Foto: Tina Santos
Ads

A Câmara Municipal de Parauapebas (CMP) realizou na manhã de hoje, quinta-feira, 1º, Sessão Solene para marcar a reabertura dos trabalhos legislativos no segundo semestre de 2019. Na próxima terça-feira, 6, acontece a primeira Sessão Ordinária do retorno do recesso legislativo.

Ads

A sessão solene foi marcada por discursos em tom de crítica de boa parte dos vereadores ao governo municipal e também ao governo federal. Para os legisladores, o governo municipal precisa começar a dizer ao que veio.

Joelma Leite (PSD), Ivanaldo Braz (sem partido) e Zacarias Marques (sem partido) avaliaram que o tempo está se exaurindo, ano que vem já tem eleição e o povo deve dar a resposta nas urnas. Kellen Adriana (PTB) também alfinetou o governo e pediu mais empenho na defesa do ensino superior.

O vereador Horácio Martins criticou a ausência do prefeito Darci Lermen (MDB) na Sessão Solene. Frisou que o povo está insatisfeito com o governo e essa era uma oportunidade para o gestor falar à população sobre o que planeja fazer para melhorar essa realidade.

“É um desrespeito a ausência do prefeito na abertura dos trabalhos legislativos. Seria de fundamental importância que o prefeito, diante de tantas situações difíceis pela quais passa Parauapebas, estivesse presente. Essa era a oportunidade de ele falar a população e até dar um alento porque a situação não está nada bem”, cutucou.

O presidente da Casa, Luiz Castilho (PROS), procurou amenizar a situação e disse que o governo estava representado na sessão através dos secretários ali presentes. Também frisou que as figuras centrais estavam presentes, que são os vereadores.

O vereador fez um breve balanço das ações da Câmara nessa legislatura, lembrando a instauração da CPI contra a Celpa, e disse que espera um segundo semestre de trabalho bastante produtivo. Líder do governo, José Francisco Amaral Pavão (MDB) rebateu as críticas ao Poder Executivo.

Pavão afirmou que o governo está sim trabalhando e promovendo melhorias nas ruas, nas escolas e no setor de saúde. Sobre o fato de o prefeito não ter ido à Câmara, afirmou que isso é irrelevante e que o mais importante é o gestor estar nas ruas, verificando obras, como disse ter visto na manhã de hoje.

“Eu vi o gestor visitando obras esta manhã. Eu prefiro ver ele na rua do que aqui na Câmara”, disse o vereador, frisando que o governo está sim realizando ações na cidade e no campo.

Ainda segundo Pavão, o governo prevê um pacote de ações a ser deslanchado e que irá atender diversas áreas. “Muitas coisas virão”, garantiu.

DESPEDIDA

A sessão solene marcou a despedida de Rafael Ribeiro (MDB), que estava ocupando a cadeira de José das Dores Couto, o Coutinho (MDB), que reassumiu o cargo após deixar a Secretaria Municipal de Saúde. Emocionado, o vereador fez um balanço da sua atividade parlamentar, durante um ano e um mês que ficou na cadeira, e disse que sentia que deixou o cargo com a certeza do dever cumprido.

Ele disse que nesse período apresentou 140 proposições, entre indicações, moções e projetos de lei. Rafael diz sentir que não estava dando adeus, mas sim um até breve ao cargo de vereador, porque espera ser eleito na próxima eleição.

“Desde os meus sete anos sonho ser vereador e já realizei parte desse sonho, nesse um ano e um mês, mas eu vou continuar minha luta, para voltar à Câmara como vereador eleito”, espera Rafael, que foi o vereador mais novo da Câmara e o primeiro nascido na cidade.

Rafael recebeu o carinho dos agora ex-colegas, que elogiaram seu trabalho e desejaram sorte a ele na luta para tentar retornar à Casa de Leis. “Não tenho dúvida que você irá voltar como titular. Se eu estou como como vice-presidente da Câmara, te agradeço muito. Você foi a espinha dorsal da minha estada aqui”, agradeceu Horácio Martins.  (Tina Santos)

Ads