Ads

O carroceiro Raimundo Nonato dos Santos, de 52 anos, acabou na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil, na noite de ontem, segunda-feira (12), após ser agredido por moradores do Bairro Bela Vista, onde ele também mora, em Marabá, por suspeita de ter furtado diversos objetos, crime negado por ele.

Ads

Em um primeiro vídeo divulgado em grupos de WhatsApp várias pessoas, entre mulheres e homens, tentam imobilizá-lo enquanto o agridem, aos gritos. Em meio à confusão, pessoas defendem que a polícia seja chamada, até que o grupo se afasta e o homem permanece sentado no chão, sendo segurado pela camiseta por outro homem.  

No segundo vídeo divulgado, a Polícia Militar havia chegado ao local e questionado o suspeito. A vítima, também na cena, afirma que há três dias a casa dela vinha sendo furtada por Raimundo Nonato. Na casa dele, onde os policiais militares estiveram, a mulher reconheceu um botijão de gás e roupas do filho dela.

Já na delegacia, ouvido pelo Correio de Carajás, Raimundo afirmou que o botijão apreendido havia sido comprado de outra mulher oito dias antes, por R$ 70. Ele nega ter furtado qualquer objeto. “Eu estava andando pela rua e me abordaram dizendo que eu tinha roubado as coisas na casa das pessoas, falando que eu tinha roubado, me batendo e me dando pancada. Eu comprei. Achei barato, mas tava cozinhando na lenha fazia dias, então comprei”, alega.

O homem diz ter sete filhos e esposa e que já esteve preso outras duas vezes por “confusão”, sem definir quais crimes o levaram à cela anteriormente. A vítima, que preferiu ter a identificação preservada, também conversou com a Reportagem na delegacia.

Ela diz que estava passando alguns dias na casa da mãe, na Folha 16, Nova Marabá, e quando retornou para sua residência, no Bela Vista, a casa estava “só o oco”. Do local, diz, desapareceram botijão, televisão, caixa amplificada, edredom, roupa de cama, roupas do filho, entre outros objetos. “Ele (Raimundo) tá acostumado, passou três dias me roubando. Hoje ele ia pegar minha geladeira e foi certo pra isso, ele foi pra pegar a geladeira”, diz, sem explicar o motivo de concluir isso.

O irmão dela, que também pediu para ter o nome resguardado, conta que já desconfiando da atitude do homem a “galera foi fechando nele e ele tentou correr”. “Demos uma prensa nele e ele falou que sabia quem tinha roubado, fomos no local e nada. Aí fomos na casa dele e estava lá o botijão dela, as roupas, calças das crianças”, disse. “Só não estava mesmo era a televisão, nem a caixa de som e nem as vasilhas”, completou a mulher.

A Polícia Militar registrou o ocorrido em Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil, informando que ao atender ao chamado encontrou Raimundo com escoriações pelo corpo, em decorrentes das agressões. A Polícia Civil irá investigar se Raimundo foi o responsável pelo furto à residência. (Luciana Marschall – com informações de Josseli Carvalho)

Ads