Correio de Carajás

SAMU faz cerca de 700 atendimentos por mês em Marabá

Com quatro ambulâncias em pontos distintos do município, SAMU realiza mais de 600 atendimentos por mês/Foto: Evangelista Rocha
Com quatro ambulâncias em pontos distintos do município, SAMU realiza mais de 600 atendimentos por mês/Foto: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

É difícil imaginar um acidente de trânsito com vítima e não lembrar de chamar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para fazer o acolhimento e remoção para um hospital.

Com a finalidade de prestar socorro à população em casos de urgência, o SAMU funciona 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros e socorristas, que atendem o toda e qualquer tipo de solicitação.

Além desse atendimento de urgência e pré-hospitalar, uma das grandes procuras de quem liga para o 192 é a orientação médica.

Leia mais:

Segundo a coordenadora geral da Regulação de Urgências do Polo Carajás, Walternice Vieira, a escuta médica é o carro chefe dos atendimentos.

“Temos inúmeros casos de solicitantes que ligam, por exemplo, porque estão com dúvidas sobre que remédio pode dar ao filho que está doente. Pedem informações sobre picos de hipertensão. Também temos ocorrências clínicas, que precisam de auxílio e remoção hospitalar”, explica.

Coordenadora Walternice Vieira solicita calma na hora de passar informações aos atendentes do SAMU/ Foto: Evangelista Rocha
Coordenadora Walternice Vieira solicita calma na hora de passar informações aos atendentes do SAMU/ Foto: Evangelista Rocha

Com quase 90 profissionais, o SAMU realiza em torno de 700 atendimentos por mês em Marabá.

Possuindo 4 ambulâncias, Walternice explica que para um melhor atendimento aos solicitantes, o serviço foi descentralizado em 3 pontos do município.

“Temos uma Unidade de Suporte Básico (USB) que atende o Núcleo São Félix e Morada Nova. A ambulância fica lá no São Félix, ao lado do Posto de Saúde Amadeu Vivacqua. Temos uma unidade localizada ao lado do Hospital Municipal de Marabá, na Nova Marabá, e duas ambulâncias na Central, que atende Cidade Nova e Velha Marabá”.

Uma das grandes reclamações que os atendentes do SAMU ouvem é sobre a quantidade de perguntas que são feitas no momento do atendimento da ligação.

A coordenadora explica que é primordial que o solicitante mantenha a calma para repassar todas as informações, que são necessárias para um atendimento eficiente.

“Entendemos que quando alguém liga está em um momento de desespero. Mas é preciso que as pessoas entendam que no momento que estamos pegando os dados já estamos acionando a ambulância e isso não vai atrasar a chegada dela ao local. O atendente que está na central não é o mesmo que está na rua”, informa.

Nesse momento de triagem, aliás, é definido para qual local o paciente vai ser removido. O médico regulador que conversa com o solicitante sobre as informações da vítima é que tem a responsabilidade de estar em contato direto com a equipe da ambulância para definir o hospital que o paciente será levado.

“O hospital é escolhido pela gravidade dos ferimentos. O Hospital Regional do Sudeste do Pará não é ‘porta aberta’. Ele funciona através de regulação para casos de média e alta complexidade. Contudo, o SAMU tem a premissa de vaga zero, ou seja, em casos de urgência podemos levar o paciente diretamente para lá”.

Trotes

Com trabalhos contínuos e intensivos nos últimos anos, a fim de combater os trotes, a equipe do SAMU colhe os bons frutos, atualmente.

De acordo com Walternice, houve uma redução significativa no número de ligações falsas para a unidade. Visitando escolas e empresas públicas e privadas para explicar sobre a importância dos atendimentos de primeiros socorros, ela acredita que essa sensibilização foi fundamental para que o número de trotes diminuísse.

De acordo com Walternice, houve uma redução significativa no número de ligações falsas para a unidade/ Foto: Evangelista Rocha
De acordo com Walternice, houve uma redução significativa no número de ligações falsas para a unidade/ Foto: Evangelista Rocha

Atendimento

O SAMU tem o objetivo de atender uma situação de urgência ou emergência que possa levar à vítima a sofrer sequelas ou morte. (Ana Mangas)

 

 

SAMU EM NÚMEROS

700 atendimentos por mês

90 profissionais no serviço

4 ambulâncias em Marabá

3 bases em núcleos diferentes

Comentários

Mais

DJ Ivis pede perdão a Pamella Holanda em suposta carta lida pelo advogado do cantor

DJ Ivis pede perdão a Pamella Holanda em suposta carta lida pelo advogado do cantor

A cearense Pamella Holanda, vítima de agressões de DJ Ivis, revelou que o cantor enviou uma suposta carta, por meio do advogado, com um pedido de perdão.…
Rede estadual retoma aulas no início de agosto

Rede estadual retoma aulas no início de agosto

A redução do número de novos casos e de óbitos por Covid-19, bem como a adesão à vacinação contra o…
Clarice, a jovem que anda nua em Parauapebas, não está abandonada

Clarice, a jovem que anda nua em Parauapebas, não está abandonada

Uma cena comum em Parauapebas e que choca muita gente é a de uma mulher andando sem roupas pelas ruas…
Mãe pede ajuda para comprar cadeira de banho para o filho

Mãe pede ajuda para comprar cadeira de banho para o filho

Com grande parte do corpo atrofiado, conseguindo movimentar apenas uma das mãos e a cabeça, o jovem Handriw Rafael Vasconcelos…
Intervalo maior de doses da vacina Pfizer aumenta níveis de anticorpos

Intervalo maior de doses da vacina Pfizer aumenta níveis de anticorpos

Um intervalo maior entre as duas doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 proporciona um nível maior de anticorpos…
Estudo: anticorpos de quem teve covid-19 não protegem contra variante

Estudo: anticorpos de quem teve covid-19 não protegem contra variante

Estudo internacional com participação de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) revela um mecanismo que explica o motivo pelo…