Correio de Carajás

Professor: delegada explica que não existe perfil de criminoso

Delegada Ana Paula / Foto: Evangelista Rocha
Delegada Ana Paula / Foto: Evangelista Rocha
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (20) a delegada Ana Paula Trigo Mattos, titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca), falou sobre a investigação que culminou na prisão do professor Marcos Vinícius da Costa Araújo, acusado de estupro de vulnerável contra oito alunas dele, com idades entre 8 e 9 anos.

Segundo a delegada, uma das crianças, que é colega de turma das vítimas, viu o professor abusando de uma menina dentro da sala de aula e ao chegar em casa contou para a mãe o que havia presenciado na escola.

“A mãe da criança procurou a delegacia e registrou boletim de ocorrência. A partir daí nós iniciamos a investigação, na qual identificamos que todos os atos libidinosos eram cometidos na sala de aula quando o acusado ficava sozinho com as alunas. Inclusive, aproveitava os dias em que uma estagiária não comparecia à escola para cometer os crimes”, explicou.

Leia mais:

Durante a entrevista, a delegada ressaltou que os pais precisam ficar atentos a todos os locais que os filhos frequentam, pois os abusos podem ser cometidos por pessoas do convívio da criança uma vez que não existe um perfil de estuprador.

“Mesmo que o acusado seja uma pessoa conhecida da comunidade, seja uma pessoa que é da igreja, ou casada, uma pessoa simpática e querida pela população, não significa que essa pessoa não vá cometer o crime. Prova disso é que muitos acusados são pai biológico, irmão, pastor ou padre. Então, não existe um perfil, por isso os pais precisam ter atenção seja na igreja ou na escola porque infelizmente o estuprador não apresenta perfil”, afirmou.

ENTENDA O CASO

Marcos Vinícius da Costa Araújo foi preso na última terça-feira (17) por meio de um mandado de prisão preventiva cumprido pela Polícia Civil. De acordo com a investigação, o acusado é professor da rede municipal de ensino e utilizou sua função para cometer os abusos contra as alunas. Essas informações foram obtidas graças ao trabalho da psicóloga Rafaela da Paixão Gurjão, do Parápaz, que realizou intensa escuta especializada e tratamento psicológico com todas as menores vítimas de Marcos Vinícius.

Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do acusado, onde foram apreendidos um computador, um celular e pendrives, que foram encaminhados ao Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves.

A reportagem do Correio de Carajás apurou que Marcos Vinícius trabalhava em uma escola no Núcleo Morada Nova, onde é bastante conhecido pela comunidade e querido pelos colegas educadores, inclusive considerado um professor exemplar. Ele foi encaminhado ao Instituto Médico Legal ainda na tarde de terça-feira para passar por exame de corpo de delito e a reportagem do Correio de Carajás tentou ouvi-lo, porém Marcos Vinícius preferiu ficar em silêncio. Segundo a delegada Ana Paula, as investigações continuam e o acusado continuará preso até o julgamento.

OUTROS PAIS DEFENDEM O PROFESSOR

No dia seguinte à prisão, quarta-feira (18), o Correio de Carajás conversou com três pais de alunos do professor, que dá aula para duas turmas (uma pela manhã e outra à tarde). Luzeni Santos Alves, de 33 anos, é mãe de três filhos e reside em Morada Nova.

Ela disse que o filho de 9 anos faz o terceiro ano do fundamental com Vinícius, sobre quem ela disse que sempre agiu com muita seriedade e nunca soube de nada que desabonasse sua conduta. “Meu filho é aluno dele desde o ano passado e sempre vou deixá-lo e buscá-lo na escola. Nunca soube de nenhuma reclamação de pais sobre a conduta dele. Fiquei surpresa com essas denúncias”, disse.

Outro pai, Paulo Santos Campelo, também atestou que o filho de 10 anos nunca viu, não presenciou e nem aconteceu nada com ele praticado pelo professor Vinícius. “Sempre estou na escola, diariamente, e não há nada contra esse professor. Essa é uma história muito confusa”, avaliou.

Raimunda Rodrigues da Silva, outra mãe de aluno que conversou com a Reportagem disse que também é educadora em outra escola, assim como o esposo. O casal tem três filhos e sempre conversam com eles sobre qualquer atitude suspeita de maiores de idade.

“Sempre separamos um dia para conversa para falar sobre a relação com a escola e até os vizinhos. Eles são instruídos desde pequenos a nos contar. Meu filho ficou um ano e meio com o professor Vinícius. Ele me garantiu que o professor nunca fez nada com ele e nem com outro aluno, declarou.

Ainda de acordo com ela, quando a história surgiu, o casal conversou mais ainda com a criança. “Mas não houve nada. Creio que esse professor é inocente. Se eu percebesse algo, seria a primeira a denunciar”, garantiu. (Fabiane Barbosa)

Comentários

Mais

Equipes da Sefa e Receita Federal apreendem quase 16 mil pares de calçados falsificados

Equipes da Sefa e Receita Federal apreendem quase 16 mil pares de calçados falsificados

Equipes da Receita Federal do Brasil e Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) apreenderam, no último dia 15, na unidade…
Filho adotivo de Flordelis diz que mãe sabia do assassinato do marido

Filho adotivo de Flordelis diz que mãe sabia do assassinato do marido

Ao depor hoje (19) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Lucas dos Santos de Souza, filho adotivo da…
Polícia de Parauapebas investiga se vídeo com ameaça está relacionado a homicídios

Polícia de Parauapebas investiga se vídeo com ameaça está relacionado a homicídios

Nesta segunda-feira (19) entrou em circulação via WhatsApp e outras redes sociais um vídeo no qual dois supostos membros do…
Polícia afirma que tem provas suficientes para concluir inquérito

Polícia afirma que tem provas suficientes para concluir inquérito

A Polícia Civil do RJ já tem provas suficientes para concluir o inquérito da morte do menino Henry Borel, independentemente de um novo…
Jovem vira escudo humano e bandidos o matam com 3 tiros em Redenção

Jovem vira escudo humano e bandidos o matam com 3 tiros em Redenção

Mais um crime com características de “acerto de contas” chocou a população de Redenção, no sul do Pará. Na noite…
Homem é assassinado no meio da rua no Bairro São Félix

Homem é assassinado no meio da rua no Bairro São Félix

Um homem, identificado como José Ribamar Oliveira, de 33 anos, foi morto a golpes de faca na madrugada de domingo…