Correio de Carajás

Vereadores retomam trabalho aprovando execução de hinos em escolas privadas

PARAUAPEBAS

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um único projeto de lei foi votado e aprovado durante a sessão extraordinária desta terça-feira (3) da Câmara Municipal de Parauapebas, que marcou o retorno das atividades presenciais dos vereadores, além do final do período de recesso. Os trabalhos, contudo, não voltaram à normalidade, pois segue proibida a presença de público no auditório central, que deverá permanecer fechado nos dias e horários de sessão, sendo permitidas a entrada e permanência apenas de vereadores e servidores.

O projeto – que recebeu 13 votos favoráveis – torna obrigatório o hasteamento da bandeira nacional e a execução dos hinos nacional e do município nas escolas da rede particular de Parauapebas. Caso o texto de autoria do vereador Rafael Ribeiro seja sancionado pelo prefeito Darci Lermen, as escolas terão que organizar o ato uma vez por semana.

Conforme a justificativa apresentada no projeto, a execução semanal do hino nacional já é prevista em lei federal. No caso do projeto, foi incluído também o hino de Parauapebas. “Muito se fala, no Brasil, da falta de civismo das crianças e jovens, porém há vários anos a educação não está mais voltada para esse fim”, sustenta a justificativa.

Leia mais:

Conforme o texto, criado no governo de Getúlio Vargas, em 1936, o costume de se executar o hino nacional nas escolas públicas e privadas tinha como objetivo fazer com que os estudantes aprendessem a cantá-lo, além de servir como demonstração de amor à Pátria.

O vereador ainda compara o Brasil aos Estados Unidos, onde, afirma, se vê bandeiras hasteadas por todo o país, “além de uma população que valoriza a terra natal”. Os brasileiros, argumenta, “só demonstram interesse pela celebração em época de Copa do Mundo ou na comemoração da Independência do país, no dia 07 de setembro”.

Por fim, relembra de forma saudosa a disciplina Educação Moral e Cívica, atualmente extinta da grade curricular e na qual eram trabalhados os hinos brasileiros e as armas nacionais. “Com isso, tínhamos uma população jovem ligada às questões políticas, de interesse nacional, demonstrando valorizar o Brasil”.

Na sessão, foram aprovadas, também, 19 indicações e um requerimento. (Luciana Marschall)

Comentários

Mais

Publicado decreto que aumenta IOF para custear Auxílio Brasil

Publicado decreto que aumenta IOF para custear Auxílio Brasil

O Diário Oficial da União (DOU) publicou hoje (17) um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro com as novas alíquotas do Imposto sobre Operações…
Ministro aponta erros de estados e diz que limitou vacinação de adolescentes por cautela

Ministro aponta erros de estados e diz que limitou vacinação de adolescentes por cautela

O ministro Marcelo Queiroga disse nesta quinta-feira (16) que a decisão de restringir a vacinação de adolescentes apenas aos grupos prioritários (deficiência…
Ministério estuda aproveitar créditos de cursos profissionalizantes

Ministério estuda aproveitar créditos de cursos profissionalizantes

O Ministério da Educação estuda permitir que estudantes formados em cursos técnico-profissionalizantes aproveitem os créditos acadêmicos caso decidam continuar os…
Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia manteve a projeção para o crescimento da economia este ano…
Caçula põe irmão mais velho em enrascada

Caçula põe irmão mais velho em enrascada

Um curioso caso de receptação (adquirir mercadoria proveniente de roubo ou furto) foi registrado na Vila Carimã, zona rural de…
Transporte público volta a ser criticado na Câmara de Marabá

Transporte público volta a ser criticado na Câmara de Marabá

Serviço que afeta grande parte da população, o transporte público de Marabá está sempre em pauta nas discussões políticas da…