Correio de Carajás

Seis dicas para fazer a segunda prova do Enem com segurança

Foto: reprodução
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A primeira etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já foi cumprida. Agora, os estudantes já podem seguir para a segunda prova, no próximo domingo (11), com a confiança de já conhecerem os locais de prova e a dinâmica do concurso. Ainda assim, tal vantagem em relação à prova anterior não elimina por completo a ansiedade de quem aguarda por este momento o ano todo. Para que tudo saia como o esperado, professores dão algumas dicas.

Professor de matemática do Ideal, Hícaro Galante destaca que é fundamental que o estudante busque manter a calma no momento da prova. “É preciso tranquilidade para analisar a questão. Se o aluno ver que a questão é muito difícil, que não está conseguindo resolver, pula para a próxima”, recomenda. “O candidato do Enem tem de se preocupar principalmente com as questões fáceis e com as médias”.

Além da preparação técnica para a resolução das questões, o professor de biologia do Ideal, Marcelo Brito, ressalta que ter uma boa noite de sono na véspera do exame deve fazer parte da preparação. “O descanso no dia anterior para que o aluno possa acordar bem e desenvolver bem a prova é um fator que pesa muito”, considera. “Também é importante levar uma água, considerar o clima da nossa região”.

Leia mais:

Para a estudante Gabriela Feijão, 18, a definição do que ela levará para a segunda prova do Enem terá como vantagem a experiência já vivenciada na primeira prova, no último domingo (4). “Eu levei dois sanduíches para a prova e não consegui comer nem um. Então dessa vez eu vou levar alguma coisa que seja mais prática para comer, como uvas, por exemplo”.

Gabriela tenta uma vaga no curso de Medicina e conta que, durante a última semana de preparação para a primeira prova, não deixou de estudar totalmente. Estratégia que deve seguir para a segunda etapa. “Nós já enfrentamos uma pressão psicológica muito grande, então não adianta se desesperar para tentar aprender o que não sabemos. Agora é consolidar o que nós aprendemos e fazer exercícios para revisar”, explica.

(Diário do Pará)

Mais

Cadáveres não foram violados no Cemitério da Saudade, em Marabá

Cadáveres não foram violados no Cemitério da Saudade, em Marabá

Circulou nas redes sociais na manhã desta terça-feira (11) a foto de um caixão aberto, que possivelmente seria no Cemitério…
Servidores da Educação iniciam greve em frente à Semed

Servidores da Educação iniciam greve em frente à Semed

Servidores públicos tomaram a frente da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Marabá na manhã desta terça-feira (11) após a…
Anvisa orienta suspensão de vacina da AstraZeneca para grávidas

Anvisa orienta suspensão de vacina da AstraZeneca para grávidas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou a suspensão imediata do uso da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca/Fiocruz…
Mais de 38 mil pessoas já participaram de contações de história durante a pandemia

Mais de 38 mil pessoas já participaram de contações de história durante a pandemia

A pandemia da covid-19 consolidou a internet como principal plataforma de entretenimento no Brasil. A rede está repleta de programações…
Operação fiscaliza bares e restaurantes em Marabá

Operação fiscaliza bares e restaurantes em Marabá

As forças de segurança seguem fiscalizando o cumprimento do Decreto Municipal nº 184/2021, que permite a reabertura de bares no…
Sintepp anuncia greve na educação de Marabá

Sintepp anuncia greve na educação de Marabá

Por meio de seu blog na Internet, a Subsede local do Sindicato dos Trabalhadores na Educação (Sintepp) anunciou, nesta segunda-feira,…