Correio de Carajás

Tensão entre motoristas de aplicativo e taxista vai parar na Câmara

Foto: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na tarde desta terça-feira, 26, a Comissão de Desenvolvimento Urbano, Obras, Serviços Públicos e Transportes da Câmara Municipal de Marabá manteve reunião com representantes do Poder Executivo, motoristas que fazem transporte de passageiros na cidade por meio de aplicativos, além de táxi, táxi-lotação e mototáxi.

Presidida pelo vereador Nonato Dourado, a reunião contou com a participação do secretário municipal de Segurança Institucional, Jair Barata; diretor do DMTU, Jocenilson Silva; os vereadores Gilson Dias e Ilker Moraes; procuradora adjunta do município de Marabá, Quitéria Sá dos Santos; representantes dos condutores que utilizam aplicativo, Márcio Arrais e Jáder Santos; e do presidente do Sindicato dos Taxistas, João Batista da Silva.

As quatro bandeiras de motoristas de aplicativo que existem atualmente em Marabá são Uber, 99, Mabway e Urbano Norte.

Leia mais:

Márcio Arrais, representante das três primeiras categorias citadas acima, disse que o principal objetivo dos condutores que utilizam aplicativo, atualmente, é discutir a segurança e melhorias em geral para a classe. Pediu ponto para embarque e desembarque de passageiros na rodoviária da Folha 32, inclusive com definição de um ponto específico.

Ele também lamentou um entrevero após um acordo de locação de veículos com a Fadesp para que o serviço de Uber pudesse atender as equipes da instituição durante o concurso da Prefeitura, no último final de semana. “Já tínhamos assinado o contrato, mas houve interferência externa e acabamos perdendo o trabalho previamente acertado”, criticou.

Jader Santos, representante da Urbano Norte, disse que a classe está se organizando e que espera que a lei que regulamenta o serviço possa ser aprovada o mais rápido possível. Ele pediu intervenção das autoridades de trânsito em Marabá para evitar conflito entre os condutores de categorias diferentes. “Temos um barril de pólvora e a qualquer momento pode haver algo de grave, de um conflito entre os motoristas de aplicativo e taxistas”, exemplificou.

A procuradora Quitéria dos Santos explicou que a lei para regular o serviço de transporte por que veículos que usam aplicativo está sendo formulada e há uma minuta que foi encaminhada para a Secretaria de Segurança para, posteriormente, abrir o debate com a categoria.

O secretário de Segurança, Jair Barata, observou que a responsabilidade é grande de propor lei para tratar de transporte por meio de aplicativo, tendo como base a Lei 13.640, da Presidência da República, a qual deixa a cargo do município legislar sobre o assunto. Diante disso, segundo ele, o DMTU já fez várias reuniões e apresentou a ele, Jair, algumas proposições, que foram enviadas para a Progem (Procuradoria Geral do Município), que por sua vez analisou e enviou de volta à SMSI para alguns ajustes finais. “Como presidente do Conselho Municipal de Transporte, apresentei a proposta nesta terça-feira, 26, aos membros do referido conselho para debater o projeto de lei, inclusive com várias sugestões dos membros do CMT”, destacou.

Por outro lado, Jair Barata ressalta que quando o projeto chegar à Câmara Municipal será debatido novamente, antes da aprovação. “O Poder Público está trabalhando de forma incansável para trazer o melhor desta lei. Ninguém será pai da criança, todos vão dar sua contribuição”, advertiu.

Jocenilson Silva, diretor do DMTU, pediu para que os condutores trabalhem unicamente pelo aplicativo até que a lei seja regulamentada, para não terem constrangimento e sofrerem sanções legais.

João Batista da Silva, presidente do Sindicato dos Taxistas, disse seu desejo era que aplicativo não existisse. “Mas nasceu a criança, ficou jovem e está crescendo de forma desordenada. Chegou ao ponto de alguns extrapolarem o direito deles e aí começa o conflito”, reclamou.

Para ele, a clandestinidade traz grandes problemas, desde táxi lotação, moto-táxi e avalia que cerca de 500 pessoas estejam atuando agora de forma clandestina na operação deste serviço, sem estar vinculado a nenhuma das categorias de aplicativo existentes no município. “Sou eleito para representar minha categoria e precisa haver critérios. É necessário que haja regulamentação urgente para não evitarmos uma guerra”, avalia João Batista, o qual reclamou que taxistas e os táxi-lotação não estão conseguindo pagar financiamento dos seus veículos.

Sobre a possibilidade de criação de espaço para embarque e desembarque de passageiros às proximidades do aeroporto e rodoviária, Batista disse que há decisão do Tribunal de Justiça do Pará, datada da década de 1990, determinando que apenas taxistas atuem em terminais rodoviários e aeroportos do Estado, num raio de 200 metros.

O vereador Gilson Dias disse que ninguém é contra transporte por meio de aplicativo em Marabá, mas que o item segurança está pautando todos os grupos. “Se os trabalhadores não se unirem, vai ficar difícil. É preciso evitar confronto nas ruas e para isso é preciso bom senso”.

O vereador Ilker Moraes reconheceu que o transporte por meio de aplicativo não tem volta, e acredita que tem de haver espaço para todos às proximidades da rodoviária e aeroporto para embarque e desembarque.

O vereador Nonato Dourado sugeriu a criação de uma cooperativa dos condutores por aplicativo para dar garantia de atuação como categoria. Ele também opinou, e foi aceito por todos, a criação de uma comissão formada por representantes da Progem, SMSI, DMTU e dois representantes da classe e vereadores se reúnam para dar celeridade na discussão e elaboração do projeto de lei que regulamente o serviço de motoristas de aplicativo. (Ulisses Pompeu)

Comentários

Mais

Ministro aponta erros de estados e diz que limitou vacinação de adolescentes por cautela

Ministro aponta erros de estados e diz que limitou vacinação de adolescentes por cautela

O ministro Marcelo Queiroga disse nesta quinta-feira (16) que a decisão de restringir a vacinação de adolescentes apenas aos grupos prioritários (deficiência…
Ministério estuda aproveitar créditos de cursos profissionalizantes

Ministério estuda aproveitar créditos de cursos profissionalizantes

O Ministério da Educação estuda permitir que estudantes formados em cursos técnico-profissionalizantes aproveitem os créditos acadêmicos caso decidam continuar os…
Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia manteve a projeção para o crescimento da economia este ano…
Caçula põe irmão mais velho em enrascada

Caçula põe irmão mais velho em enrascada

Um curioso caso de receptação (adquirir mercadoria proveniente de roubo ou furto) foi registrado na Vila Carimã, zona rural de…
Transporte público volta a ser criticado na Câmara de Marabá

Transporte público volta a ser criticado na Câmara de Marabá

Serviço que afeta grande parte da população, o transporte público de Marabá está sempre em pauta nas discussões políticas da…
Ministro defende aumento “modesto e moderado” para Bolsa Família

Ministro defende aumento “modesto e moderado” para Bolsa Família

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu hoje (15) um aumento “necessário” no programa Bolsa Família, de assistência a famílias de baixa…