Correio de Carajás

Total de pessoas deslocadas no mundo em 2020 passa de 80 milhões, estima a ONU

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Acnur, a Agência da ONU para Refugiados, estima que no meio de 2020 o número de pessoas obrigadas a deixar suas casas por perseguição, conflito e violações de direitos humanos tenha ultrapassado a marca de 80 milhões, de acordo com um relatório divulgado nesta quarta-feira (9) em Genebra, na Suíça.

No começo do ano, segundo a Acnur, esse número chegava a 79,5 milhões.

Conforme os dados mais recentes, a maioria das pessoas forçadas a deixar suas casas (57,5%) permaneceu em seus próprios países — é o que a Acnur chama de “deslocamento interno”, também motivado por perseguição, conflito e violações de direitos humanos.

Leia mais:

Além disso, 30% desse número — ou 26,3 milhões — são formalmente consideradas refugiadas: estão em situação de refúgio em outros países. E pouco mais de 4%, ou seja, 3,6 milhões, deixaram suas casas mas ainda procuram refúgio.

4,5 milhões de venezuelanos

A agência aponta que 4,5 milhões de venezuelanos foram deslocados.

A maioria deles (3,6 milhões) foi para outro país, mas eles não têm a condição de refugiado ou de pessoas que buscam asilo politico.

A maioria (67%) dos refugiados são de apenas cinco países: Síria, Venezuela, Afeganistão, Sudão do Sul e Mianmar.

Pandemia de Covid-19, guerras e pobreza

A Acnur cita uma análise do Banco Mundial que aponta três fatores que podem agravar crises econômicas ao redor do mundo e forçar mais deslocamentos: a pandemia de Covid-19, conflitos armados e mudança climática.

Em seu comunicado, a Acnur cita alguns dos conflitos que fizeram com que houvesse mais deslocados: a violência na Síria, na República Democrática do Congo, em Moçambique, na Somália e no Iêmen.

Novos deslocamentos significativos também foram registrados na região do Sahel Central da África, à medida que civis são submetidos a violência brutal, incluindo estupro e execuções.

“Com o deslocamento forçado dobrando na última década, a comunidade internacional está falhando em garantir a paz”, disse Filippo Grandi, Alto Comissariado da ONU para Refugiados.

“Estamos ultrapassando outro marco sombrio que continuará a crescer, a menos que os líderes mundiais façam as guerras parar.”

(Fonte:G1)

Comentários

Mais

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Em isolamento social, as pessoas tendem a sentir falta de sair e do contato com a natureza, por isso, ter…
Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

O mundo chegou neste sábado (17) à triste marca de 3 milhões de mortes causadas pela Covid-19, em meio à…
Pará gera mais de 3 mil postos formais de trabalho no setor de serviços

Pará gera mais de 3 mil postos formais de trabalho no setor de serviços

“Eu atuo no ramo de eventos, sou segurança, e em meio à pandemia o nosso trabalho parou. Atualmente, a banda…
Novo estudo descarta elo entre tipo sanguíneo e a incidência de Covid

Novo estudo descarta elo entre tipo sanguíneo e a incidência de Covid

Uma investigação feita com mais de 100 mil pessoas nos Estados Unidos demonstrou que não há relação entre o tipo sanguíneo…
Pequeno ouvinte da Correio FM é premiado com bolo de aniversário

Pequeno ouvinte da Correio FM é premiado com bolo de aniversário

O garoto Angelo Miguel, pequeno ouvinte da nossa rádio, foi o grande ganhador da Promoção Aniversariante do Mês da Correio…
Coronafobia: transtornos compulsivos e de ansiedade por conta da pandemia

Coronafobia: transtornos compulsivos e de ansiedade por conta da pandemia

Há um ano que todo o Brasil vem enfrentando a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Sentimentos como incerteza e ansiedade…