Correio de Carajás

São Domingos: Servidores da educação protestam por salários

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
3 Visualizações

Servidores da educação de São Domingos do Araguaia estão em estado de alerta. O principal motivo é o atraso no pagamento dos salários. O do mês de setembro, por exemplo, disseram que só conseguiram receber nesta quarta-feira, dia 24 de outubro. E isso, garantem, graças a denúncia feita pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp) no município ao Jornal Correio de Carajás que enviou uma equipe de reportagem para chegar a situação.

O servidores de apoio da educação – vigilantes, secretários, serventes, dentre outros – dizem que os atrasos nos vencimentos vêm ocorrendo desde o começo do ano. Segundo informaram, a prefeitura paga primeiro os professores, que também recebem com atraso, e só bem depois sai o vencimento deles.

O Sintepp, que representa a categoria, exige da prefeitura que efetue o pagamento, tanto desses servidores quanto dos professores, até o quinto dia útil de cada mês. Porém, já houve meses em que os professores só conseguiram receber na terceira semana, enquanto os funcionários de apoio são obrigados a aguardar até o vigésimo quarto dia de cada mês para verem seus salários na conta, como voltou a ocorrer em outubro.

Leia mais:
Sintepp reúne servidores para cobrar da prefeitura pagamentos atrasados

Sem efeito

Segundo a coordenadora geral do Sintepp no município, professora Cleuzimar Gonçalves de Oliveira, diz que as manifestações realizados em frente à prefeitura todos os meses não vêm surtindo efeito. Os manifestantes reclamam de não conseguirem ser ouvidos pelo prefeito e pelo secretário de educação. Este último diz ser da Secretaria de Finanças a responsabilidade pelo pagamento.

Contudo, Sebastiana Miranda, tesoureira do município, diz que não pode fazer nada, por ser apenas responsável pelo repasse que vem do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) que, segundo ela, seria insuficiente para o pagamento da folha dos servidores da educação no município.

Contas atrasadas

Valdeilton Rodrigues, que é vigilante e um dos coordenadores do Sintepp, diz que ainda não recebeu o salário referente ao mês de setembro e que está passando por necessidades, com contas de água e energia atrasadas. Ele coloca a responsabilidade do que vem ocorrendo na prefeitura. “Eles só têm preocupação em ferrar com o servidor e não se preocupam em pagar os salários no dia certo”, afirma.

Vigilante diz que está acumulando dívidas por conta do atraso nos salário

Ele diz ainda que a luta para que haja a regularização dos salários é constante. “Apesar de os professores receberem atrasado, o salário deles já cai na conta até o décimo dia útil. Já os servidores de apoio têm que aguardar até quase o dia que seria o pagamento referente ao mês seguinte”, reitera.

“O caso é que o município não tem recurso suficiente para efetuar o pagamento por completo dos servidores da educação”, diz Marco Aurélio Furtado, procurador de São Domingos do Araguaia, lembrando que 60% do recurso do Fundeb deve ser obrigatoriamente destinado ao pagamento dos professores, não sobrando verba para que se pague os vigias, secretários e serventes.

Recurso próprio

Ainda segundo o procurador, a prefeitura tem que usar de recurso próprio pra fazer isso. “Como a gente sabe, São Domingos do Araguaia não é um município de grande arrecadação, temos dificuldades tributárias e cada vez mais a demanda aumenta”, frisa, acrescentando que a gestão precisa completar os 40% restante do fundo federal com orçamento municipal para que se consiga totalizar os pagamentos, justificando assim, os atrasos.

Procurador municipal, Marco Aurélio Furtado, diz que a prefeitura tem que usar recursos próprios para pagar os salários

De acordo com a prefeitura, o pagamento dos salários dos servidores de apoio referente ao mês de setembro foi depositado no dia 23 deste mês, terça-feira passada, e que estaria a disposição para saque nesta quarta-feira (24). O Sintepp, que entrou com processo contra a prefeitura no Ministério Público de São Domingos do Araguaia, afirma que caso não haja normalização na folha de pagamento das categorias representadas pela entidade os protestos e greves vão continuar. (Adriana Oliveira)

 

Comentários
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Conforme prometido previamente, a categoria dos músicos da noite de Marabá, que estão sem poder trabalhar há várias semanas, em…
Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

O relatório “Transparência das informações ambientais na Amazônia Legal: o acesso à informação e a disponibilização de dados públicos”, lançado…
MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

O Ministério da Educação (MEC) vai abrir, nos dias 3 e 4 de maio, as inscrições para as bolsas remanescentes…
Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

A cultura paraense é marcada por forte influência indígena. A contribuição do povo mais antigo no solo brasileiro pode ser…
Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode…
MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

Entre os dias 10 e 21 de abril, o Movimento Sem Terra (MST) tem ações afirmativas programadas em torno da…