Correio de Carajás

Rio Tocantins volta a baixar e alenta famílias

No Bairro Santa Rosa, a água do Rio Tocantins transbordou a orla e invadiu a via pública
No Bairro Santa Rosa, a água do Rio Tocantins transbordou a orla e invadiu a via pública
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O nível do Rio Tocantins já registrou baixa de cerca de 20 centímetros desde domingo até a noite desta segunda-feira, dia 27. Às 13 horas desta segunda-feira (24), a régua fluviométrica da Seção Fluvial da 23ª Brigada do Exército, localizada às margens do Rio Tocantins, na Marabá Pioneira, apontava o nível do Rio Tocantins em 11,95 metros, mas à noite já estava abaixo de 11,85 metros.

Atualmente, segundo a Defesa Civil Municipal, 282 famílias, que representam 1.128 pessoas, estão distribuídas em oito abrigos, localizados na Avenida Getúlio Vargas, antiga Feirinha na entrada da Marabá Pioneira, Alzira Mutran e Z-30 (não oficial), no núcleo Velha Marabá. No núcleo Cidade Nova, as famílias estão no Galpão do Bom Planalto e na Obra Kolping, e na Nova Marabá, no galpão da Folha 32.

A Folha 33, em primeiro plano, com muitas casas alagadas pelo Rio Itacaiunas

As famílias abrigadas estão recebendo cestas básicas da Secretaria Municipal de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários. Desde o dia 13 de abril, a Defesa Civil voltou a prestar apoio logístico às famílias que já haviam retornado para suas casas. Vale destacar que o abrigo da Colônia Z-30 está funcionando sem o consentimento da Defesa Civil municipal, que depois da última cheia de março, o local encontra-se, no momento, considerado inseguro para construção de abrigos.

Leia mais:
Os dois rios “afogam” as áreas mais baixas da cidade em tempo crítico de pandemia pelo coronavírus

Grande parte das famílias está apressada para retornar para casa, tanto pela questão do desconforto nos abrigos, quanto pelo medo de contrair coronavírus. “Já sai de casa em várias enchentes em Marabá, mas nunca fiquei tão desesperado como agora, com medo de contrair essa doença que tá matando tanta gente por aí”, diz o pescador Luiz Carlos Pires, o Luizinho, residente na Rua João Salame, no Bairro Santa Rosa. (Da Redação)

Comentários

Mais

Sarau na Câmara celebra múltiplas linguagens artísticas de Marabá

Sarau na Câmara celebra múltiplas linguagens artísticas de Marabá

Na noite desta terça-feira, dia 30 de novembro, a Escola do Legislativo de Marabá (Elmar) realizou o 6º Sarau Líteromusical,…
Pará registra 610.087 casos e 16.928 mortes por Covid-19

Pará registra 610.087 casos e 16.928 mortes por Covid-19

O Pará contabilizou mais 695 casos de Covid-19 e 16 mortes causadas pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
Alec Baldwin diz que não puxou gatilho de arma que matou diretora de fotografia

Alec Baldwin diz que não puxou gatilho de arma que matou diretora de fotografia

O ator Alec Baldwin declarou em entrevista para TV que não puxou o gatilho da arma que matou a diretora de fotografia Halyna…
MEC publica edital para adesão das instituições ao Fies de 2022

MEC publica edital para adesão das instituições ao Fies de 2022

O Ministério da Educação (MEC) publicou nesta quarta-feira (1º) o edital com o cronograma e os procedimentos para participação das mantenedoras de…
HIV: Brasil tem 694 mil pessoas em terapia antirretroviral

HIV: Brasil tem 694 mil pessoas em terapia antirretroviral

No Brasil, 694 mil pessoas estão em tratamento contra o HIV. Apenas neste ano, 45 mil novos pacientes iniciaram a…
Covid-19: OMS aponta baixa cobertura vacinal e testes insuficientes

Covid-19: OMS aponta baixa cobertura vacinal e testes insuficientes

O mundo enfrenta “uma mistura tóxica” que resulta da baixa cobertura vacinal contra a covid-19 e um nível de testagem…