Correio de Carajás

Servidores dos Correios em Parauapebas aderem à greve

Servidores dos Correios em Parauapebas aderem à greve
Imagens: JL Meireles/Reprodução TV Correio
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Contra a retirada de benefícios, privatização e por reposição salarial, grande parte dos funcionários dos Correios de todo o Brasil deflagraram greve ontem, quarta-feira (11), por tempo indeterminado. Em Parauapebas, na manhã de hoje (12), a categoria também decidiu aderir ao movimento e as faixas informando sobre a situação foram afixadas nas portas do serviço.

Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), todos os 36 sindicatos de trabalhadores aderiram, com diversas reivindicações. A categoria pede, por exemplo, a reposição da inflação do período e é contra a privatização da estatal, que foi incluída no mês passado no programa de privatizações do governo Bolsonaro.

Também questionam a retirada de benefícios consolidados, como a retirada de pais e mães do plano de saúde, por exemplo. Lisemberg Rodrigues, um dos servidores que paralisou as atividades em Parauapebas, afirma que os grevistas aguardam que a empresa debata estas questões.

Leia mais:

“A gente entrou em greve não para pedir aumento nem mais benefícios, mas para combater a proposta de retirada de benefícios que já são nossos por garantia porque a empresa está querendo tirar e, com isso, carteiros e atendentes em âmbito nacional aderiram”, diz, citando que há a possibilidade, inclusive, de redução do ticket-alimentação e remoção do vale-cultura. “A proposta da empresa hoje é só de retirada, não tem melhoria para a categoria e foi isso que motivo esse movimento”, acrescenta.

Em razão da greve, hoje a empresa decidiu suspender as postagens de serviços com hora marcada – Sedex 10, Sedex 12 e Sedex Hoje -, mas garante que a rede de atendimento segue aberta para serviços como Sedex e PAC. Ainda ontem, ingressou com ação de dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST), solicitando que o tribunal determine a suspensão imediata da greve. Há audiência de conciliação agendada para esta tarde. (Luciana Marschall – com informações de Gabriele Penalber)

Comentários

Mais

Mais de 300 processos agrários envolvem a Serra das Andorinhas

Mais de 300 processos agrários envolvem a Serra das Andorinhas

As indenizações de cerca de 400 pessoas que alegam não ter sido contempladas com a criação do Parque Estadual da…
Vara Agrária de Marabá agenda desocupação de duas fazendas

Vara Agrária de Marabá agenda desocupação de duas fazendas

No último dia 6 de junho uma decisão publicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a suspensão de ordens ou…
Reflexões sobre depressão e suicídio

Reflexões sobre depressão e suicídio

Um jovem de 28 anos tirou a própria vida se atirando na direção de uma carreta em movimento. O caso…
Marabá tem 2 entre os 10 piores trechos de rodovias do País

Marabá tem 2 entre os 10 piores trechos de rodovias do País

No ranking das dez piores ligações rodoviárias do País, boa parte das estradas está situada em regiões agrícolas, dificultando o…
Inflação em Marabá sobe 1,07% em apenas um mês

Inflação em Marabá sobe 1,07% em apenas um mês

O Laboratório de Inflação e Custo de Vida de Marabá (Lainc), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará…
Desemprego cai para 13,7%, revela pesquisa do Ipea

Desemprego cai para 13,7%, revela pesquisa do Ipea

O desemprego recuou para 13,7% em junho, último mês do trimestre móvel iniciado em abril. O percentual foi atingido depois…