Correio de Carajás

Regulamentação do lobby prejudicaria os mais pobres, diz Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse que é contrário à eventual regulamentação do lobby - Valter Campanato
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, disse hoje (29) que é contrário à eventual regulamentação do lobby.

Para Toffoli, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o reconhecimento da atuação de lobistas (pessoas contratadas para defender interesses de empresas e organizações junto a agentes públicos e políticos) favoreceria os mais ricos em detrimento da maior parte da população.

“Sou daqueles que são contrários à regulamentação do lobby, pois ela só vai criar mais burocracia e excluir aqueles mais pobres do acesso ao Estado e aos serviços prestados pelo Estado”, disse o ministro durante a cerimônia de abertura de seminário realizado pelo CNJ para debater formas de desburocratização de atos e procedimentos administrativos do Poder Judiciário.

Leia mais:

Ao contrário de Toffoli, defensores da proposta costumam alegar que normatizar a atividade daria mais transparência a algo que, na prática, já é feito, permitindo sua fiscalização.

Desburocratização

Após apontar, em tom de brincadeira, a necessidade de o Poder Judiciário começar a desburocratizar suas práticas extinguindo as cansativas e desnecessárias saudações nominais em eventos que reúnem autoridades que todos os presentes conhecem, Toffoli afirmou que o Estado tem que interagir com a sociedade de maneira direta e transparente.

“O que traz resultados positivos à sociedade é a transparência”, disse Toffoli, elogiando a aprovação da Lei 13.726. Em vigor desde 8 de outubro, a lei federal procura racionalizar atos e procedimentos administrativos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, além de instituir o Selo de Desburocratização e Simplificação.

“O intuito da lei é claro: deflagrar uma política permanente de redução de entraves burocráticos, para que o Estado deixe de existir por si e para si e passe a movimentar a sua estrutura com o objetivo maior de promover o desenvolvimento do país”, disse Toffoli, observando que a necessidade da lei é a “demonstração máxima” de que a burocracia está “tão arraigada na vida do brasileiro que temos dificuldade de identificá-la”, mesmo que a burocracia acarrete impactos sociais e econômicos para toda a sociedade.

“A burocracia funciona como importante fator de exclusão de parcela da população, que, em meio a um emaranhado de exigências desprovidas de sentido, se vê impossibilitada de exigir seus direitos”, acrescentou Toffoli.

Presente à abertura do seminário, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e a advogada-geral da União, Grace Mendonça, também defenderam a necessidade de redução das exigências burocráticas, em particular no âmbito do Poder Judiciário.

“A desburocratização desenvolve confiança para as relações, seja relações entre pessoas, seja entre as pessoas e as instituições públicas”, comentou Dodge. “É importante simplificarmos procedimentos, eliminarmos fases desnecessárias e de sobreposições de etapas, não somente no âmbito da administração pública, mas também dos processos judiciais”, defendeu Grace Mendonça. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

Ministro aponta erros de estados e diz que limitou vacinação de adolescentes por cautela

Ministro aponta erros de estados e diz que limitou vacinação de adolescentes por cautela

O ministro Marcelo Queiroga disse nesta quinta-feira (16) que a decisão de restringir a vacinação de adolescentes apenas aos grupos prioritários (deficiência…
Ministério estuda aproveitar créditos de cursos profissionalizantes

Ministério estuda aproveitar créditos de cursos profissionalizantes

O Ministério da Educação estuda permitir que estudantes formados em cursos técnico-profissionalizantes aproveitem os créditos acadêmicos caso decidam continuar os…
Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia manteve a projeção para o crescimento da economia este ano…
Caçula põe irmão mais velho em enrascada

Caçula põe irmão mais velho em enrascada

Um curioso caso de receptação (adquirir mercadoria proveniente de roubo ou furto) foi registrado na Vila Carimã, zona rural de…
Transporte público volta a ser criticado na Câmara de Marabá

Transporte público volta a ser criticado na Câmara de Marabá

Serviço que afeta grande parte da população, o transporte público de Marabá está sempre em pauta nas discussões políticas da…
Ministro defende aumento “modesto e moderado” para Bolsa Família

Ministro defende aumento “modesto e moderado” para Bolsa Família

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu hoje (15) um aumento “necessário” no programa Bolsa Família, de assistência a famílias de baixa…