Correio de Carajás

Professores de Curionópolis podem paralisar as atividades

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
1 Visualizações

A Subsede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), em Curionópolis, informou neste final de semana que os professores da rede estadual e da rede municipal podem paralisar as atividades na próxima semana.

Foi publicado edital de Assembleia na última sexta-feira (1º) convocando a categoria para discutir várias pautas, dentre elas, a adesão à greve da rede estadual à qual vários municípios do interior do Pará já aderiram e, ainda, paralisação das atividades na rede pública municipal de ensino em virtude do descumprimento do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos profissionais do magistério.

A Assembleia ocorre no próximo dia 12, terça-feira, e dependendo das decisões tomadas durante a reunião, a categoria docente de Curionópolis poderá decidir pela paralisação das aulas no município. De acordo com o coordenador do SINTEPP, Hebber Kennady, após várias tentativas de agendamento da mesa de negociação com a prefeitura, visando discutir pautas entregues à Promotoria de Justiça de Curionópolis, a categoria continua não recebendo as gratificações da zona rural e do acompanhamento dos alunos especiais na sala de aula.

Leia mais:

“Infelizmente, tentamos agendar a mesa de negociação com a Secretaria de Educação, Procuradoria, Secretaria Municipal de Administração e gabinete, em março, abril e maio e, até o momento, a prefeitura não sinalizou uma data específica para que possamos entrar em acordo em relação ao cumprimento de dispositivos legais das gratificações e demais retroativos dos profissionais do magistério. Os direitos da categoria continuam sendo violados”, destaca o coordenador.

Caso a paralisação dos professores da rede pública municipal de ensino seja deflagrada, o calendário letivo deve sofrer novos ajustes, considerando ainda os atrasos em virtude das pinturas nas escolas da rede pública municipal de ensino e, recentemente, a paralisação nacional dos caminhoneiros. O Sintepp Curionópolis também continua cobrando as reformas amplas que podem ofertar um ambiente climatizado nas salas de aula durante o período de maior calor, que afeta alunos e professores. (Assessoria de Imprensa – Sintepp Curionópolis)

Comentários
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Conforme prometido previamente, a categoria dos músicos da noite de Marabá, que estão sem poder trabalhar há várias semanas, em…
Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

O relatório “Transparência das informações ambientais na Amazônia Legal: o acesso à informação e a disponibilização de dados públicos”, lançado…
MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

O Ministério da Educação (MEC) vai abrir, nos dias 3 e 4 de maio, as inscrições para as bolsas remanescentes…
Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

A cultura paraense é marcada por forte influência indígena. A contribuição do povo mais antigo no solo brasileiro pode ser…
Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode…
MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

Entre os dias 10 e 21 de abril, o Movimento Sem Terra (MST) tem ações afirmativas programadas em torno da…