Correio de Carajás

Repórter Correio

Porto do Pará

O Porto de Barcarena (PA) tem ganhado grande importância no escoamento de grãos como soja e milho, especialmente do Centro-Oeste, bem como na importação de fertilizantes. Diversas empresas e companhias do agro atuam no terminal. Em se tratando da estrutura física e capacidade de expedição, as empresas portuárias possuem capacidades distintas. O que merece destaque é o fato de todas as empresas estarem atualmente operando aquém da capacidade máxima diária, entre 50 e 60% da capacidade total, devido à época de entressafra. Para tanto, todas as empresas dispõem de mão de obra, instalações e condições operacionais apropriadas para utilizarem suas capacidades máximas.

Porto do Pará II

Leia mais:

Entre os dias 07 e 09 de dezembro, técnicos da Conab estiveram no Porto de Barcarena com o objetivo de levantar informações sobre a movimentação logística de grãos, prioritariamente soja e milho, assim como coletar dados sobre capacidade estática, principais rotas e produtos movimentados, e perspectivas de investimento no porto caso a conclusão da Ferrogrão (MT ao Porto de Miritituba/PA) seja efetivada.

Exportação de Grãos

Os grãos produzidos no centro-norte do estado do Mato Grosso e Sul e do estado do Pará, seguem por modal rodoviário até o Porto de Miritituba, município de Itaituba/PA. Em Miritituba, o produto é embarcado em barcaças com capacidade de até 2.000 toneladas, que seguem por via hidroviária até os portos de Barcarena. Desse ponto, os produtos são destinados, majoritariamente, aos continentes Europeu e Asiático. Os navios saem de Barcarena/PA rumando em direção ao Oceano Atlântico, passam pelo estreito de Gibraltar para abastecerem os países da Europa. Para chegarem à Ásia, os navios têm por passagem o Canal de Suez, no Egito.

Aftosa

A Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará) alerta os produtores rurais para o prazo final da segunda etapa da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa do ano de 2021 que foi prorrogada até esta sexta-feira (31). Após dois pedidos de prorrogação atendidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), devido à falta de vacinas no estado, esse é o prazo final para que todo o rebanho paraense, com idade até 24 meses, seja imunizado.

Números

A três dias do fim do prazo para a vacinação de bovinos e bubalinos, o Sistema de Integração Agropecuária (Siapec), disponibilizado pela Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará) registra 92,12% da população animal vacinada. Um total de 9.660.379 animais bovídeos foram imunizados, ultrapassando o índice vacinal preconizado pelo Mapa, que é de pelo menos 90%. Além de vacinar o rebanho, o produtor deve declarar a vacinação até o dia 10 de janeiro de 2022, via internet, por meio do Sistema de Integração Agropecuária (Siapec3).

Mudando de farda

O 1º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva “Regimento Floriano”, em Marabá, realizou uma solenidade para despedida de cinco dos seus soldados que estão deixando o Exército para ingressar na Polícia Militar do Pará. Eles foram aprovados no último concurso para o curso de formação de praças da corporação. Do Exército, na despedida, receberam até diplomas da parte da unidade militar e elogios do chefe.

Previsão do tempo

De acordo com o boletim de previsão das condições do tempo, produzido pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), a sexta-feira (31) e o sábado (1º de janeiro) serão de forte instabilidade atmosférica nas regiões sudeste e sudoeste do Pará, associada à Zona de Convergência do Atlântico Sul, que contribuem para a presença de nuvens de tempestade, de tempo encoberto a nublado, com chuvas a qualquer momento do dia.

Previsão do tempo II

Para o último dia de 2021 no Pará, sexta-feira (31), a porção sul das regiões sudeste e sudoeste exibe tendência de tempo encoberto a nublado, com previsão de chuva fraca a moderada a qualquer momento do dia. Para a porção centro-norte, tempo variando de parcialmente nublado a nublado, com previsão de chuva em áreas isoladas entre os períodos da tarde e noite.

Polícia científica

O governador Helder Barbalho sancionou a Lei 9.382/21, que confirma a criação da Polícia Científica do Pará, em substituição ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC), que foi criado na Lei Estadual 6.282, de janeiro de 2000. Publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), a nova lei, que havia sido aprovada pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), no último dia 14, também altera, acrescenta e revoga outros dispositivos da lei estadual referentes ao órgão de Perícia Oficial do Estado.

Comentários

Repórter Correio

Praia Os primeiros metros de praia do Tucunaré já foram suficientes para o final de semana atrair visitantes ao balneário,…

Repórter Correio

Frio em Marabá? Foi a sensação da grande maioria da população ao levantar na manhã de ontem (20), com menos…

Repórter Correio

Nem igreja escapa Desde final de abril, a Catedral de Marabá, vive uma situação inusitada.  Segundo o padre Ademir Gramelik,…

Repórter Correio

Fato grave O Presidente da Federação de Futsal do Pará (Fefuspa), Davi Leal, foi esfaqueado na manhã de sábado, dia…

Repórter Correio

Nem autoridade escapa Três homens suspeitos de praticarem um assalto com reféns à casa do vice-prefeito de Cachoeira do Piriá,…

Repórter Correio

A Exposição Agropecuária de Marabá (Expoama 2022) está oficialmente confirmada. Será mais curta, com apenas cinco dias, de quarta a…