equipe da Prefeita Eleita acerca desse procedimento, em flagrante desrespeito ao que determina a IN no 16/2020-TCMPA. Manifestamos, portanto, nossa estranheza pelo fato de que o procedimento de alienação de bens públicos municipais esteja sendo realizado no último mês de mandato, em pleno período de transição, sem a devida autorização legislativa, e sem a publicação em diário oficial do respectivo Edital, o que infringe frontalmente os princípios da legalidade e da publicidade requeridos”, destaca a coordenadora.

A denúncia trata, ainda, da recusa de Adonei Aguiar em entregar os bens imóveis e veículos, próprios e locados, ressaltando que a equipe chegou a sugerir um cronograma a ser seguido para este ato e que foi completamente ignorado pela gestão. A Equipe de Transição solicita tanto ao TCM-PA quanto ao MPPA que Adonei Aguiar seja devidamente responsabilizado pela omissão.

“Agindo dessa forma o atual Gestor Municipal tenta comprometer a atuação do novo governo em seu início, pois não há como realizar planejamento eficiente para a manutenção dos serviços públicos se não sabemos como se encontra o provisionamento de recursos nas contas da Prefeitura, o suprimento de medicamentos no hospital e postos de saúde, a situação dos contratos administrativos, como por exemplo, de locação de imóveis onde funcionam os abrigos de idosos e de crianças e adolescentes, os procedimentos licitatórios em andamento, o número de servidores que trabalham em cada órgão e o tipo de vínculo, os bens móveis e imóveis que o Município efetivamente dispõe como ambulâncias ou máquinas, a situação atualizada de execução das obras. Enfim, diante desse cenário a Prefeita Eleita assumirá o município no dia 01 de janeiro de 2021 totalmente às cegas”, resumem as denúncias. (Luciana Marschall)

Mais

Estados e municípios poderão utilizar saldos de fundos de saúde

Estados e municípios poderão utilizar saldos de fundos de saúde

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei complementar que estende até o fim de 2021 a autorização concedida a estados,…
Senadores avaliam semana da CPI da Pandemia como positiva

Senadores avaliam semana da CPI da Pandemia como positiva

Os senadores avaliaram de forma positiva a primeira semana de oitivas da CPI da Pandemia. Foram ouvidos os ex-ministros da…
Brasil precisa fortalecer produção de insumos, diz Queiroga

Brasil precisa fortalecer produção de insumos, diz Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quinta-feira (6) em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia…
Queiroga diz que enfrentamento à pandemia requer união de forças

Queiroga diz que enfrentamento à pandemia requer união de forças

Em depoimento nesta quinta-feira (6) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado, o ministro da Saúde, Marcelo…
Teich diz que deixou cargo por falta de autonomia e por não aceitar cloroquina

Teich diz que deixou cargo por falta de autonomia e por não aceitar cloroquina

O ex-ministro da Saúde Nelson Teich disse nesta quarta-feira (5) em depoimento à CPI da Pandemia que deixou o governo…
Bolsonaro defende liberdade e cogita decreto de livre circulação

Bolsonaro defende liberdade e cogita decreto de livre circulação

Em discurso hoje (5) em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre as manifestações ocorridas no 1º de…