Correio de Carajás

Prefeitura torra quase R$ 10 milhões, mas Belém continua toda esburacada

Até as principais vias da capital, como a avenida Augusto Montenegro, estão intrafegáveis,cheias de crateras e pontos de alagamento. (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

De acordo com o Portal da Transparência de Belém, somente no ano passado, a Prefeitura gastou quase R$ 10 milhões em serviços de conservação e manutenção da malha viária na cidade e nos distritos de Outeiro, Mosqueiro e Icoaraci. Os dados pinçados da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) mostram que quem operou com o serviço de tapa-buracos faturou R$ 9.666.200,76 ao longo de 2018.

A Prefeitura mantém no Portal uma programação diária do tipo de serviço na capital, porém, na prática, a realidade é outra. Não precisa ir à periferia para perceber que os trabalhos de tapa-buraco ainda não chegaram por lá.

O problema da buraqueira está presente nas principais vias da cidade, onde o fluxo é intenso, causando trans-tornos a motoristas, pedestres e ciclistas. Uma delas é a avenida Augusto Montenegro, que recebeu nos últimos anos as obras do BRT e até hoje é impactada pelos trabalhos que ainda não foram concluídos.

Leia mais:

Na tarde de ontem, o DIÁRIO foi até a via e percebeu as dificuldades enfrentadas pelas pessoas que precisam trafegar por lá. No dia em que a reportagem foi à avenida Augusto Montenegro, não havia nada previsto para a área. Apenas em Icoaraci e no Tapanã, nas áreas mais próximas dali.

“Não dá para entender. Foi tanto dinheiro gasto e que ainda continua porque a obra não terminou. Até onde a obra terminou, já tem problema. É cada buraco que vai abrindo…se não tomar cuidado, cai”, reclama Claudio Silva, 42, motorista de van. Alguns dos piores tre-chos da avenida estão às proximidades da entrada do bairro Tenoné e do Sest Senat.

Em ambos os sentidos, os motoristas diminuem a velocidade, fazem malabarismos e chegam até a invadir as calçadas para desviar dos buracos. Durante a reportagem, motoristas de ônibus, vans, veículos pequenos e moto-queiros percebiam a presença do jornal e aponta-vam para a buraqueira e faziam sinal de negativo.

“Isso também causa prejuízo para a gente. Eu estou com meu carro na oficina com problema de suspensão, de tanto passar nesses buracos. Todos os dias quebra um carro. É muito buraco, ainda deixa o trânsito lento e gera engarrafamento. Não está fácil andar por Belém. A verdade é que a cidade está cheia de buracos”, critica o motorista de aplicativo Joabe Alves, 42.

Além dos inúmeros buracos, a população ainda enfrenta o problema do alagamento em trechos também onde os serviços já passaram, como, por exemplo, próximo a um shopping. Naquela área, sentido Icoaraci-Belém, após a chuva de ontem, os motoristas também enfrentaram dificuldades para seguir caminho. A água invadiu as calçadas e deixou ilhado quem estava nos pontos de ônibus ou precisava sair dos condomínios residenciais.

PROMESSA

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Belém, por meio da Sesan, disse que “a avenida Augusto Montenegro está incluída no serviço de tapa-buraco que vem sendo realizado em diversos trechos da cidade. A previsão é que a via seja incluída no cronograma de ações da próxima semana”.

(Diário do Pará)

Mais

Companhia de Trânsito de Tucuruí destrói mais de 100 kadrons

Companhia de Trânsito de Tucuruí destrói mais de 100 kadrons

Como parte da programação do Maio Amarelo, mês dedicado à segurança no trânsito, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano…
É falso tuíte afirmando que Pazuello viajou para os EUA com passaporte diplomático

É falso tuíte afirmando que Pazuello viajou para os EUA com passaporte diplomático

Falso É falso o tuíte que afirma que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, tenha recebido um passaporte diplomático…
EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos autorizou a vacina contra covid-19 da Pfizer e da parceira…
Quase 9% das mulheres sofreram alguma violência sexual, diz IBGE

Quase 9% das mulheres sofreram alguma violência sexual, diz IBGE

Pelo menos 8,9% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de violência sexual na vida, segundo dados da Pesquisa Nacional da Saúde…
Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre

Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre

As transações por cartões (crédito e débito) registraram um aumento de 17,3% nos valores movimentados no primeiro trimestre deste ano…
Cadáveres não foram violados no Cemitério da Saudade, em Marabá

Cadáveres não foram violados no Cemitério da Saudade, em Marabá

Circulou nas redes sociais na manhã desta terça-feira (11) a foto de um caixão aberto, que possivelmente seria no Cemitério…