Correio de Carajás

90% dos crimes sexuais contra menores não são notificados em Marabá

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Encerra hoje, quinta-feira, em Marabá, uma vasta programação com palestras e cursos de capacitação do Movimento pela Valorização do Estatuto da Criança e do Adolescente (Mover). A programação está em caravana pelo interior do Estado e aqui recebe cerca de 100 pessoas oriundas de Itupiranga, São Domingos do Araguaia, São João do Araguaia, Eldorado dos Carajás, Parauapebas, entre outros.

A programação está acontecendo no auditório da Maria Fernandes, da Escola Municipal José Mendonça Virgulino, com o objetivo de discutir e atualizar a garantia de direitos. O Pro Paz Mover desenvolve ações de articulação entre órgãos do poder executivo, legislativo, judiciário e sociedade civil para a implementação do Sistema de Garantia de Direitos da criança e do adolescente.

Com quase 30 anos, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é um mecanismo de proteção integral a esse público, que visa garantir os direitos fundamentais inerentes as pessoas.

Leia mais:

Heitor Pinheiro, secretário de Estado de Integração de Políticas Sociais, em sua palestra de abertura trabalhou a temática dos direitos da infância e da adolescência e reforçou que ela precisa ser atualizada com debates. “Temos o marco legal da terceira infância, que traz inovações no atendimento e defesa da criança e do adolescente”, disse Heitor Pinheiro.

A promotora da Infância Alexssandra Muniz Mardegan falou nesta quarta-feira sobre violência sexual contra crianças e adolescentes, abordando os aspectos jurídicos e penais. Ela esclareceu que, pela Súmula 593 do STJ: “O crime de estupro de vulnerável configura-se com a conjunção carnal ou prática de ato libidinoso com menor de 14 anos, sendo irrelevante o eventual consentimento da vítima para a prática do ato, experiência sexual anterior ou existência de relacionamento amoroso com o agente”.

Alexssandra discorreu também sobre a Lei Joanna Maranhão, de 2012, e ainda a Lei Menino Bernardo, de 2014, todas relacionadas à proteção da criança e adolescente.

Ela também apresentou aos presentes dados da DEACA (Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente) de Marabá, os quais revelam que em 2017, apenas 65 Inquéritos Policiais foram instaurados para apurar abuso sexual de crianças e adolescentes em Marabá. “Avaliamos que o índice de subnotificação é de 90%, o que equivaleria há 123 outros inquéritos”, diz a promotora.

Ações estratégicas

A capacitação acontece também à distância (EAD), por meio de curso em Garantia de Direitos de Crianças e de Adolescentes; orientação em Justiça Juvenil Restaurativa para geração e disseminação de conhecimento; sensibilização de governos municipais por prioridades e equidade do investimento social no Município; análise da situação da violência contra a criança e adolescente, qualificando o registro de notificações para apoio à gestão das políticas públicas; e estímulo as famílias e comunidades para proteção das crianças e adolescentes contra todas as formas de violência, inclusive no ambiente familiar. (Ulisses Pompeu, com informações da Agência Pará)

Encerra hoje, quinta-feira, em Marabá, uma vasta programação com palestras e cursos de capacitação do Movimento pela Valorização do Estatuto da Criança e do Adolescente (Mover). A programação está em caravana pelo interior do Estado e aqui recebe cerca de 100 pessoas oriundas de Itupiranga, São Domingos do Araguaia, São João do Araguaia, Eldorado dos Carajás, Parauapebas, entre outros.

A programação está acontecendo no auditório da Maria Fernandes, da Escola Municipal José Mendonça Virgulino, com o objetivo de discutir e atualizar a garantia de direitos. O Pro Paz Mover desenvolve ações de articulação entre órgãos do poder executivo, legislativo, judiciário e sociedade civil para a implementação do Sistema de Garantia de Direitos da criança e do adolescente.

Com quase 30 anos, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) é um mecanismo de proteção integral a esse público, que visa garantir os direitos fundamentais inerentes as pessoas.

Heitor Pinheiro, secretário de Estado de Integração de Políticas Sociais, em sua palestra de abertura trabalhou a temática dos direitos da infância e da adolescência e reforçou que ela precisa ser atualizada com debates. “Temos o marco legal da terceira infância, que traz inovações no atendimento e defesa da criança e do adolescente”, disse Heitor Pinheiro.

A promotora da Infância Alexssandra Muniz Mardegan falou nesta quarta-feira sobre violência sexual contra crianças e adolescentes, abordando os aspectos jurídicos e penais. Ela esclareceu que, pela Súmula 593 do STJ: “O crime de estupro de vulnerável configura-se com a conjunção carnal ou prática de ato libidinoso com menor de 14 anos, sendo irrelevante o eventual consentimento da vítima para a prática do ato, experiência sexual anterior ou existência de relacionamento amoroso com o agente”.

Alexssandra discorreu também sobre a Lei Joanna Maranhão, de 2012, e ainda a Lei Menino Bernardo, de 2014, todas relacionadas à proteção da criança e adolescente.

Ela também apresentou aos presentes dados da DEACA (Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente) de Marabá, os quais revelam que em 2017, apenas 65 Inquéritos Policiais foram instaurados para apurar abuso sexual de crianças e adolescentes em Marabá. “Avaliamos que o índice de subnotificação é de 90%, o que equivaleria há 123 outros inquéritos”, diz a promotora.

Ações estratégicas

A capacitação acontece também à distância (EAD), por meio de curso em Garantia de Direitos de Crianças e de Adolescentes; orientação em Justiça Juvenil Restaurativa para geração e disseminação de conhecimento; sensibilização de governos municipais por prioridades e equidade do investimento social no Município; análise da situação da violência contra a criança e adolescente, qualificando o registro de notificações para apoio à gestão das políticas públicas; e estímulo as famílias e comunidades para proteção das crianças e adolescentes contra todas as formas de violência, inclusive no ambiente familiar. (Ulisses Pompeu, com informações da Agência Pará)

Comentários

Mais

MPs recomendam proteção de indígenas contra covid-19 no sudeste do PA

MPs recomendam proteção de indígenas contra covid-19 no sudeste do PA

Em recomendações conjuntas, o Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) requisitaram uma série…
A arte pra “rir, chorar e refletir” de Mandie Gil

A arte pra “rir, chorar e refletir” de Mandie Gil

Artes, maquiagens, receitas, discussões político-sociais, tutoriais, dicas, gatos…. tem um pouco de muito no perfil de Amanda Gil Cardoso de…
Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real

O salário mínimo em 2022 será de R$ 1.147 e não terá aumento acima da inflação, anunciou o Ministério da…
Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias

Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou hoje (15) aumentos de R$ 0,10 (3,7%) no preço do diesel e de R$ 0,05 (1,9%) no…
Linha Verde lança campanha “Abril Laranja”

Linha Verde lança campanha “Abril Laranja”

O programa Linha Verde aderiu à campanha “Abril Laranja”, que possui como objetivo conscientizar a população e prevenir o crime…
Sespa reforça necessidade de tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19

Sespa reforça necessidade de tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19

Para que a proteção à Covid-19 proporcionada pelas vacinas funcione como o previsto é necessário tomar as duas doses, tanto…