Correio de Carajás

Saúde: Lei propõe mudança na carga horária dos servidores em Marabá

Sindicalistas se reúnem na Câmara e discutem mudança em carga horária/ Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma reunião da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Marabá (CMM) rendeu bate-boca, críticas ao prefeito Tião Miranda e mostrou que um projeto da Prefeitura terá ainda dificuldades para ser aprovado no Legislativo, principalmente no que depender dos principais atingidos. O Servimmar (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Marabá) participou da reunião e apresentou uma série de objeções a um projeto de Lei que altera o Artigo 17 da Lei 17.331 da Lei Orgânica do Município.

A mudança prevê o aumento de carga horária trabalhista para os servidores da área da saúde para 40 horas semanais. Fato este que não é bem visto pelos sindicatos, pois, segundo José Mauro Vieira, um dos diretores da Servimmar, as alterações poderão se estender para outros setores, modificando também áreas como a da educação, agricultura, entre outros.

Os sindicalistas reivindicam que a mudança na lei não define de forma clara os efeitos sobre os atuais servidores públicos. É que a Prefeitura tem defendido que a alteração atingiria apenas os futuros contratados por concurso público.

Leia mais:

O presidente do Servimmar, José Edmilson, afirma que a principal reivindicação é que não se altere a carga horária dos servidores que já estão trabalhando, apesar de não concordarem também com a mudança da lei para aumentar a jornada de trabalho para os funcionários novos. Por parte dos sindicatos o receio é que a mudança da lei traga perda salarial para os trabalhadores.

Outro participante da reunião, a convite dos vereadores, foi o secretário municipal de Saúde, Marcones José Santos. Em sua participação, ele disse que é necessário estabelecer um padrão na carga horária que se adeque às necessidades do município e da Secretaria de Saúde, explicou, ainda, que a regra de jornada de trabalho em questão é muito flexível e incompatível com a dinâmica da pasta da saúde, sendo uma alteração voltada somente para esta secretaria. Reiterou que o objetivo maior é melhorar e ampliar o funcionamento das unidades saúde.

O presidente Comissão de Saúde, vereador Miguel Gomes Filho, conhecido como Miguelito, declarou que é a favor da aprovação na alteração da lei, porém somente para futuros servidores públicos, não modificando assim as seis horas diárias, 30 semanais, do trabalhador da saúde.

A alteração prevê a mudança de seis horas diárias, ou 30 semanais, para oito horas diárias, ou 40 semanais, para os níveis fundamental e médio e 30 horas semanais para o nível superior, com ressalva nos casos em que há lei específica. (Adriana Oliveira)

Comentários

Mais

Efeito Olimpíadas? Busca por skate cresce mais de 600% no e-commerce

Efeito Olimpíadas? Busca por skate cresce mais de 600% no e-commerce

Os Jogos Olímpicos de Tóquio estão mexendo com as emoções dos brasileiros – e com o bolso. Quem diz isso são os…
Frase de Cármen Lúcia de 2018 é tirada de contexto para afirmar que Lula não poderá se candidatar em 2022

Frase de Cármen Lúcia de 2018 é tirada de contexto para afirmar que Lula não poderá se candidatar em 2022

Enganoso Montagem engana ao trazer parte de uma frase dita pela ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia, em…
Site engana ao afirmar que Anvisa ‘confessa ineficácia de máscaras’ contra a covid

Site engana ao afirmar que Anvisa ‘confessa ineficácia de máscaras’ contra a covid

Enganoso É enganosa a publicação em um site conservador brasileiro afirmando que “Anvisa confessa ineficácia de máscaras e diz se…
É enganoso o tuíte que acusa Bolsonaro de acabar com o Bolsa Atleta

É enganoso o tuíte que acusa Bolsonaro de acabar com o Bolsa Atleta

Enganoso É enganosa postagem que aponta para o fim do programa Bolsa Atleta no governo Bolsonaro em 2020. No ano…
Legislação contra violência doméstica fica mais dura para agressores

Legislação contra violência doméstica fica mais dura para agressores

O Diário Oficial da União traz hoje (29) a Lei 14.188/2021, que prevê que agressores sejam afastados imediatamente do lar ou do local de convivência com a mulher em casos de risco…
Anvisa alerta sobre casos raros de Guillain-Barré após vacinação

Anvisa alerta sobre casos raros de Guillain-Barré após vacinação

Casos raros de síndrome de Guillain-Barré (SGB) após a vacinação contra covid-19 têm sido relatados em diversos países, inclusive no…