Ônibus ficaram parados nas garagens / Fotos: Gabriela Penalber
Ads

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Parauapebas e Canaã dos Carajás realizou na manhã de hoje, quinta-feira, 1º, uma manifestação em frente a garagem dos ônibus escolares da Secretaria Municipal de Educação de Parauapebas (Semed), impedindo a saída dos veículos.

Ads

Com isso, na manhã de hoje, alunos que dependem do transporte escolar ficaram sem ir à escola, no retorno das aulas na rede municipal de ensino.  O sindicato tenta pressionar a empresa terceirizada que presta serviço e a prefeitura a negociarem as condições de trabalho dos motoristas e discutirem o reajuste salarial e de hora-extra da classe.

Segundo o presidente do sindicato, Joel Pedro, desde março que a categoria tenta negociar com a empresa o reajuste salarial e também outros pontos para melhorar as condições de trabalho dos motoristas.

Ele diz que os motoristas estão ganhando abaixo do piso da categoria, trabalham além da sua carga horária e não recebem hora-extra compatível, assim também como pleiteiam o vale alimentação, acesso a folha de pagamento e relógio de ponto, para que a categoria possa comprovar o tempo que trabalha por dia. Joel ressalta que ainda esta manhã a empresa ficou de reunir com o sindicato para debater esses pontos.

O sindicalista, no entanto, avisa que se não houver avanço, a partir da próxima semana eles devem volta a fazer mobilização e podem entrar em estado de greve. A empresa terceirizada não se manifestou ainda sobre as reivindicações do sindicato.

Em nota, a Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), informou à comunidade escolar que os transtornos relacionados ao transporte escolar ocorridos na manhã desta quinta-feira, 1º de agosto, já foram resolvidos e que o atendimento aos alunos que necessitam deste serviço já foi normalizado. (Tina Santos)

 

Ads