Correio de Carajás

Vale admite que monitoramento em Brumadinho não funcionou

Número de vítimas identificadas sobe para 250
Adriano Machado/Reuters
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, admitiu nesta quinta-feira (14) que as medidas de monitoramento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) não funcionaram. “A Vale reconhece, humildemente, que seja lá o que vinha fazendo, não funcionou, já que uma barragem caiu”, disse na Comissão Externa de Brumadinho, na Câmara dos Deputados.

Ainda segundo Schvartsman, até agora a mineradora, que trata o rompimento como “acidente”, não sabe o que causou a tragédia. “Passadas essas semanas desde o acidente, nós continuamos sem saber os motivos que causaram o acidente. Todas as informações que nós possuíamos, que nos eram enviadas pelos técnicos da Vale, demostravam que não havia qualquer perigo iminente sobre aquela barragem, consequentemente, não havia nenhuma razão de alarme ou de preocupação maior da gestão da companhia. Se nós tivessemos tido qualquer sinal relevante nessa direção, teríamos agido em conformidade”, disse.

O executivo disse que a companhia solicitou, por meio do governo brasileiro, contato com o órgão americano que licencia todas as barragens nos Estados Unidos – The United States Army Corps of Engineers (USACE). O objetivo é que eles façam uma revisão em todos os processos da Vale, envolvendo barragens. O presidente da Vale acredita que os norte-americanos podem colaborar no aperfeiçoamento do Código de Mineração brasileiro, introduzindo novas restrições e novas regras para o funcionamento de barragens. “A Vale não pode e não quer ter problemas com barragens, isso é inaceitável”, afirmou.

Leia mais:

Causas

Apesar de ter dito que ainda não sabe as causas do rompimento da barragem, Fábio Schvartsman enfatizou que essa questão se sustenta em laudos de estabilidade que, segundo ele, são a “pedra fundamental” de todo o sistema de mineração dentro e fora do Brasil. “É impossível de outra maneira gerir um sistema que mundialmente tem dezenas e milhares de barragens pelo mundo. Gente altamente especializada dizendo se essa barragem corre ou não perigo iminente. É óbvio que se algum desses especialistas achar que alguma barragem corre risco iminente, não dará um laudo de estabilidade”, ressaltou.

Monitoramento

Sobre como poderia garantir que outras barragens não correm risco de ter o mesmo problema de Brumadinho, Schvartsman disse que a companhia mudou a forma de acompanhamento dessas estruturas. “Nós tornamos o monitoramento de todas as estruturas para 24 horas por dia. Nós estamos fazendo o monitoramento integral de todas elas, com a intenção de ter capacidade de reação a qualquer mudança de situação”, garantiu.

O presidente da Vale lembrou que na semana passada cerca de 500 pessoas tiveram que deixar suas casas em Barão de Cocais (MG) após um aviso de ruptura da barragem Sul Superior da Mina Congo Soco, da Vale. Sirenes alertaram a população para evacuar a área, em plano de emergência acionado pela Agência Nacional de Mineração (ANM).

O rompimento da barragem da Mina Córrego de Feijão, em Brumadinho (MG), deixou até agora 166 mortos e 155 desaparecidos. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

Pandemia afeta em cheio a maior festa popular de Marabá

Pandemia afeta em cheio a maior festa popular de Marabá

Pelo segundo ano consecutivo, não serão permitidos festejos juninos em Marabá, por causa da pandemia do coronavírus. A decisão foi…
Hemopa registra 6% de aumento no número de bolsas coletadas, entre abril e maio de 2021

Hemopa registra 6% de aumento no número de bolsas coletadas, entre abril e maio de 2021

O Luiz Gustavo tem seis anos e assim como muitos meninos da sua idade, adora jogar futebol. Mas a Beta…
Artista visual marabaense expõe obras oxidadas por grades de ferro

Artista visual marabaense expõe obras oxidadas por grades de ferro

A Fundação Casa da Cultura de Marabá recebe, a partir das 9 horas desta terça-feira, 15, a Exposição “Rendas de…
Tudo sobre foguete gigante da Nasa que vai levar astronautas à Lua e a Marte

Tudo sobre foguete gigante da Nasa que vai levar astronautas à Lua e a Marte

A Nasa tem planos de enviar um homem e uma mulher à superfície lunar ainda nesta década — será o…
Servidor da Cadeia de Parauapebas responde processo por disparo de arma

Servidor da Cadeia de Parauapebas responde processo por disparo de arma

O corregedor-geral penitenciário do Pará em exercício Vitor Ramos Eduardo instaurou Processo Administrativo Disciplinar visando apurar responsabilidade administrativa e funcional…
Posts exageram impacto da doação de máquinas israelenses que produzem água

Posts exageram impacto da doação de máquinas israelenses que produzem água

Imvestigado por: Verificado  por: Enganoso Posts enganam ao insinuar que, sob a gestão de Bolsonaro, o sertão brasileiro vai se…