Correio de Carajás

TIÃO NA MADRUGADA: “Orla será restaurada ao padrão original”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ainda em sua gestão anterior, entre os anos de 2005 a 2008, Tião Miranda abandonou o Gabinete Oficial, na Folha 31, e instalou um paralelo na Secretaria de Viação e Obras Públicas, na folha 35, de onde acompanha de perto a execução de obras, recebe secretários municipais, despacha com vereadores e outras autoridades. Diferente de seus dois últimos antecessores, não aparece tanto em eventos sociais e prefere enviar representantes. Todavia, nas últimas semanas, ele tem saído mais do casulo, participa de cerimônias e celebrações, como sarau da Fundação Casa da Cultura e dos Festejos Juninos. E foi nessa última que TM (como é chamado pelos assessores mais próximos) encontrou um tempo para a entrevista de 16 minutos com a Reportagem do Portal Correio por volta de 2h30, após a entrega de premiação aos campeões. A seguir, a conversa com ele na íntegra:

CORREIO DE CARAJÁS – O verão chegou e a Prefeitura ainda não começou o chamado “pacote de obras” na cidade. O que está faltando?

TIÃO MIRANDA – Temos várias obras que já estão sendo licitadas, indo para concorrência pública, sendo algumas de emendas parlamentares, outras com recursos da Vale, e outras da Caixa, as quais vamos iniciar os projetos executivos. E isso é extremamente importante, sem os projetos com detalhamento evitam surpresas durante a execução. E isso já aconteceu, principalmente, com as obras de pavimentação, que é cara e se não forem bem feitas a gente acaba jogando os recursos fora. O asfalto precisa ter uma base boa, com drenagem profunda e contratamos uma empresa que, em parceria com nosso pessoal, está elaborando os projetos executivos. Mas em breve vamos começar a liberar essas obras, com asfalto de ruas, reforma de colégio e uma série de coisas mais.

Leia mais:

CORREIO DE CARAJÁS – O senhor construiu e sempre se orgulhou da Orla do Rio Tocantins, que leva o nome de seu pai, mas hoje aquela área está decadente. Pretende revitalizá-la?

TIÃO MIRANDA – Já abrimos concorrência para recuperar totalmente a Orla. As obras deverão ser executadas ainda neste verão, e vamos restaurá-la ao padrão original com guarda corpos, reforma das quadras do Santa Rosa, colocação de novos bancos, nova pintura. Os trabalhos de restauração devem consumir recursos superiores a R$ 1 milhão. A gente deve priorizar a orla porque ela é o cartão postal de Marabá, com uma vista belíssima para o Rio Tocantins.

CORREIO DE CARAJÁS – O ministro Helder Barbalho estava envidando esforços para conseguir recursos para obras de contenção no Rio Itacaiunas. Já foi confirmado projeto?

TIÃO MIRANDA – Estamos esperançosos com essa obra. Não saiu o dinheiro do Ministério da Integração Nacional. Elaboramos o projeto, demos entrada no Ministério e tudo, mas até agora estamos esperando o convênio ser assinado. Eu só falo em obras quando estou com o recurso na conta.

CORREIO DE CARAJÁS – Quase a totalidade das 200 escolas municipais clama por reforma. Os recursos do Fundeb parecem ser insuficientes. Vai reformar escolas este ano?  

TIÃO MIRANDA – Temos muitas obras de reformas de escolas e postos de saúde em vista. O Colégio Cristo Rei, no Jardim União, ficou oito anos parado e agora colocamos para terminar e até o fim do ano estará pronto. Outras escolas da cidade e do campo também serão reformadas. Na vila Brejo do Meio o posto de saúde também vai passar por reforma. Mas também pretendemos em breve reformar nossas praças, as feiras, como a da Laranjeiras.

CORREIO DE CARAJÁS – E como está o pagamento de dívidas das gestões anteriores? 

TIÃO MIRANDA – Eu tinha feito um levantamento até terça-feira da semana passada, já tinha pagado quase R$ 22 milhões do passivo dos anos anteriores, entre salários, INSS, fornecedores, Ipasemar. Só de energia elétrica havia um débito de R$ 2 milhões atrasados. Quer dizer que se eu tivesse esse recurso para investir agora, faria muita diferença. Nesta semana, a gente já libera a metade do 13º salário, porque é uma tradição nossa, vamos liberar para os servidores terem esse recurso extra e vamos montar um calendário para pagamento dos salários atrasados de dezembro. Temos muitas dívidas que estamos parcelando e pagando. Se somarmos todas elas, chegaremos a um montante superior a R$ 200 milhões.

CORREIO DE CARAJÁS – A dívida com o Ipasemar era algo muito grave, principalmente a parte dos servidores, que não podia ser parcelada. Como está? 

TIÃO MIRANDA – Acredito que neste mês vamos parcelar a dívida com o INSS, que chega a quase R$ 30 milhões. E com o Ipasemar são mais de R$ 35 milhões para parcelar. Hoje, a emenda que foi aprovada, Medida Provisória 788, do presidente Michel Temer, regulamentada que os institutos de previdência por regime próprio, podem parcelar dívidas do patronal e do empregado. É uma maneira da gente poder pagar porque a dívida está enorme. Vamos pagar uma parte, cerca de R$ 700 mil, e o resto em 200 parcelas, inclusive fizemos reuniões com o delegado da Receita Federal, pegamos orientações importantes com ele e vamos parcelar justamente para retirar a prefeitura do CAUC. Vamos pagar o Ipasemar em dia e também os atrasados para deixar o município adimplente para fazermos vários convênios para termos mais recursos para investir na cidade.

CORREIO DE CARAJÁS – E como fica o pagamento dos salários atrasados dos servidores referentes à gestão anterior? 

TIÃO MIRANDA – Há muitos contratados que já pagamos. Para os concursados farei um parcelamento (acordo realizado na Justiça nesta segunda-feira, após essa entrevista). Apenas a parcela de julho do 13º são R$ 10 milhões que vamos repassar aos servidores. O patronal, com encargos e um terço de férias, o salário de junho, mais o vale alimentação e o 13º e um terço de férias dos professores gastamos R$ 46 milhões. Isso é bastante representativo, mas só temos isso porque guardamos recursos. Se eu não adiantasse o 13º, poderíamos aplicar esse dinheiro até dezembro, mas não vamos fazer isso porque adiantando este dinheiro para o servidor é uma maneira de compensar o parcelamento do salário de dezembro.

CORREIO DE CARAJÁS – O senhor costuma dizer que guarda recursos em caixa para investimentos. O que está previsto para investir este ano? 

TIÃO MIRANDA – A Prefeitura sempre paga salário dentro do mês e todos os fornecedores estão sendo pagos. Vamos adquirir em poucos dias diversos veículos, com investimento de mais de R$ 1 milhão em veículos com recursos próprios. Vamos sair do aluguel e distribuir essa frota em várias secretarias para otimizar e usar melhor os recursos. É o meu estilo de trabalhar, sou administrador/gestor. Não temos perfil de político tradicional, de dar tapinha e ficar prometendo. Eu gosto de fazer, mas planejar primeiro, controlando o financeiro, que é fundamental para manter os compromissos em dia. Hoje, o funcionário pode ter certeza que até no dia 30 está com o salário na conta e os encargos também são pagos, como Ipasemar e INSS. Isso é importante porque se trata da aposentadoria futura dos servidores.

CORREIO DE CARAJÁS – Os recursos dos royalties da mineração têm sido importantes para sua gestão neste momento inicial de crise? 

TIÃO MIRANDA – Acho que este recurso é muito importante e o usamos e o usamos em várias áreas da municipalidade, investindo em saúde, educação e infraestrutura. Posso afirmar que a Prefeitura de Marabá está começando a entrar no eixo financeiro, com equilíbrio da folha de pagamento que era muito alta. Meu compromisso é com a população de Marabá. Quero deixar essa prefeitura saneada, equilibrada, com as contas em dia e as coisas andando.

CORREIO DE CARAJÁS – Antes da eleição, o senhor já falava em não buscar um segundo mandato consecutivo. Desistiu da ideia? 

TIÃO MIRANDA – Eu não penso em reeleição, penso no meu mandato, em cumpri-lo bem. Não estou preocupado com a reeleição. Vocês acompanharam que havia uma resistência da minha parte em assumir a Prefeitura por causa da grande responsabilidade, muitos compromissos, mas já que assumimos, à medida que resolvemos os problemas, precisamos ir para frente e gerenciar bem todos os setores. Todos os dias eu trabalho e trabalho muito, gosto e sou viciado em trabalhar. Estou presente na Prefeitura todos os dias. Me dedico muito à cidade de Marabá, onde nasci. Quero ver essa terra crescer e as pessoas acreditando na cidade. Sobre minha saúde? Estou recuperando e acho que o trabalho está me fazendo bem, me ocupa a cabeça. Montei uma equipe boa, e cada dia estamos mais entrosados e as coisas estão caminhando positivamente. Vamos resgatar essa imagem positiva de Marabá e a autoestima da população.  (Ulisses Pompeu e Luciana Marschall)

Ainda em sua gestão anterior, entre os anos de 2005 a 2008, Tião Miranda abandonou o Gabinete Oficial, na Folha 31, e instalou um paralelo na Secretaria de Viação e Obras Públicas, na folha 35, de onde acompanha de perto a execução de obras, recebe secretários municipais, despacha com vereadores e outras autoridades. Diferente de seus dois últimos antecessores, não aparece tanto em eventos sociais e prefere enviar representantes. Todavia, nas últimas semanas, ele tem saído mais do casulo, participa de cerimônias e celebrações, como sarau da Fundação Casa da Cultura e dos Festejos Juninos. E foi nessa última que TM (como é chamado pelos assessores mais próximos) encontrou um tempo para a entrevista de 16 minutos com a Reportagem do Portal Correio por volta de 2h30, após a entrega de premiação aos campeões. A seguir, a conversa com ele na íntegra:

CORREIO DE CARAJÁS – O verão chegou e a Prefeitura ainda não começou o chamado “pacote de obras” na cidade. O que está faltando?

TIÃO MIRANDA – Temos várias obras que já estão sendo licitadas, indo para concorrência pública, sendo algumas de emendas parlamentares, outras com recursos da Vale, e outras da Caixa, as quais vamos iniciar os projetos executivos. E isso é extremamente importante, sem os projetos com detalhamento evitam surpresas durante a execução. E isso já aconteceu, principalmente, com as obras de pavimentação, que é cara e se não forem bem feitas a gente acaba jogando os recursos fora. O asfalto precisa ter uma base boa, com drenagem profunda e contratamos uma empresa que, em parceria com nosso pessoal, está elaborando os projetos executivos. Mas em breve vamos começar a liberar essas obras, com asfalto de ruas, reforma de colégio e uma série de coisas mais.

CORREIO DE CARAJÁS – O senhor construiu e sempre se orgulhou da Orla do Rio Tocantins, que leva o nome de seu pai, mas hoje aquela área está decadente. Pretende revitalizá-la?

TIÃO MIRANDA – Já abrimos concorrência para recuperar totalmente a Orla. As obras deverão ser executadas ainda neste verão, e vamos restaurá-la ao padrão original com guarda corpos, reforma das quadras do Santa Rosa, colocação de novos bancos, nova pintura. Os trabalhos de restauração devem consumir recursos superiores a R$ 1 milhão. A gente deve priorizar a orla porque ela é o cartão postal de Marabá, com uma vista belíssima para o Rio Tocantins.

CORREIO DE CARAJÁS – O ministro Helder Barbalho estava envidando esforços para conseguir recursos para obras de contenção no Rio Itacaiunas. Já foi confirmado projeto?

TIÃO MIRANDA – Estamos esperançosos com essa obra. Não saiu o dinheiro do Ministério da Integração Nacional. Elaboramos o projeto, demos entrada no Ministério e tudo, mas até agora estamos esperando o convênio ser assinado. Eu só falo em obras quando estou com o recurso na conta.

CORREIO DE CARAJÁS – Quase a totalidade das 200 escolas municipais clama por reforma. Os recursos do Fundeb parecem ser insuficientes. Vai reformar escolas este ano?  

TIÃO MIRANDA – Temos muitas obras de reformas de escolas e postos de saúde em vista. O Colégio Cristo Rei, no Jardim União, ficou oito anos parado e agora colocamos para terminar e até o fim do ano estará pronto. Outras escolas da cidade e do campo também serão reformadas. Na vila Brejo do Meio o posto de saúde também vai passar por reforma. Mas também pretendemos em breve reformar nossas praças, as feiras, como a da Laranjeiras.

CORREIO DE CARAJÁS – E como está o pagamento de dívidas das gestões anteriores? 

TIÃO MIRANDA – Eu tinha feito um levantamento até terça-feira da semana passada, já tinha pagado quase R$ 22 milhões do passivo dos anos anteriores, entre salários, INSS, fornecedores, Ipasemar. Só de energia elétrica havia um débito de R$ 2 milhões atrasados. Quer dizer que se eu tivesse esse recurso para investir agora, faria muita diferença. Nesta semana, a gente já libera a metade do 13º salário, porque é uma tradição nossa, vamos liberar para os servidores terem esse recurso extra e vamos montar um calendário para pagamento dos salários atrasados de dezembro. Temos muitas dívidas que estamos parcelando e pagando. Se somarmos todas elas, chegaremos a um montante superior a R$ 200 milhões.

CORREIO DE CARAJÁS – A dívida com o Ipasemar era algo muito grave, principalmente a parte dos servidores, que não podia ser parcelada. Como está? 

TIÃO MIRANDA – Acredito que neste mês vamos parcelar a dívida com o INSS, que chega a quase R$ 30 milhões. E com o Ipasemar são mais de R$ 35 milhões para parcelar. Hoje, a emenda que foi aprovada, Medida Provisória 788, do presidente Michel Temer, regulamentada que os institutos de previdência por regime próprio, podem parcelar dívidas do patronal e do empregado. É uma maneira da gente poder pagar porque a dívida está enorme. Vamos pagar uma parte, cerca de R$ 700 mil, e o resto em 200 parcelas, inclusive fizemos reuniões com o delegado da Receita Federal, pegamos orientações importantes com ele e vamos parcelar justamente para retirar a prefeitura do CAUC. Vamos pagar o Ipasemar em dia e também os atrasados para deixar o município adimplente para fazermos vários convênios para termos mais recursos para investir na cidade.

CORREIO DE CARAJÁS – E como fica o pagamento dos salários atrasados dos servidores referentes à gestão anterior? 

TIÃO MIRANDA – Há muitos contratados que já pagamos. Para os concursados farei um parcelamento (acordo realizado na Justiça nesta segunda-feira, após essa entrevista). Apenas a parcela de julho do 13º são R$ 10 milhões que vamos repassar aos servidores. O patronal, com encargos e um terço de férias, o salário de junho, mais o vale alimentação e o 13º e um terço de férias dos professores gastamos R$ 46 milhões. Isso é bastante representativo, mas só temos isso porque guardamos recursos. Se eu não adiantasse o 13º, poderíamos aplicar esse dinheiro até dezembro, mas não vamos fazer isso porque adiantando este dinheiro para o servidor é uma maneira de compensar o parcelamento do salário de dezembro.

CORREIO DE CARAJÁS – O senhor costuma dizer que guarda recursos em caixa para investimentos. O que está previsto para investir este ano? 

TIÃO MIRANDA – A Prefeitura sempre paga salário dentro do mês e todos os fornecedores estão sendo pagos. Vamos adquirir em poucos dias diversos veículos, com investimento de mais de R$ 1 milhão em veículos com recursos próprios. Vamos sair do aluguel e distribuir essa frota em várias secretarias para otimizar e usar melhor os recursos. É o meu estilo de trabalhar, sou administrador/gestor. Não temos perfil de político tradicional, de dar tapinha e ficar prometendo. Eu gosto de fazer, mas planejar primeiro, controlando o financeiro, que é fundamental para manter os compromissos em dia. Hoje, o funcionário pode ter certeza que até no dia 30 está com o salário na conta e os encargos também são pagos, como Ipasemar e INSS. Isso é importante porque se trata da aposentadoria futura dos servidores.

CORREIO DE CARAJÁS – Os recursos dos royalties da mineração têm sido importantes para sua gestão neste momento inicial de crise? 

TIÃO MIRANDA – Acho que este recurso é muito importante e o usamos e o usamos em várias áreas da municipalidade, investindo em saúde, educação e infraestrutura. Posso afirmar que a Prefeitura de Marabá está começando a entrar no eixo financeiro, com equilíbrio da folha de pagamento que era muito alta. Meu compromisso é com a população de Marabá. Quero deixar essa prefeitura saneada, equilibrada, com as contas em dia e as coisas andando.

CORREIO DE CARAJÁS – Antes da eleição, o senhor já falava em não buscar um segundo mandato consecutivo. Desistiu da ideia? 

TIÃO MIRANDA – Eu não penso em reeleição, penso no meu mandato, em cumpri-lo bem. Não estou preocupado com a reeleição. Vocês acompanharam que havia uma resistência da minha parte em assumir a Prefeitura por causa da grande responsabilidade, muitos compromissos, mas já que assumimos, à medida que resolvemos os problemas, precisamos ir para frente e gerenciar bem todos os setores. Todos os dias eu trabalho e trabalho muito, gosto e sou viciado em trabalhar. Estou presente na Prefeitura todos os dias. Me dedico muito à cidade de Marabá, onde nasci. Quero ver essa terra crescer e as pessoas acreditando na cidade. Sobre minha saúde? Estou recuperando e acho que o trabalho está me fazendo bem, me ocupa a cabeça. Montei uma equipe boa, e cada dia estamos mais entrosados e as coisas estão caminhando positivamente. Vamos resgatar essa imagem positiva de Marabá e a autoestima da população.  (Ulisses Pompeu e Luciana Marschall)

Comentários

Mais

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Um convênio assinado hoje (14) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a agência internacional Central Internacional para a Compra de…
Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Em 2020, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas, segundo levantamento da Serasa Experian. O número representa um crescimento de…
Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início…
Conceição do Araguaia completa 124 anos neste 14 de abril

Conceição do Araguaia completa 124 anos neste 14 de abril

Conceição do Araguaia comemora 124 anos de emancipação política nesta quarta-feira, 14. A cidade pioneira na região, localizada às proximidades…
Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

A segunda bebida mais consumida no mundo é também aquela que hoje serve como instrumento para aproximar ainda mais as…
Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Termina hoje (14), às 23h59, o prazo de inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre…